TRABALHO

Segundo pesquisa, maioria dos brasileiros quer revisão da reforma trabalhista

Maioria dos brasileiros é contrária à reforma trabalhista, mas teto de gastos divide opiniões. Regras são heranças do governo de Michel Temer

Augusto Tenório
Augusto Tenório
Publicado em 01/03/2022 às 9:03
CESAR ITIBERÊ/PR
O presidente Michel Temer discursa na cerimônia de assinatura da declaração Presidencial Conjunta Brasil-Paraguai sobre Integração Física, na sede da usina hidrelétrica Itaipu Binacional, em Foz do Iguaçu (PR). - FOTO: CESAR ITIBERÊ/PR
Leitura:

Pesquisa realizada pela Genial/Quaest mostra que a maioria dos brasileiros são contrários à reforma trabalhista de 2017. A maioria da população, segundo o levantamento, é a favor da revisão do projeto aprovado durante o Governo Temer.

De acordo com a pesquisa, 53% dos brasileiros se dizem contrários à reforma realizada na gestão anterior e apenas 27% se dizem favoráveis. Nesse sentido, 58% defendem uma revisão das normas.

Entre os eleitores de Luís Inácio Lula da Silva (PT), líder nas pesquisas eleitorais de intenção de voto, a rejeição à reforma atinge 64%, enquanto os que acham que ela deve ser revista são 67%. Já entre os apoiadores de Jair Bolsonaro (PL), somente 33% são contrários às regras adotadas em 2017.

RICARDO STUCKERT
Segundo Márcio França, Alckmin deve se filiar ao PSB em março para ocupar a vice de Lula - RICARDO STUCKERT

Vale lembrar que o assunto voltou ao debate público após Lula defender, em mais de uma ocasião, uma revisão da reforma trabalhista. Geraldo Alckmin, cotado para ser o vice na chapa do petista, manifestou preocupação com o tema.

Pesquisa também mede apoio ao teto de gastos

Se a reforma trabalhista reúne maioria contrária, o teto de gastos divide de forma mais contundente as a opinião dos brasileiros. Segundo a pesquisa, 32% aprovam a medida e 40% que a rejeitam.

Quanto maior a renda, maior é o apoio ao teto de gastos.

  • Entre o público que recebe até dois salários mínimos, 27% apoiam o limite
  • Entre quem recebe de dois a cinco salários, 32% apoiam a medida
  • Entre quem ganha mais de cinco salários mínimos, o apoio chega a 40%

Comentários

Últimas notícias