Cenário econômico em Pernambuco, no Brasil e no Mundo, por Fernando Castilho

JC Negócios

Por Fernando Castilho
castilho@jc.com.br

Informação e análise econômica, negócios e mercados

Coluna JC Negócios

Fintech Kalea usa inteligência artificial para ajudar empresa a tomar crédito mais fácil

Kalea atua como um "marketplace reverso" de crédito, gerenciando os dados e informações das empresas que desejam receber propostas de crédito

Fernando Castilho
Fernando Castilho
Publicado em 21/12/2021 às 14:00
DIVULGAÇÃO
Luiz Falbo e fundador da fintech Kalea - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Fundada pelo consultor Luiz Falbo, a startup Kalea tem um propósito bem diferenciado. Prestar assessoria digital de crédito para empresas, transformando essa busca como parte do planejamento financeiro de todo empreendimento.

A fintech Kalea atua como um “marketplace reverso” de crédito, gerenciando os dados e informações das empresas que desejam receber propostas de crédito. A companhia atua na promoção da competitividade de crédito e é acelerada pelo LIFT LAB, do Banco Central, com apoio da Microsoft, e integrante do HUB de Inovação do Banco do Nordeste.

Segundo Luiz Falbo, na prática, o startup automatiza, digitaliza e facilita o contato entre as duas partes utilizando inteligência artificial. Neste modelo, onde as instituições de crédito são as que procuram por seus clientes, transparência e organização transforma-se na chave para o encontro perfeito entre quem está oferecendo crédito e quem está em busca dele.

KALEA CREDITO INTELIGENTE

Falbo dá um exemplo bem pratico: os empreendedores sabem bem a importância que o crédito tem para o bom funcionamento de uma empresa.

Isso pode acontecer numa emergência ou para uma cuidadosa e planejada expansão, é quase certo que em algum momento o empresário necessita de uma instituição financeira para levantar crédito.

Mas o CEO da Kalea adverte: “o crédito não é um fim em si mesmo, ele é um processo. Não adianta o empresário na hora em que está ‘enforcado’ ele querer buscar o crédito como uma boia de salvação.”

Segundo Falbo, o que mais importa é a transparência e detalhamento das informações. Por exemplo, existem linhas disponíveis no mercado de crédito que exigem garantias, como veículos e imóveis.

O risco de não cuidar bem de suas informações é que na hora da crise ele está com o cadastro todo comprometido, muitas vezes até dos próprios sócios. Por isso, é que “se faz necessário utilizar o crédito como uma das forças de gestão possíveis de serem utilizadas dentro de uma empresa.”

Para o consultor, é fundamental que o empresário saber como usar a capacidade da empresa no momento em que precisa se financiar. “Não adianta o empresário na hora em que está ‘enforcado’ ele querer buscar o crédito como uma bóia de salvação.”

Ainda de acordo com Luiz Falbo, “quanto mais dados, quanto mais detalhamento sobre a empresa o gestor puder dar, de forma organizada e estruturada, mais fácil será o acesso a uma linha de crédito direcionada ao perfil dele.”

Comentários

Últimas notícias