bastidores

Nome fora dos holofotes une caciques do PT e PSB para a vice de João Campos

Houve avanço nas negociações para que o PT obtenha uma vaga na chapa do prefeito João Campos (PSB)

Imagem do autor
Cadastrado por

Jamildo Melo

Publicado em 25/01/2024 às 11:34 | Atualizado em 25/01/2024 às 12:00
Notícia
X

Como a movimentação dos petistas no Recife permite constatar, depois da visita de Lula ao Estado, na semana passada, houve avanço nas negociações para que o PT obtenha uma vaga na chapa do prefeito João Campos (PSB).

Oficialmente, o prefeito diz que só vai discutir a formação da chapa nas convenções, ganhando tempo, mas a estratégia para a escolha do vice já está traçada, conforme apurou o blog de Jamildo.

Como planeja contar com a possibilidade de, reeleito em 2024, sair em 2026 para disputar o governo do Estado, João Campos já sinalizou que planeja uma pessoa de extrema confiança, do próprio PSB. Caso este cenário se materializasse, essa figura de sorte ganharia um mandato de dois anos no cargo.

"É a maior eleição dentro das eleições deste ano", afirma uma fonte do blog, em uma referência aos bons resultados de avaliação do governo João Campos, o que facilitaria uma vitória. No entanto, o jogo é jogado. Não existe eleição ganha de véspera.

Encontro com Lula, no dia da refinaria Abreu e Lima

Poucas pessoas perceberam, mas Lula antecipou em mais de quatro horas sua chegada ao Recife, vindo de Salvador, para sair mais cedo do evento da Refinaria Abreu e Lima e discutir política na capital pernambucana, uma das praças mais importantes. Além de candidatos do PT a vice, como Carlos Veras, Lula conversou com João Campos, que levou toda a família ao evento, em um hotel em Boa Viagem.

  • Quer ficar informado sobre política, eleições e tudo que envolve o jogo do poder? Clique aqui para se inscrever no nosso canal do WhatsApp.

Obviamente, a chancela final dependerá da correlação de forças entre os dois partidos, mas o filho de Eduardo Campos elaborou uma estratégia engenhosa para driblar a resistência do PT e compor com o partido.

A solução na mesa é a indicação do ex-presidente de Suape, Roberto Gusmão, para o posto de vice de João Campos. E onde ele se encaixa nesta estratégia?

Roberto Gusmão é engenheiro agrônomo com mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Além de presidente da Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb) ele foi secretário de Infraestrutura do Recife, assumindo a presidência de Suape em fevereiro de 2021.

Pouca gente lembra, mas ele começou na PCR com o ex-prefeito João Paulo, antes de se tornar um dos principais executivos da gestão Geraldo Júlio. Entrou para a história uma coletiva de imprensa que ele trocou o nome do ex-prefeito do PT pelo do PSB.

Geraldo Julio já disse de novo que não vai sair candidato e um nome com esse perfil seria avalizado por ele, bem como João Paulo, que também já disse que não estará na disputa.

No ano passado, primeiro ano do governo Lula, Roberto Gusmão estava trabalhando na secretaria nacional de Portos, mas deixou o governo Federal com a chegada de Sílvio Costa Filho no posto de ministro de Portos e Aeroportos. No entanto, o destino dos dois podem estar ancorados, como se verá mais adiante.

De acordo com fontes do PT, a composição será difícil. "Essa possibilidade foi ventilada sim. Acho difícil acontecer (só com um pedido de Lula), o partido conversou, mas não se sabe o que ficou acertado entre Lula e João Campos".

Para aplacar estas resistência, Roberto Gusmão, com o aval de Lula, ingressaria no PT de Pernambuco.

"Seria o maior queijo do reino em linha reta do mundo", diverte-se um petista, numa referência ao produto lácteo, associado às cores do PSB, por ser vermelho por fora (PT) e amarelo por dentro (PSB).

Miguel Coelho como vice em 2026 e acenos a Humberto Costa e Silvio Costa Filho

Como neste ano de eleições municipais também estão sendo jogadas cartadas para as eleições de 2026, nesta mesma estratégia os aliados de João Campos amarram outros aliados na dança, antecipadamente.

Uma das ideias mais ousadas é já deixar consignado, no mesmo acordo, o posto de vice na possível chapa de João Campos 2026 para Miguel Coelho, do União Brasil. O grupo dos Coelho entrou na prefeitura da Cidade do Recife, depois de ver frustradas as negociações para entrada no governo Raquel Lyra. A pasta ofertada foi a Secretaria de Turismo, onde o deputado licenciado Antônio Coelho tem se destacado.

De acordo com informações de bastidores, a estratégia para a formação da chapa 2024/26 prevê ainda a garantia de reeleição para o senador Humberto Costa, amarrando o PT nas composições. Como se sabe, serão duas vagas e muitos pretendentes. A outra vaga está garantida para o jovem deputado federal Sílvio Costa Filho, nomeado por Lula ministro dos Portos, de onde Roberto Gusmão se desincompatibilizou.

Tags

Autor