Visitou o JC

Novo presidente do TCE-PE, Ranilson Ramos cita combate à covid-19 e destravamento de obras como prioridades de gestão

O conselheiro assinou o termo de posse na última segunda-feira (3) e ficará à frente da Corte de Contas durante o biênio 2022/2023

JC
JC
Publicado em 06/01/2022 às 19:03
MARILIA AUTO/TCE-PE
Ranilson Ramos, novo presidente do TCE-PE - FOTO: MARILIA AUTO/TCE-PE
Leitura:

Novo presidente do Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE), Ranilson Ramos esteve no Jornal do Commercio nesta quinta-feira (6) para entregar ao diretor de redação, Laurindo Ferreira, o convite para a cerimônia da sua posse, que vai ocorrer na próxima segunda-feira (10), às 10h, no Centro Cultural Rossini Alves Couto, do Ministério Público Estadual. Na ocasião, o conselheiro afirmou que, durante a sua gestão, o foco principal do TCE continuará sendo as questões que envolvem o combate à covid-19 no Estado, mas sem deixar de lado a atenção que a retomada econômica do Estado no pós-pandemia exigirá da corte.

“Nós ainda estamos em um momento difícil e a covid não deixa de ser o foco principal do tribunal, especialmente agora, que ela resiste, que surgem novas variantes. E a situação atual é especial, porque entre 2020 e 2021 houve leis federais que flexibilizaram a Lei de Responsabilidade Fiscal e agora não temos mais isso, portanto nós queremos aumentar ainda mais a fiscalização, sobretudo com a expectativa de revisão das normas sanitárias do Estado”, afirmou Ramos, durante o encontro.

>> Ranilson Ramos decreta expediente normal no TCE durante o carnaval. Cabo suspende ponto facultativo

>> Pelo menos 68% de quase 800 escolas municipais de Pernambuco têm problemas na infraestrutura, aponta TCE-PE

>> Vereador do Recife encontra equipamentos musicais de R$ 10 milhões parados em galpão: 'herança deixada por Geraldo Julio'

>> TCE-PE aprova com ressalvas contas do ex-prefeito do Recife Geraldo Julio; entenda

O conselheiro também afirmou que deseja fazer com que o TCE possa auxiliar o Poder Executivo a destravar grandes obras estruturadoras do Estado, e citou como exemplo o Arco Metropolitano, paralisado desde 2012, e a Ferrovia Transnordestina, que praticamente não anda desde 2016. “O Arco Metropolitano é muito mais do que um traçado urbano, foi a contrapartida que o ex-governador Eduardo Campos prometeu quando negociou a vinda da Fiat para Goiana e ele precisa sair do papel. Nós podemos ajudar agilizando o procedimento de acompanhamento, fazendo a fiscalização enquanto o governo está agindo, tudo isso agilizaria o processo”, pontuou.

A respeito da atuação do tribunal durante o período eleitoral, Ramos disse que a ideia é que o órgão impulsione os trabalhos de fiscalização ao longo do ano para evitar que irregularidades sejam cometidas no Estado. “Nós estamos em um ano de eleição e a atenção do TCE quanto à fiscalização deve ser redobrada. Temos que ter novas ferramentas que nos possibilite seguir o dinheiro na velocidade dos dias atuais, que é a velocidade da internet”, explicou.

Ranilson Ramos tem 64 anos, é natural de Orocó, cidade situada no Sertão pernambucano, e foi nomeado para o cargo de conselheiro pelo governador Eduardo Campos, em 2013. Antes de chegar ao TCE, foi secretário de Estado, deputado estadual por três mandatos e vereador de Petrolina. Ele é pai do deputado estadual licenciado e secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação de Pernambuco, Lucas Ramos.

O conselheiro assinou o termo de posse como presidente do TCE na última segunda-feira (3) e ficará à frente da Corte de Contas durante o biênio 2022/2023. Neste mesmo dia, também foram empossados a conselheira Teresa Duere (vice-presidente), o conselheiro Valdecir Pascoal (Corregedor), o conselheiro Carlos Porto (diretor da Escola de Contas) e o conselheiro Carlos Neves (Ouvidoria).

Dirceu Rodolfo de Melo Júnior, que foi presidente do TCE nos últimos dois anos, não poupou elogios ao novo gestor do tribunal durante a transmissão de cargo, na segunda. "Agora é a vez de assumir um presidente com grande inteligência, experiência e conhecimento de dentro e de fora do TCE. Tenho certeza que, com a sua completude, Ranilson será um timoneiro seguro que trará o amálgama que precisamos para sermos cada vez mais coesos", disse.

Comentários

Últimas notícias