Des-união Brasil

Entenda a queda de braço entre Luciano Bivar e os Coelhos

Nos bastidores da cena política local, explica-se o suposto mal estar entre Luciano Bivar, presidente do União Brasil e a família de Miguel Coelho, de Petrolina

Jamildo Melo
Cadastrado por
Jamildo Melo
Publicado em 01/03/2022 às 10:04 | Atualizado em 02/03/2022 às 12:13
INSTAGRAM @MIGUELCOELHOPE
UNIÃO BRASIL Luciano Bivar e Miguel Coelho não teriam boa relação - FOTO: INSTAGRAM @MIGUELCOELHOPE
Leitura:

Nos bastidores da cena política local, políticos bem informados explicam que o suposto mal estar entre o deputado federal Luciano Bivar, presidente do União Brasil e a família Coelho, de Petrolina. A possibilidade de o deputado aceitar ou não dar a legenda para o prefeito Miguel Coelho sair candidato ao Governo de Pernambuco, nestas eleições, tem como pano de fundo a divisão de bases eleitorais.

"O motivo da briga é simples. Luciano Bivar combinou com Miguel Coelho que teria cerca de 30 mil votos, para federal, nas cidades A, B e C. Eles aceitaram e agora vem a cobrança. Eles não deram nada a ele, que quer resolver a vida", afirma uma fonte do blog.

"O problema é que Bivar não pode dizer que é presidente de partido e não tem votos (suficientes para se reeleger). Já o desespero dos Coelhos é achar que Bivar ia ser cauda deles. Na prática, Bivar, Fernando Coelho e Mendonça Filho disputam uma vaga só", conta uma fonte do blog.

"Já Fernando Coelho não cedeu bases para Bivar porque tem medo de fazer isto e perder para Mendonça Filho. De Bivar ele não perde", explica o especialista em contas.

DEIVID MENEZES/DIVULGAÇÃO
PERNAMBUCO Miguel Coelho é pré-candidato ao governo herdado do DEM - DEIVID MENEZES/DIVULGAÇÃO

Para cada 180 mil votos, é eleito um deputado federal. Com 300 mil, são eleitos dois deputados federais. Mas se o quociente não for atingido, os votos são perdidos.

Questionado pelo blog, Miguel Coelho negou de forma peremptória. "Isto seria uma falta de respeito com o presidente do partido (afirmar não ter votos para a reeleição)", respondeu o pré-candidato ao Governo de Pernambuco, na semana passada, em conversa com o blog.

Caso a candidatura própria do União Brasil não deslanche, neste caso, Bivar teria uma boa desculpa para rifar Miguel e rumar com a aliança da Frente Popular, mesmo que de forma velada.Foto de Miguel Coelho e Luciano Bivar retirada do Twitter do União Brasil

Há uma semana, um episódio público na página do partido acabou gerando polêmica. Depois de se reunir com o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, e o presidente do MDB, Raul Henry, outro com problemas para se reeleger, Bivar teve um encontro com Miguel Coelho, em Brasília, no mesmo dia. Fotos foram feitas para registrar o momento.

REDES
Encontro entre Raul Henry (MDB), Bivar (UB) e Paulo Câmara, nesta terça (15/2) - REDES

"Não publica a foto, vamos conversar", teria orientado Bivar. Para mostrar que não estava sendo deixado em segundo plano, Miguel Coelho conseguiu publicar a foto. "Mendonça Filho (dirigente do partido) e Miguel tinham a senha, mas depois disto mandou tirar a senda deles". A foto foi apagada.

Dizem que gato escaldado tem medo de água fria. Bivar já passou perrengue no passado com Caio Maniçoba, uma liderança do interior que dobrou com ele. Ocorre que o sertanejo arrumou mais votos e Bivar acabou sendo usado como cauda dele e não o contrário, como imaginava o líder do partido.

Com ou sem Bolsonaro?

Bivar também brigou com Bolsonaro lá atrás e quer distância do ex-presidente. Pode ser outro motivo para azedar a relação.

"O sucesso dele é federal. O pai dele foi líder de Bolsonaro. Será possível convencer que não é apoiador de Bolsonaro? Ele não concordava com o pai?", questiona outro.

De acordo com informações de bastidores, haveria até uma divisão na família quanto aos destinos da campanha. "O irmão Fernando Filho quer que ele desista, acha que é um erro e que deveria o pai ir para federal". A conferir os próximos capítulos.

Comentários

Últimas notícias