RÉU ESTÁ PRESO

TJPE marca júri de estudante que provocou colisão e deixou 3 mortos na Tamarineira, no Recife

Após quatro anos de tragédia, João Victor Ribeiro de Oliveira sentará no banco dos réus. Ele responde a processo por triplo homicídio doloso duplamente qualificado e por dupla tentativa de homicídio

Raphael Guerra
Cadastrado por
Raphael Guerra
Publicado em 21/12/2021 às 6:30
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Colisão entre veículos ocorreu no cruzamento da Avenida Rosa e Silva com a Rua Cônego Barata - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

Após mais de quatro anos de espera, a Justiça finalmente marcou a data do júri popular do universitário João Victor Ribeiro de Oliveira, réu por triplo homicídio doloso duplamente qualificado e por dupla tentativa de homicídio. Ele foi apontado como o responsável pela colisão que deixou três pessoas mortas e duas gravemente feridas no bairro da Tamarineira, na Zona Norte do Recife, em novembro de 2017. Desde então, permanece preso aguardando o julgamento.

A sessão do júri popular, na Primeira Vara do Tribunal do Júri Capital, foi agendada para o dia 8 de março de 2022. Na ocasião, testemunhas de acusação e defesa serão ouvidas. Também haverá o interrogatório do réu. Posteriormente, a fase de debates - momento em que o Ministério Público e advogados do réu terão tempo para apresentar seus argumentos ao júri - formado por sete pessoas. Por fim, será apresentado o veredicto. 

A colisão provocada pelo estudante ocorreu no cruzamento da Avenida Rosa e Silva com a Rua Cônego Barata. O carro conduzido por ele bateu contra o veículo que era conduzido pelo advogado Miguel da Motta Silveira. Morreram no acidente a mulher do advogado, Maria Emília Guimarães da Mota Silveira, o filho, Miguel Arruda da Motta Silveira Neto, e a babá Roseane Maria de Brito Souza. Além do advogado, a filha dele, Marcela Guimarães da Motta Silveira, também sobreviveu.

PERÍCIA

A perícia do Instituto de Criminalística revelou que o estudante estava a 108 km/h, quando o máximo permitido na via era de 60 km/h. Ele também avançou o sinal vermelho. O teste de alcoolemia registrou nível de 1,03 miligrama de álcool por litro de ar, três vezes superior ao limite permitido por lei.


Comentários

Últimas notícias