COLUNA MEU PET

Aprenda como cortar as unhas de cães e gatos em casa

Procedimento é simples, mas requer uma série de cuidados; unhas compridas podem prejudicar a saúde e a mobilidade dos pets

Priscila Miranda
Priscila Miranda
Publicado em 09/06/2020 às 12:35
Notícia
Pixabay
Unhas de cães e gatos precisam de cuidados - FOTO: Pixabay
Leitura:

Por Priscila Miranda, da coluna Meu Pet

Com a adoção da quarentena e do isolamento social por causa da pandemia do novo coronavírus, muitas pessoas que possuem um bichinho de estimação passaram a fazer procedimentos comuns em petshops, como banho e tosa, dentro de casa. Mas há um cuidado com a saúde do animal que também precisa de atenção: o corte das unhas.

A médica veterinária Adriana Souza dos Santos, clínica geral da AmahVet, explica que o comprimento excessivo das unhas de cães e gatos pode afetar a saúde deles e, com o confinamento, agravar problemas de mobilidade.

“Cães que vivem em quintais com piso de cimento, por exemplo, ou qualquer piso áspero que promove o desgaste da unha precisam cortar a unha do ‘quinto’ dígito, que é o equivalente ao dedão dos humanos, pois este é o único que não encosta no chão”, explica.

Outro problema comum das unhas grandes é a chance de o animal de machucar caso caia em espaços onde o chão seja escorregadio.

“Quando o animal tem a unha muito comprida, de tamanho inadequado, ele pode sofrer algumas lesões. Quando a própria unha entra no coxim, que é a ‘almofadinha’ da pata, também gera algumas complicações. E se a casa for de piso frio, de azulejo ou madeira, ele pode escorregar e isso causar uma fatalidade, principalmente para animais mais idosos ou de peso maior”, diz Adriana.

Leia também: >> Pessoas do grupo de risco do coronavírus também precisam de ajuda para cuidar de seus pets

>> Protetores se preocupam com abandono de cães e gatos na pandemia do coronavírus

>> Brinquedos podem ser alternativas para pets na quarentena

Para os gatos que vivem dentro de casa, as garras não são usadas para se proteger ou caçar. “A necessidade do corte de unhas se dá pois os felinos costumam arranhar os móveis da casa e isso pode se tornar perigoso se o animal ficar com a unha presa no móvel”, alerta. Nesses casos, recomenda-se também arranhadores para evitar acidentes domésticos.

Se o felino costuma sair de casa, a veterinária orienta não cortar a unha dele. “Não indicamos que os gatos tenham acesso às ruas, mas sabendo que isso ainda acontece, nesse caso o ideal é não cortar as unhas, já que os felinos usam as garras para defesa, escaladas e caça”, orienta a especialista.

Passo a passo para cortar a unha dos pets

A primeira etapa do processo é proporcionar um ambiente tranquilo para o animal não se sentir estressado, deixando que ele cheire ou toque nos utensílios para que entenda que o procedimento não lhe causará mal.

Caso ele seja naturalmente mais agitado, tente contê-lo usando algo que o cubra e acalme. Uma boa contenção, cobrindo o animal com colcha ou lençol, evita acidentes durante o procedimento. O ideal é não demorar na tarefa para que o pet não fique agoniado, principalmente os felinos, que não gostam de serem imobilizados por muito tempo. Já nos cães, caso sejam de maior porte, pode ser necessário usar focinheira ou pedir ajuda de outra pessoa para segurá-lo.

“Sempre deixar o animalzinho no tempo dele. Faz o corte de uma unha, dá um petisco, nesse meio tempo, faz um carinho, para ter um reforço positivo e ele entender que isso não é um procedimento ruim.”

A veterinária orienta que o corte deve ser feito com uma ferramenta específica para cães e gatos. “Para o tutor cortar em casa, ele vai precisar de um cortador adequado com o porte do animal. Não pode ser utilizado um alicate ou um cortador de unha que o ser humano geralmente usa.”

Na hora do corte, é importante atentar para as áreas vascularizadas que ficam próximas da unha. Um corte errado pode provocar sangramento na região.

“Unhas com pouca pigmentação, a gente consegue visualizar o vasinho da derme através da unha. Só que, nas unhas escuras, a gente não tem essa visibilidade”, explica Adriana.

Para as unhas claras, ela recomenda um corte diagonal, no ângulo de 45º, respeitando o limite da derme.
Diferentemente dos cães, que possuem as unhas mais visíveis, é preciso expor cada garrinha dos gatos, apertando cada dígito na base da unha.

Caso haja sangramento da derme, a especialista recomenda o uso do pó hemostático que ajuda na cicatrização e estancamento.

A especialista recomenda que gatos devem ter a unha cortada a cada 15 dias ou no mínimo uma vez por mês, tendo o tutor que prestar atenção sempre às necessidades do animal, quando ele começa a ter desconforto no andar ou é possível ouvir as garras batendo contra o chão.

Adriana alerta ainda que o procedimento não deve ser realizado caso o animal apresente alguma patologia pré-existente, como doenças cardíacas. O estresse que pode gerado na ação pode comprometer o bem-estar dele.

LEIA MAIS TEXTOS DA COLUNA MEU PET EM jc.com.br/meu-pet

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias