DESINFORMAÇÃO

Brasil vive apagão de dados em meio ao recrudescimento de casos de covid-19

Enquanto isso, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, tirou o dia de ontem para elogiar a primeira-dama

Romoaldo de Souza
Romoaldo de Souza
Publicado em 07/01/2022 às 8:04
PEDRO PARDO / AFP
Atraso entre o envio de vacinas e o braços da população conta na imunização. - FOTO: PEDRO PARDO / AFP
Leitura:

Espero que você não tenha esquecido que, em meados do mês de dezembro de 2021, o site do Ministério da Saúde sofreu um ataque de hackers, as informações na internet saíram do ar, mas até esta data os danos provocados pelo apagão não foram corrigidos e o banco de dados não está normalizado. O ataque atingiu a Rede Nacional de Dados em Saúde, o portal que reúne todas as informações registradas nos Estados e nos municípios e é usado para atualizar o ConecteSUS.

Por isso, instituições que trabalham com as informações dos dados do governo para monitorar a pandemia não estão conseguindo os números reais de pacientes infectados, quantos morreram, quais os que tiveram alta. Além disso, o ConecteSUS, aplicativo que guarda os registros da vacinação, voltou a funcionar, mas de forma capenga. Quem tomou a vacina depois do Natal ainda não recebeu o certificado.

A reportagem da Rádio Jornal encaminhou pedido de informações para que o Ministério da Saúde comunique quanto tempo vai levar para que o sistema da Rede Nacional de Dados volte a funcionar.

Ainda não houve resposta!

Enquanto isso, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, tirou o dia de ontem para elogiar a primeira-dama a quem chamou de “simbolicamente a mãe de todos os brasileiros”.

“Embora as vacinas sejam extraordinárias, eventos adversos, eles podem acontecer. E era na véspera do Dia das Mães. E eu comuniquei – a primeira pessoa, a nossa primeira-dama. Dona Michelle Bolsonaro. Que como a primeira-dama, e também mãe, é simbolicamente a mãe de todos os brasileiros”, afirmou.

Pense nisso!

Comentários

Últimas notícias