INVESTIGAÇÃO

Depoimento de Lázaro era fundamental para esclarecer o que estava por trás dos assassinatos

Morte de suposto serial killer, em Goiás, dificulta o trabalho de investigação da Polícia Civil. E pode garantir impunidade para outras pessoas

Raphael Guerra
Raphael Guerra
Publicado em 28/06/2021 às 10:58
Notícia
Divulgação/Polícia Civil
Lázaro Barbosa foi morto no dia 28 de junho em confronto com policiais da força-tarefa que fazia buscar por ele há 20 dias - FOTO: Divulgação/Polícia Civil
Leitura:

A morte de Lázaro Barbosa, após 20 dias de buscas em Goiás, deixa lacunas nas investigações sobre os assassinatos atribuídos a ele. O depoimento do assassino era fundamental para esclarecer o que estava por trás de cada uma das mortes, inclusive se haviam sido cometidas por ordem de alguém. 

A tese de que Lázaro era um serial killer, como o senso comum aponta, é derrubada por muitos especialistas em criminologia. A Ilana Casoy, por exemplo, uma das maiores autoridades no assunto no País, afirmou, em entrevistas, que o serial killer deixa marcas, sinais, em cada morte que comete. Planeja, dá intervalos entre os assassinatos. Para ela, Lázaro não tinha perfil de serial killer, mas de um latrocida e estuprador. 

O fato é que a polícia, ao executá-lo, nesta segunda-feira (28), pode ter perdido uma chance de evoluir nas investigações. Sem todas as peças do quebra-cabeça em jogo, a grande vitoriosa dessa "minissérie" de 20 dias pode ter sido a impunidade. 

VEJA VÍDEO:

Comentários

Últimas notícias