Em seis meses, usuários do Bike PE percorreram 80 mil km de bicicletas

Publicado em 05/07/2019 às 11:27
NE10
FOTO: NE10
Leitura:

Fotos: Léo Motta/JC Imagem  

 

Os usuários do Bike PE, sistema de compartilhamento de bicicletas públicas operado pela Tembici e patrocinado pelo Itaú Unibanco, percorreram 80 mil quilômetros nos seis primeiros meses de 2019. Em relação aos outros quatro sistemas operados pelas mesmas empresas, foi o terceiro a ter percorrer mais distâncias em viagens. O Bike Rio (Rio de Janeiro) bateu todos os recordes, com 530 mil km, seguido pelo Bike Sampa (São Paulo) com 160 mil km. Depois do Recife se destacam o Bike POA (Porto Alegre), com 60 mil km e o Bike Salvador com 33 mil km percorridos em seis meses.

 

LEIA MAIS

Bike PE chega aos cinco anos com utilização 168% maior

Uso do Bike PE ‘bomba’ na crise do combustível

Cadê a expansão do Bike PE?

Bike PE terá o dobro de estações a partir de 2019

 

Quem utiliza o Bike PE ajudou a compensar a emissão de poluentes no ar. Em apenas seis meses, foram responsáveis por uma economia de mais de 70 toneladas de CO2 emitidos na atmosfera e poderiam ter pedalado por quase um ano inteiro, somando todos os minutos percorridos com as laranjinhas. O sistema pernambucano tem como característica o uso predominante para transporte, com a maior concentração de viagens em dias úteis, durante os horários de rush. Com picos de uso de segunda-feira à sexta-feira, entre 7h e 9h, 12h e 14h e das 17h às 19h.  

 

 

SEM EXPANSÃO

O uso tem sido tão grande que problemas operacionais já são comuns em algumas das 80 estações, com falta de docks para devolução das bicicletas no horário da manhã, até 9h e 10h, e ausência de bicicletas à noite, principalmente a partir das 19h. Há uma promessa de expansão do sistema no Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes, na Região Metropolitana, que já opera há cinco anos. Mas o processo não avança e pouco se fala dele.

Últimas notícias