COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Vacina contra covid-19: Pernambuco estima receber mais 140 mil doses da CoronaVac

Secretário Estadual de Saúde, André Longo, destacou que o governo do Brasil tem 20 bilhões de reais aprovados para compra de vacinas contra a covid-19

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 28/01/2021 às 19:02
Notícia
BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Previsão é que o Instituto Butantan comece, a partir da sexta-feira (29), a liberar, para o Ministério da Saúde, mais 3,2 milhões de doses da CoronaVac - FOTO: BOBBY FABISAK/JC IMAGEM
Leitura:

Dos 3,2 milhões de doses da vacina CoronaVac que serão liberadas para o Ministério da Saúde, pelo Instituto Butantan, cerca de 140 mil devem ser enviadas para Pernambuco na próxima semana, segundo anunciou, na tarde desta quinta-feira (28), em coletiva de imprensa, o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo. "O governo federal fez uma contratação para 46 milhões de doses do Instituto Butantan. Dessas, previstas para ser distribuídas até abril, foram entregues 6.900.000 doses. Temos expectativa de que, na próxima semana, entre 3 e 4 de fevereiro, tenhamos entrega de mais 3,2 milhões de doses do Butantan ao PNI (Programa Nacional de Imunizações), dos quais 4,5% devem vir para Pernambuco", informou Longo.

O secretário disse que está sendo feito um acordo entre os Estados para que uma parte desse quantitativo geral seja destinado ao Norte do Brasil, devido ao colapso da rede de saúde dessa região. "Depois de retirada essa parte, estimamos que cerca de 140 mil doses devem vir para Pernambuco", destacou. Questionado sobre a possibilidade de o governo do Estado fazer aquisição de doses da CoronaVac diretamente com o Butantan, Longo destacou que acredita ser precipitada qualquer posição, neste momento, em relação a essa possível compra. "Isso porque o governo federal já manifestou que todas as doses disponíveis, aprovadas pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), segura e eficazes, serão adquiridas pelo PNI. O governo do Brasil tem 20 bilhões de reais aprovados, no Congresso Nacional, para compra de vacinas."

Em seguida, o secretário ressaltou que, neste momento, não seria apropriado os Estados entrarem no processo de disputa por doses. "Não parece ser o melhor caminho. Obviamente, se algo que ameace a continuidade do processo de vacinação acontecer e se houver vacinas disponíveis, obviamente que Pernambuco vai fazer todas as tratativas necessárias para garantir o imunizante. Mas o plano A é de que o governo federal faça as compras e distribua pelo PNI de forma equitativa pelos Estados", frisou André Longo.

Balanço

Até agora, 75.552 pessoas que fazem parte do público prioritário da primeira fase da campanha no Estado já foram imunizadas. Desse total, 54.390 são trabalhadores da saúde (sendo 11.518 profissionais que atuam nos hospitais do Governo de Pernambuco), 13.309 indígenas aldeados, 3.896 idosos que vivem em abrigos, 3.770 idosos acima de 85 anos e 187 pertencem ao grupo de pessoas com deficiência que vivem em instituições.

Ainda na coletiva, André Longo salientou a prioridade de vacinar o quanto antes os trabalhadores pernambucanos da saúde que atuam na linha de frente da pandemia. “Iremos completar, ao longo das próximas semanas, a vacinação de todos os trabalhadores da saúde. É preciso ficar claro que só iremos avançar para uma segunda fase depois de vacinar todo o primeiro grupo”, ressaltou.

Comentários

Últimas notícias