BASTIDORES

Possível aliança com Marília Arraes e críticas a Paulo Câmara: os bastidores do PSD de André de Paula

Aliados de André de Paula (PSD) enxergam erros na condução das negociações por parte de Paulo Câmara (PSB). Deputado deve deixar Frente Popular e se aliar a Marília Arraes (SD)

Augusto Tenório
Cadastrado por
Augusto Tenório
Publicado em 03/05/2022 às 16:56 | Atualizado em 03/05/2022 às 16:59
Instagram @andredepaula55 e @mariliaarraes
André de Paula (PSD) e Marilia Arraes (SD) podem formar chapa na disputa majoritária para eleições de 2022 em Pernambuco - FOTO: Instagram @andredepaula55 e @mariliaarraes
Leitura:

Na sede estadual do Partido Social Democrático, André de Paula bateu o pé nesta terça (3), após semanas de especulações e rusgas na Frente Popular: será candidato ao Senado, seja na aliança comandada pelo PSB em Pernambuco ou numa chapa de oposição. Segundo aliados ouvidos sob reserva pela coluna, o segundo cenário deve se concretizar nos próximos dias, anunciando-se união a Marília Arraes (SD).

Na avaliação de aliados, não existe mais clima para André de Paula permanecer na Frente Popular, apesar de o deputado ter deixado em aberto essa possibilidade. A despeito de o presidente estadual do PSD ter elogiado o governador Paulo Câmara (PSB), o grupo critica nos bastidores, ainda em tom de respeito ao socialista, a sua performance enquanto articulador da aliança.

"O PSB recebeu mal a postura de André de Paula, avalia que o barco pode estar afundando e que a liderança de Paulo Câmara não deu certo. João Campos, visto como líder natural, não se dispõe... Ele não concorda com esse tipo de atitude da Frente Popular", diz um aliado próximo a André de Paula, ouvido sob reserva.

Interlocutores do PSD interpretam que, por parte do PT, houve sucesso na movimentação para viabilizar uma candidatura do partido ao Senado, mesmo com André de Paula se fortalecendo nas últimas semanas dentro da Frente Popular. O presidente estadual do PSD chegou perto de ser escolhido, mas petistas levaram a melhor nas conversas em Brasília.

 

"Imagine perder de uma vez André, Dudu e Sebastião Oliveira... É quase nula a chance de André ficar depois de um desastre como esse, o clima é muito ruim. Mas tudo pode acontecer com o PT. A promessa foi feita há dois anos, tínhamos campanha preparada, mas de uma hora pra outra mudaram", diz aliado, referindo-se ao acordo com o PSB, feito na disputa pela Prefeitura do Recife 2020, que previa candidatura do social democrata ao Senado.

Tanto Lula (PT) quanto representantes do PSB teriam demonstrado entusiasmo com a possível candidatura de Teresa Leitão (PT) ao Senado. Os petistas defendem que a candidatura de Danilo Cabral (PSB) ao Governo de Pernambuco tem mais chances com um quadro do partido concorrendo à Câmara Alta, pois a chapa ficaria mais associada ao líder nas pesquisas para Presidência da República.

Aliados de André de Paula dão conta de que existem duas vertentes no grupo, que teve reuniões tanto com Miguel Coelho (UB) e com Marília Arraes (SD). A tendência, porém, é o presidente do PSD formar uma chapa com a ex-petista.

"A tendência é Marília. A ideia do PSB é ficar com [candidatura do] PT aqui no estado, eles estão negociando. A coletiva foi pra ganhar tempo, ver até onde iria", diz interlocutor. Em tempo, um aliado próximo da pré-candidata ao Governo já saiu em defesa da candidatura de André de Paula.

Espaço para André de Paula (PSD) e Eduardo da Fonte na chapa de Marília Arraes (SD)

Da coletiva realizada nesta terça, uma certeza foi absoluta do início ao fim: para onde forem, o PSD e o PP vão juntos. Nesse sentido, levantaram-se questionamentos acerca de um espaço para as duas legendas numa chapa comandada por Marília Arraes.

TV JC/Blog Imagem
André de Paula, ao lado de Eduardo da Fonte, comunica decisão de sair candidato ao Senado, mas evitou críticas à Frente Popular - TV JC/Blog Imagem

Mas como o próprio Eduardo da Fonte declarou na entrevista, a questão está apaziguada dentro do PP e o partido apoia André de Paula. O Progressista já buscou viabilizar candidatura ao Senado, mas parece ter abandonado o plano em nome do acordo com o PSD e o apoio para as candidaturas proporcionais.

Avalia-se que o grupo de Marília Arraes pode, contando com os votos que ficariam abertos caso se confirme a candidatura de André de Paula ao Senado, trabalhar para não somente o próprio Eduardo da Fonte, como também Lula da Fonte, filho do líder estadual do PP.

Outro partido que deve acompanhar o PSD numa eventual saída da Frente Popular é o Avante de Sebastião Oliveira. A legenda, comandada pelo irmão do deputado em Pernambuco, é próxima a André de Paula.

O presidente estadual do PSD, em tempo, saiu fortalecido da última pesquisa eleitoral feita em Pernambuco, realizada pelo Conectar e divulgada com exclusividade pela coluna. No cenário 'real', sem Marília e Raquel Lyra (PSDB), pré-candidatas ao Governo, André de Paula lidera a disputa pela Câmara Alta, que neste ano tem apenas uma vaga.

Comentários

Últimas notícias