Via Mangue ainda às escuras, mas monitorada por câmeras

Publicado em 10/04/2015 às 7:00
Leitura:
  A Via Mangue ainda está às escuras e de meter medo aos motoristas que circulam à noite. É fato. Mas o corredor viário, que custou R$ 431 milhões, permanece sem iluminação e com as obras paradas desde dezembro do ano passado, está menos perigoso. Seis câmeras de vídeo–monitoramento de segurança foram instaladas pela Prefeitura do Recife desde o fim de março e conseguem acompanhar todo o movimento do corredor. Tanto de dia como à noite. A alta definição das imagens permite que veículos e até pedestres sejam identificados e, quando necessário, a Polícia Militar seja acionada. A iluminação do corredor viário, que tem aliviado o trânsito de entrada na Zona Sul do Recife, também começou a ser religada. Mesmo lentamente, um pequeno trecho de aproximadamente 300 metros, nas imediações do antigo Aeroclube de Pernambuco, está com os postes acesos. A promessa da prefeitura, inclusive, é que todo o corredor esteja iluminado até o dia 30 de abril. A Empresa de Urbanização do Recife (URB) estaria aguardando receber do fornecedor o restante do material de reposição, que inclui a fiação e a estrutura por onde passam os fios, roubadas e danificadas pelos vândalos que furtaram as seis subestações de energia que garantem a iluminação de todo o corredor. A técnica de embutimento da fiação também estaria sendo alterada para evitar novos furtos.     Pequeno trecho do corredor teve a iluminação religada. Foto: Ricardo Labastier/JC Imagem Pequeno trecho do corredor teve a iluminação religada. Foto: Ricardo Labastier/JC Imagem   “Mas a população já pode se sentir segura, mesmo com a Via Mangue estando ainda sem a iluminação completa. Nossas câmeras têm alta definição e captam as imagens muito bem, seja de dia ou à noite. São seis equipamentos, instalados em locais estratégicos para evitar novos furtos da fiação. Também funcionam para dar segurança à população, tanto de carro como a pé”, garantiu o secretário de segurança Urbana do Recife, Murilo Cavalcanti. Outras câmeras serão instaladas pela Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) e Secretaria Estadual de Defesa Social (SDS).   VEJA COMO ESTÁ A VIA MANGUE HOJE  
  Os equipamentos estão instalados, de fato, em pontos estratégicos do corredor, principalmente em áreas que têm acesso lindeiro. A primeira câmera fica próxima à Ponte Encanta Moça, logo no início da Via Mangue; a segunda está nas imediações do antigo Aeroclube de Pernambuco, área onde funcionava o canteiro de obras da Queiroz Galvão; a terceira fica próximo à Praça Marcos Vilaça (por trás do Supermercado Bompreço); a quarta nas imediações do Supermercado Extra; a quinta ao lado do acesso à comunidade Ilha do Destino; e a sexta próximo à bifurcação de acesso aos elevados que interligam o corredor às marginais dos Canais de Setúbal e Jordão.   Via está sendo monitorada por câmeras. Fotos: Edmar Melo/JC Imagem Via está sendo monitorada por câmeras. Fotos: Edmar Melo/JC Imagem   As câmeras captam imagens na horizontal, têm capacidade de fazer giros de 360 graus e aproximar o zoom em até 800 metros de distância. Ou seja, conseguem flagrar, sem dificuldades, qualquer investida criminosa, por exemplo. “Não adiantava religar a iluminação sem colocar as câmeras para evitar os furtos. Foi o que fizemos”, explicou Murilo Cavalcanti.   ViaMangue_Edmar1   Para a população, a sensação de insegurança persiste. “Melhorou um pouco com as câmeras. Mas só quando o corredor estiver totalmente acesso é que iremos sentir segurança. Muitos marginais e viciados ainda circulam por aqui. Além de religar a luz é preciso mudar a forma de embutir a fiação e terminar a pista leste”, cobra Flávio Augusto, primeiro fuzileiro naval da Marinha, que faz patrulhamento na área do Parque dos Manguezais, às margens da Via Mangue.   LEIA MAIS Via Mangue é só invasões Via Mangue totalmente na escuridão R$ 26 milhões para concluir corredor    

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias