Tragédia

Estado já admite que número de mortes com as chuvas pode passar de uma centena

De acordo com informações da Agência Pernambucana de Água e Clima (Apac), o Distúrbio Ondulatório de Leste – sistema que induziu os grandes volumes de chuva nos últimos dias – se dissipou

Jamildo Melo
Cadastrado por
Jamildo Melo
Publicado em 29/05/2022 às 16:17 | Atualizado em 29/05/2022 às 16:52
Djair Pedro /SEI
Deslizamento no Jardim Monte Verde - FOTO: Djair Pedro /SEI
Leitura:

De acordo com os registros da Central de Operações e do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), desde o início das chuvas fortes, na quarta-feira (25.04), até este domingo, foram confirmadas as mortes de 56 pessoas, e outras 56 continuam desaparecidas nos municípios de Recife e Olinda. Os números foram divulgados nesta tarde pelo Governo do Estado, no Campo das Princesas.

Muito bem informados, já no sábado políticos de situação e oposição começaram a cancelar suas agendas de campanha em todo o Estado. Miguel Coelho chegou a cancelar até um evento marcado para esta segunda-feira, no Recife. O governo federal, que falava em 70 mortes, mandou quatro ministros ao Recife, para um voo de helicóptero sobre as cidades mais atingidas.

Também há registro de 3.957 desabrigados, sobretudo nos municípios da Região Metropolitana e na Mata Norte. O grande impacto causado pelas chuvas levou nove municípios a decretar situação de emergência: Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, São José da Coroa Grande, Moreno, Nazaré da Mata, Macaparana, Cabo de Santo Agostinho e São Vicente Ferrer.

Além das forças de segurança estaduais, o Exército e a Marinha estão colaborando no trabalho com 100 e 20 profissionais, respectivamente, e seis embarcações. As escalas foram reforçadas também no IML para assegurar maior eficiência nas remoções e perícias, além de serviços de assistência social e apoio, mitigando o sofrimento das famílias das vítimas.

Na manhã deste domingo, o Grupamento Tático Aéreo realizou o resgate de 12 pessoas ilhadas em áreas alagadas, sem acesso por terra. As três aeronaves empregadas nas ações da RMR também transportaram água e alimentos para comunidades isoladas ou fortemente atingidas, como no bairro da Muribeca, em Jaboatão dos Guararapes.

No total, as equipes estão atuando em 12 pontos de deslizamento, com o emprego de cães farejadores e equipamentos. Durante todo o dia de ontem, até a madrugada deste domingo, o Grupamento de Bombeiros Marítimos (GBMAR) resgatou 593 vítimas ilhadas em várias localidades da RMR.

No Recife, os resgates aconteceram nos bairros de Coqueiral, Imbiribeira, Ipsep e Tejipió. Em Jaboatão, houve atendimento na Vila Dois Carneiros, Socorro e Muribeca. Desde a sexta-feira (27.05), mais de 46 mil chamados foram feitos ao 193, com deslocamento das equipes.

De acordo com informações da Agência Pernambucana de Água e Clima (Apac), o Distúrbio Ondulatório de Leste – sistema que induziu os grandes volumes de chuva nos últimos dias – se dissipou, mas ainda restam instabilidades no oceano, que ainda deverão provocar precipitações neste domingo, de forma moderada, entre a Zona da Mata e a RMR. A tendência, porém, é a estabilização da atmosfera, com redução gradativa dos volumes de chuva.

Comentários

Últimas notícias