ELEIÇÕES 2022

João Arnaldo e Eugênia Lima criticam privatização do metrô do Recife

João Arnaldo e Eugênia Lima, pré-candidatos do PSOL ao Governo de Pernambuco e ao Senado, respectivamente, criticaram o plano para privatização do metrô do Recife

Augusto Tenório
Cadastrado por
Augusto Tenório
Publicado em 12/05/2022 às 16:31
Divulgação
Joao Arnaldo e Eugenia Lima, pré-candidatos do PSOL ao Governo de Pernambuco e ao Senado, respectivamente - FOTO: Divulgação
Leitura:

João Arnaldo e Eugênia Lima, pré-candidatos do PSOL ao Governo de Pernambuco e ao Senado, respectivamente, criticaram o plano para privatização do metrô do Recife. Eles estiveram no ato realizado pelo Sindicato dos Metroviários e Metroviárias de Pernambuco nessa quarta (11), no qual a categoria entrou em estado de greve.

Tanto João Arnaldo quanto Eugênia Lima discordaram do planejamento para estadualizar o metrô para entregar o sistema à iniciativa privada. Na ocasião, os pré-candidatos do PSOL criticaram não somente o governador Paulo Câmara (PSB), como também o Governo Federal.

"Bolsonaro se aliou a Paulo Câmara para juntos privatizarem o metrô do Recife. Mas o metrô do Recife não é de Paulo Câmara, não é de Bolsonaro e não vai ser de nenhum amigo dos palácios. O metrô do Recife é do povo de Pernambuco", disse João Arnaldo.

O pré-candidato ao Governo ainda pretende dialogar com Lula, numa eventual eleição do petista, para ampliar o metrô. "Vamos fazer uma coisa completamente diferente do que eles querem hoje. Vamos garantir os investimentos necessários para revitalizar o metrô e ampliar. Se agora querem colocar mais de R$ 3 bilhões para fazer a privatização, porque não garantiram o valor de mais R$ 150 milhões por mês que faria o nosso metrô voltar a ser referência nacional?", completa.

Divulga�§�£o
Eug�ªnia Lima, pr�©-candidata do PSOL ao Senado - Divulga�§�£o

Eugênia Lima aproveitou a ocasião para declarar apoio à categoria, destacando o que classifica como situação precarizada do metrô. "É parte do projeto de entrega dos bens públicos para o lucro dos grandes empresários. Transporte público de qualidade é um direito, condições de trabalho dignas também", denuncia a psolista.

Ela aponta que o Governo Federal com o Estadual oferece R$ 3 bilhões para privatizar e requalificar o serviço, mas atendendo a interesses privados. No entanto, para a pré-candidata ao Senado, o custo mensal para que isso aconteça é de R$150 milhões não é feito atualmente.

Nesse projeto, R$ 3,1 bilhões serão mobilizados pelo governo federal e R$ 700 milhões pelo governo de Pernambuco. E, dos R$ 3,1 bilhões bancados pela União, via Ministério da Economia, R$ 1,4 bilhão serão recursos que ficarão guardados para serem utilizados pelo Estado ao longo do contrato de concessão pública, previsto para ter validade de 30 anos. O déficit anual é de aproximadamente R$ 300 milhões.

"Precisamos garantir segurança ao usuário, investimento em infraestrutura e tarifa social para a população. Privatizar não é a solução. O transporte público é um direito do povo e a estratégia de deixar sucateado para depois oferecer à iniciativa privada como moeda de troca não deve ser permitida. Falta vontade política para investir no que é público", pontua Eugênia Lima.

Comentários

Últimas notícias