COLUNA MOBILIDADE

Acidente de trânsito agora é sinistro de trânsito. Entenda a mudança

Alteração foi feita no fim de 2020 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT)

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 24/07/2021 às 10:00
Notícia
Foto: Diego Nigro/ JC Imagem
A mudança fez com que o Brasil se modernizasse e se adequasse às tendências mundiais da Visão Zero (quando nenhuma morte no trânsito é aceitável) - FOTO: Foto: Diego Nigro/ JC Imagem
Leitura:

Em fevereiro deste ano falamos sobre a mudança. Mas apesar do pouco tempo, entendemos que é preciso falar mais e mais sobre ela para que a sociedade compreenda e assimile. Atendendo a uma reivindicação que muitos que vivenciam a violência do trânsito brasileiro fazem há anos, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) alterou a terminologia acidente de trânsito para sinistro de trânsito. A mudança fez com que o Brasil se modernizasse e se adequasse às tendências mundiais da Visão Zero (quando nenhuma morte no trânsito é aceitável), adotadas com redução de mortes em países como Espanha, Suécia e Estados Unidos.

Confira a série de reportagens Por um novo transitar

Motoristas estão bebendo e dirigindo mais em Pernambuco. Flagrantes aumentaram 70%

Por que reduzir a velocidade limite das ruas e avenidas é fundamental? Entenda

Trânsito brasileiro mata demais, mutila e custa muito caro

Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
A mudança tem razão de ser e deve ser disseminada por todos, tendo à frente as unidades de saúde, gestores e órgãos de trânsito. Não importa se é confuso ou se as pessoas não vão entender - Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem

Veja o que diz a ABNT NBR 10697, de 2020:

A terminologia “sinistro de trânsito” é aplicada e definida, de forma geral, como “todo evento que resulte em dano ao veículo ou à sua carga e/ou lesões a pessoas e/ou animais, e que possa trazer dano material ou prejuízos ao trânsito, à via ou ao meio ambiente, em que pelo menos uma das partes está em movimento nas vias terrestres ou em áreas abertas ao público”. A mudança acontece para deixar claro que o termo “acidente” pode ser usado em diferentes casos, como por exemplo, a queda de um copo d’água. Por isso, no trânsito, agora é sinistro de trânsito.

A mudança tem razão de ser e deve ser disseminada por todos, tendo à frente as unidades de saúde, gestores e órgãos de trânsito. Não importa se é confuso ou se as pessoas não vão entender. ACIDENTES são situações inevitáveis, fatalidades. E no trânsito nunca é acidente. Sempre existe uma causa por trás - seja humana ou técnica - que gera uma consequência.

Lembrando que o trânsito brasileiro mata muito, mutila demais e ainda custa muito caro. Foram 32 mil mortos em 2019 (dados mais recentes do DataSus), uma média de 300 mil mutilados por ano e um custo anual de R$ 132 bilhões.

Comentários

Últimas notícias