COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Coronavírus: número de casos em Pernambuco aumentou 12 vezes em 15 dias

Nas últimas duas semanas, o volume de casos de covid-19 em Pernambuco aumentou 12 vezes. Até hoje, 816 pessoas tiveram o diagnóstico confirmado da doença e 72 delas já perderam a vida

Cinthya Leite
Cadastrado por
Cinthya Leite
Publicado em 11/04/2020 às 19:47 | Atualizado em 11/04/2020 às 19:56
PIERRE-PHILIPPE MARCOU/AFP
A crise não é apenas da saúde pública; é uma crise que afeta todos os setores da sociedade. Isso já é o suficiente para frisar que todos os indivíduos têm um importante papel nesta luta a favor da vida - FOTO: PIERRE-PHILIPPE MARCOU/AFP
Leitura:

Faz exatamente um mês que a ameaça do novo coronavírus se tornou mais concreta em Pernambuco. Com o anúncio, em 12 de março (um dia após a Organização Mundial de Saúde reconhecer a covid-19 como pandemia), dos dois primeiros pacientes com diagnóstico confirmado da doença no Estado, a sensação que todos nós tivemos foi de perigo ao nosso lado. Isso aconteceu duas semanas após o Carnaval, festa que reuniu um universo sem tamanho de pessoas, que vieram de todas as cidades e países da Europa, onde a epidemia já se alargava descontroladamente naquela ocasião. Foi justamente numa Terça-Feira Gorda (25/2), quando se registrou o primeiro caso suspeito em território pernambucano, que a tensão se aproximou de nós. Dias depois, o caso foi descartado, mas nossos gestores sabiam que, para a infecção se fazer real (ou oficialmente detectada) no Estado, era uma questão de tempo. E foi.

O dia 12 de março, então, tornou-se muito marcante, com confirmação de dois casos (um casal de idosos, que fazem parte do grupo de risco para agravamento da covid-19) e, logo em seguida, um caso associado a eles (transmissão local): uma senhora de 97 anos, que felizmente está recuperada. De lá para cá, só assistimos à ascensão da nossa curva de adoecimento, de complicações e de óbitos. O sentimento é que diariamente tocamos a campainha do alarme cada vez mais alta. Nas últimas duas semanas, o número de casos de covid-19 em Pernambuco aumentou 12 vezes, e o volume de mortos acompanha essa expansão.

Atualmente, segundo dados de ontem da Secretaria Estadual de Saúde, existem 816 confirmações da doença e 72 pessoas já perderam a vida, o que representa famílias impactadas social e emocionalmente pela pandemia. Além disso, milhares de pernambucanos, como acontece em todo o mundo, lutam por suas vidas nos hospitais, seja em unidade de terapia intensiva (UTI) ou em leito de enfermaria.

Milhares de casos

Na minha opinião, fazer isoladamente essa contagem de casos e óbitos não retrata a história completa da epidemia no nosso Estado. Até porque, quando falamos em 816 pessoas (entre eles, 227 profissionais de saúde) com diagnóstico positivo do nosso coronavírus, estamos nos referindo a apenas 15% dos afetados pela infecção. São aqueles com sintomas graves e críticos, que são submetidos ao teste de diagnóstico. Ou seja, os 816 casos representam centenas entre os milhares que circulam entre nós, especialmente entre quem ainda faz questão de não respeitar o “fique em casa”.

Numa conversa, neste fim de semana, com Dr. Demetrius Montenegro, o porta-voz oficial da infectologia em Pernambuco para atualização da covid-19, chegamos a uma conta de milhares de outros casos que, por não estarem fazendo o teste (pessoas com sintomas leves e outras assintomáticas), não chegam a fazer parte das estatísticas oficiais. Os atuais 816 infectados que estão no boletim epidemiológico de ontem são, sem sobra de dúvidas, apenas os pacientes que precisaram atendimento em unidade de saúde e positivaram.

Fora desse universo, ainda temos todos os casos leves e moderados, que estão em casa, observando os sintomas e, no cenário ideal, tomando os cuidados necessários. Numa conta modesta, com o suporte do raciocínio epidemiológico, Pernambuco teria uma estimativa de 6.256 casos positivos de covid-19, segundo critério exclusivamente laboratorial. Se consideramos a possibilidade de falso-negativo entre 30% e 40% dos testes tipo RT-PCR, essa conta aumenta ainda mais. E segue ainda mais alta se pensarmos que, somado a tudo isso, há uma fatia mais difícil ainda de calcular: os assintomáticos. Sim, aqueles que, mesmo após terem sido expostos ao vírus, não apresentam sequer um quadro gripal.

O detalhe é ainda mais intrigante se fizermos a pergunta: como rastrear essa população silenciosa do novo coronavírus? Difícil. Mas há uma orientação clara: se todos nós estamos susceptíveis à infecção, estamos sujeitos a ser agentes de transmissão, se não respeitarmos as medidas de prevenção e o isolamento social.

Em casa

Então, neste momento, o melhor que temos a fazer é permanecer mesmo em casa. O governo tem, sim, que dar a segurança necessária para continuarmos a respeitar a quarentena: manter um sistema de proteção social para o grupo que será mais afetado, o das periferias, que continua sendo exposto, que continua no meio da rua porque, sem garantias, precisa se locomover para garantir o sustento de cada dia. É por isso que esta pandemia atinge toda a humanidade; toda mesmo, sem exceção. Não estamos brincando de criar pânico, como ainda algumas pessoas dizem, lamentavelmente.

A crise não é apenas da saúde pública; é uma crise que afeta todos os setores da sociedade. Isso já é o suficiente para frisar que todos os indivíduos têm um importante papel nesta luta a favor da vida. Queremos proteção para a saúde, mas também desejamos que, neste momento e mais ainda no pós-pandemia, a população consiga ter um bom suporte para minimizar os impactos socioeconômicos sem deixar de lado o respeito pelos direitos humanos. Apesar de assistirmos a uma expansão acelerada de casos que, cada vez mais, parece perder o controle, sempre é tempo de fazermos a nossa parte para caminharmos na direção contrária dessa ascensão. Mesmo longe fisicamente, temos um poder imenso para cuidarmos uns dos outros. Permaneçamos em casa!

Linha do tempo

31/12/2019 - Escritório da OMS na China foi informado sobre casos de pneumonia de etiologia desconhecida detectada na cidade de Wuhan, província de Hubei

Janeiro

07/01/2020 - Autoridades chinesas identificaram um novo tipo de coronavírus (SARS-CoV-2), a partir do isolamento, tornando possível identificação do agente causador da doença em outros pacientes

22/01/2020 - Ativação do Centro de Operações de Emergência do Ministério da Saúde brasileiro

28/01/2020 - Ministério da Saúde anuncia o monitoramente dos primeiros três casos suspeitos de covid-19 no Brasil

30/01/2020 - OMS declara que surto do novo coronavírus constitui Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional. Paralelamente, Secretaria de Saúde de Pernambuco anuncia ter deflagrado ações de vigilância epidemiológica

Fevereiro

11/02/2020 - Pernambuco faz capacitação da rede de saúde sobre coronavírus para atendimento de caso suspeito

25/02/2020 - Na Terça-Feira de Carnaval, Pernambuco anuncia monitoramento do primeiro caso suspeito no Estado. Em paralelo, a Itália confirma 11ª morte por covid-19 e 323 casos. Naquele momento, 10 nações já haviam sido atingidas pela infecção no continente europeu, como Áustria, Croácia, Espanha, França e Suíça. Além disso, a China já contabilizava com 78 mil casos

26/02/2020 - São Paulo confirma o 1º caso de covid-19 no Brasil

Março

11/03/2020 - OMS anuncia reconhecimento da covid-19 como uma pandemia, responsável naquela ocasião por 118 mil casos em 114 países e 4,2 mil mortes

12/03/2020 - Pernambuco confirma os dois primeiros casos importados do novo coronavírus no Estado: um casal de idosos (homem de 71 anos; mulher de 66 anos) moradores do Recife que tinham voltado da Itália. Além disso, um idoso canadense passa mal em navio de cruzeiro de bandeira bahamenha, que atracou no Porto do Recife na manhã daquela data. Posteriormente, ele e esposa foram positivos para covid-19. O idoso faleceu em 26 de março

17/03/2020 - Primeiro caso de transmissão comunitária do novo coronavírus confirmado em Pernambuco. A paciente, uma mulher de 63 anos, viajou internamente pelo Brasil (Rio Grande do Sul), mas não para o exterior. Além disso, naquela data, a Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo confirma primeira morte no Brasil em decorrência da doença

20/03/2020 - Anunciada, em Pernambuco, a primeira cura de paciente com covid-19. Mulher de 66 anos apresentou boa evolução clínica e se encontra estável

25/03/2020 - Primeira morte por covid-19, de um idoso de 85 anos, é confirmada em Pernambuco. Ele foi a óbito no Hospital Universitário Oswaldo Cruz. Naquela data, o Estado já somava 46 confirmações da doença

27/03/2020 - Adolescente de 15 anos, morador de São Loureço da Mata, Grande Recife, morre com covid-19

Abril

04/04/2020 - Duas técnicas de enfermagem vão a óbito por causa do novo coronavírus. Elas trabalhavam no Hospital Getúlio Vargas, na Zona Oeste do Recife

05/04/2020 - Morre mulher grávida, aos 33 anos, em decorrência da covid-19. Ela estava com 32 semanas de gestação. Cesariana de emergência foi feita para retirar o bebê, que segue internado

08/04/2020 - Pernambuco confirma 12 óbitos pela doença, a maior marca diária registrada até aquela data

11/04/2020 - Pernambuco acumula 816 casos confirmados da doença e 72 mortes pela covid-19. No Brasil, são 20.727 confirmações e 1.124 óbitos

Comentários

Últimas notícias