COLUNA MOBILIDADE

Com a flexibilização da quarentena, estradas de Pernambuco devem registrar maior movimento na Semana Santa

O interior do Estado é o principal destino, tendo a BR-232 como eixo. Rodovia tem problemas no pavimento e quase nenhuma sinalização. Todas as lombadas estarão ligadas

Roberta Soares
Cadastrado por
Roberta Soares
Publicado em 30/03/2021 às 13:31 | Atualizado em 30/03/2021 às 16:05
FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
As melhorias existem - é verdade -, mas são pontuais. Estrada boa no Brasil segue sendo exceção. Infelizmente - FOTO: FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

Mesmo com a segunda onda da pandemia de covid-19, com novos protocolos de convivência com a doença e saindo de uma quarentena mais rígida, muitos pernambucanos devem pegar a estrada neste feriadão da Semana Santa. E o principal destino deverá ser o interior do Estado, que tem na BR-232 o seu principal eixo e merece atenção dos motoristas pelo estado ruim de trafegabilidade. A BR-101, que leva ao litoral pernambucano, também é concorrida e está bem conservada. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) inicia operação na quinta-feira (1º/4) e, com a flexibilização das restrições, já espera um movimento a mais nas BRs, especialmente na 232.



“Com o término do período de quarentena e a aproximação de mais um feriado prolongado, a tendência é de que haja uma maior movimentação de veículos, principalmente em direção ao interior e ao litoral do Estado. A BR 232, que leva às cidades de Gravatá, Bezerros e Caruaru, no Agreste, e a BR 101, que dá acesso às praias de Porto de Galinhas e Tamandaré, no Litoral Sul, e Itamaracá e Ponta de Pedras, no Litoral Norte, devem registrar um movimento maior principalmente na quinta (1º/4) à tarde e no domingo (4/4)”, afirma a PRF.

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
A BR-23 também não tem mais qualquer tipo de sinalização - especialmente a vertical. O que ainda está em pé, deteriora-se há tempos - FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM


No caso da BR-232, no feriado de 2020, quando Pernambuco enfrentava o segundo mês da pandemia de covid-19, 22 mil veículos circularam pela rodovia - o que representa praticamente a metade do movimento de antes da crise sanitária (em 2019 foram 45 mil veículos/dia). E é esse número que o governo do Estado espera gerir novamente, até porque a segunda onda da pandemia ainda está em ampla expansão.

LOMBADAS LIGADAS
Os motoristas também devem estar atentos porque todos os equipamentos de fiscalização eletrônica das rodovias estarão registrando infrações, inclusive os controladores de velocidade da BR-232 (na saída do Recife) e da PE-60, na altura do município de Ipojuca, na Região Metropolitana do Recife, que tradicionalmente são “desligados” nos feriadões. Numa mudança de visão, o Departamento de Estradas de Rodagem de Pernambuco (DER-PE) informou que as lombadas estarão notificando os motoristas infratores e que, a partir de agora, deverá “desligar” os equipamentos cada vez menos.

ARTES JC
BR-232_web - ARTES JC

O DER-PE começou a manter os equipamentos ligados depois do Carnaval 2020 e a decisão ganhou força com a pandemia e, consequentemente, por haver menos veículos circulando. Os equipamentos deixavam de registrar infrações em datas que costumavam atrair um volume maior de veículos nas rodovias. “Já tínhamos a vontade de não realizar mais os desligamentos e, com a pandemia, unimos nossa ideia à necessidade. Demos início ao processo após o feriado do Carnaval 2020. Ainda há flexibilidade em alguns equipamentos devido ao volume intenso em determinadas épocas. Mas a intenção é manter todas as lombadas eletrônicas ligadas e dessa forma assegurar um trânsito seguro e controlado”, informou o órgão.

SITUAÇÃO DA BR-232
A BR-232 deverá ser o principal corredor utilizado pelos motoristas durante o feriado da Semana Santa. E ela precisa de atenção redobrada. Mesmo mais cuidada, a intervenção na rodovia é limitada porque os anos de abandono e as falhas de construção deixaram marcas sérias de comprometimento da segurança viária do corredor. A capinação é uma das ações que mais avançou - a BR-232 passou anos parecendo uma verdadeira floresta. Há trechos muito ruins, é fato, como na altura de Caruaru. Mas equipes têm trabalhado na rodovia.

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Percebe-se, ao percorrer os 120 quilômetros da BR-232 entre o Recife e a cidade de Caruaru, no Agreste, que o poder público voltou a andar por ali e cuidar - dentro do que é possível - da rodovia. Mas ela segue perigosíssima - FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM


O pavimento, como sempre, segue sendo o mais comprometido. Os trechos da pista antiga - todo em asfalto - parecem montanhas russas na altura de Bezerros, especialmente nas imediações da Encruzilhada São João. O pior deles está entre Caruaru e Gravatá, no sentido interior-capital. E não é de hoje. Depois que a BR-232 começou a se degradar, sempre foi o mais evidente. No início do segundo semestre de 2020, a Secretaria de Infraestrutura de Pernambuco fez uma pavimentação contínua em pedaços desse trecho, indo além do tapa-buraco. Ajudou, mas foi pouco e seguem até agora sem sinalização horizontal. A ultrapassada e perigosa solução do asfalto sobre placas de concreto - que criam “pequenas montanhas” no pavimento - segue sendo aplicada em alguns trechos.

A rodovia também não tem mais qualquer tipo de sinalização - especialmente a vertical. O que ainda está em pé, deteriora-se há tempos. Retornos não têm, sequer, uma placa indicativa - restaram apenas os portais. A maioria deles, aliás, nem parecem oficiais de tão abandonados e tomados pela terra e lama. Por tudo isso, toda atenção do condutor é pouca. Ainda mais porque a previsão meteorológica é de pancadas de chuvas durante o fim de semana e a BR-232 tem diversos trechos com acúmulo de água na pista, o que estimula a perda de controle do veículo pelos motoristas.

AÇÕES
Além de estar com dois editais para elaboração de dois projetos para a BR - triplicação de 7 quilômetros na saída do Recife e restauração dos 120 quilômetros até Caruaru, no Agreste -, o governo de Pernambuco diz investir R$ 1 milhão por mês na manutenção da 232.

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Pavimento segue sendo o principal problema da BR-232, apesar de o Estado estar mais presente no cuidado com a rodovia. Há armadilhas por todos os lados - FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM

RECOMENDAÇÕES DA PRF
Com a previsão de pancadas de chuva no fim de semana, é importante que o motorista adote cuidados para evitar um acidente com a pista molhada. Confira as dicas:

* Dirija com a velocidade abaixo do limite da via;

* Aumente a distância entre o veículo que segue à frente;

* Calibre e avalie o estado de conservação dos pneus;

* Dirija com o farol ligado mesmo durante o dia;

* Substitua o limpador de parabrisas ineficiente ou ressecado;

* Para evitar aquaplanagem, que ocorre quando o veículo perde o contato com o asfalto ao passar por uma poça de água, o motorista deve evitar pisar no freio de forma brusca, tirar o pé do acelerador e manter a direção firme até passar pelo local.

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
BR-104, que liga Caruaru às cidades de Toritama e Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste, por exemplo, está bem conservada. Rodovia liga Pernambuco à Paraiba - FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM

Comentários

Últimas notícias