BASTIDORES

Frente Popular: ala do PT se recusa a fazer militância para chapa com André de Paula

Uma ala expressiva do PT em Pernambuco deixa claro, nos bastidores, sua recusa em fazer militância para uma chapa da Frente Popular com André de Paula (PSD)

Augusto Tenório
Cadastrado por
Augusto Tenório
Publicado em 14/04/2022 às 14:35 | Atualizado em 14/04/2022 às 21:33
GUSTAVO LIMA/AG. CÂMARA
André de Paula é presidente estadual do PSD - FOTO: GUSTAVO LIMA/AG. CÂMARA
Leitura:

Uma ala expressiva do PT em Pernambuco deixa claro, nos bastidores, sua recusa em fazer militância para uma chapa da Frente Popular com André de Paula (PSD). A executiva estadual indicou, oficialmente, o deputado federal Carlos Veras como candidato do partido à Câmara Alta.

"Se o PSB forçar André de Paula no Senado, vai arrebentar a corda que já está esticada desde a retirada da candidatura de Humberto Costa. Se ele for o candidato da Frente, não haverá militância petista na campanha", garante um interlocutor do PT, nome forte dentre as lideranças políticas e movimentos sociais.

FACEBOOK/CARLOS VERAS
O deputado Carlos Veras, indicado pelo PT ao Senado na chapa de Danilo Cabral (PSB) - FACEBOOK/CARLOS VERAS

Mesmo entre os petistas menos fervorosos, o nome de André de Paula causa estranheza. "[Haverá resistência] mesmo entre os mais obedientes dos lulistas", avisa o interlocutor.

Isso porque o parlamentar vota junto com o Governo Federal na Câmara dos Deputados. Em 91% das votações, segundo o Congresso em Foco, o deputado votou com a base de Jair Bolsonaro.

Os petistas não enxergam como aceitável a André de Paula ser escolhido ao Senado e o partido indicar o vice na chapa liderada por Danilo Cabral (PSB), pré-candidato de Paulo Câmara ao Governo de Pernambuco.

Entenda o contexto da disputa entre André de Paula e o PT pela disputa ao Senado na Frente Popular

A indefinição do candidato ao Senado pela Frente Popular se transformou numa novela. André de Paula, presidente do PSD em Pernambuco, ganhou forças porque Lula (PT) negocia acordo com Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, no plano nacional. Isso fortalece o deputado federal no estado.

Mais que isso, petistas também enxergam participação, direta ou indireta, de Marília Arraes (SD) no fortalecimento de André de Paula. Isso acontece porque, nos bastidores, fala-se de um encontro do deputado com a pré-candidata ao Governo após ela deixar o PT.

André de Paula disse que não trabalha com outra possibilidade além de permanecer na base do PSB. Mas, enxergam os petistas, pois agora o presidente estadual do PSD teria uma alternativa oposicionista para se lançar ao Senado.

LUIS MACEDO/AGÊNCIA CÂMARA
PSD André de Paula foi um dos primeiros ouvidos por Paulo Câmara - LUIS MACEDO/AGÊNCIA CÂMARA

Diante da indefinição do candidato ao Senado, mais um nome surgiu para a disputa. Luciana Santos (PCdoB), conforme antecipamos, confirmou sua indicação à Câmara Alta. Os petistas não entenderam o movimento da aliada e focam suas energias na própria indicação.

"Até Luciana Santos a gente aceitaria. Não existem condições de se fazer militância para uma chapa liderada por Danilo Cabral com André de Paula como candidato ao Senado", disse o interlocutor, usando do bom humor para se referir à candidatura da atual vice-governadora de Pernambuco.

Comentários

Últimas notícias