imposto de renda

Imposto de Renda: quem ganha 2 salários mínimos terá de pagar IR com mudança de Lula

Mudança realizada por Lula fará com que pessoas que ganham dois salários mínimos precisem pagar o IR, a situação tem relação com a alta defasagem já existente no Imposto de Renda

Imagem do autor
Cadastrado por

Cynara Maíra

Publicado em 19/01/2024 às 7:06
Notícia
X

Depois que o governo Lula (PT) modificou a taxa de isenção do Imposto de Renda que não era alterada desde 2015, tudo indica que uma nova definição da administração lulista retomará a mesma situação de defasagem para uma parte dos contribuintes. 

Entenda a situação que poderá fazer com que no Imposto de Renda 2025, ano-base 2024, pessoas que recebam dois salários neste ano precisará pagar o IR. 

IMPOSTO DE RENDA ANO-BASE 2024 DEVE RETOMAR PAGAMENTO DAQUELES QUE RECEBEM 2 SALÁRIOS MÍNIMOS

Apesar de Lula ter aumentado a isenção do imposto de renda de R$ 1.903,98 para R$ 2.112 e inserir um desconto mensal de R$ 528 na fonte, que garantia isenção para quem ganhava até R$ 2.640, a situação parece retornar ao que iria ocorrer no pagamento deste ano. 

Isso porque o presidente Lula aumentou o salário mínimo para R$ 1.412, o que faz com que no pagamento do imposto de renda de 2025, ano-base 2024, aqueles que recebam dois salários mínimos passem da taxa de isenção, ao receber R$ 2.824 por mês. 

Esse indicativo de que as pessoas voltarão a ser tributadas foi apresentada pela Associação Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Unafisco), um grupo que analisa o impacto da tabela do imposto de renda ao contribuinte. 

 

Com o formato apresentado pelo governo Lula, as pessoas precisarão pagar à Receita Federal em 2025 7,5% do excedente em relação ao valor de isenção mensal. Com isso, aqueles que receberem dois salários mínimos em 2024 precisarão pagar R$ 13,80 por mês, o que totalizará R$ 165,59 no imposto de renda

Para evitar essas defasagens em relação ao valor do salário mínimo e do custo de vida da população, o presidente da Unafisco Nacional, Mauro Silva, indicou ao G1 que seria necessário garantir uma correção da tabela do IR ao menos a partir da taxa de inflação do ano anterior.

Caso houvesse uma completa correção inflacionária do imposto de renda, a Unafisco indica que 13,6 milhões de brasileiros seriam isentos. A associação aponta que existe uma defasagem acumulada de 134,01% na taxa de isenção do IR, enquanto as demais faixas estão desvalorizadas em 159,57%. Tal situação torna ainda mais desigual o peso da tributação entre a população, já que proporcionalmente, os com menos recursos pagam uma parcela maior de seus recursos ao governo. 

Durante sua campanha eleitoral em 2022, Lula prometeu isentar do Imposto de Renda pessoas que recebem até R$ 5 mil, mas até o momento não cumpriu essa definição. 

Câmara aprova MP que AUMENTA SALÁRIO MÍNIMO e AMPLIA ISENÇÃO do IMPOSTO de RENDA

Tags

Autor