COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Covid-19: sem filas, pontos de drive-thru do Recife têm movimentação fraca para vacinar grupos prioritários

Diferentemente dos primeiros dias da campanha de imunização, os pontos de drive-thru estavam sem fila

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 08/02/2021 às 15:36
Notícia

FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Pontos de drive-thru do Recife para vacinação contra a covid-19 estão com movimentação fraca nesta segunda-feira (8) - FOTO: FILIPE JORDÃO/JC IMAGEM
Leitura:

A segunda-feira (8) tem sido de pouca movimentação nos pontos de drive-thru do Recife onde são aplicadas doses da vacina contra a covid-19 para grupos prioritários. Pela manhã, a reportagem do JC esteve nos postos do Geraldão (Zona Sul), do Estádio do Arruda (Zona Norte) e da Universidade Federal de Pernambuco (Zona Oeste). Diferentemente dos primeiros dias da campanha de imunização, os pontos de drive-thru estavam sem fila, e os poucos motoristas e/ou passageiros que foram a esses locais foram vacinados sem demora. 

Neste 21º dia após iniciada a campanha de imunização em Pernambuco, apenas 2.648 trabalhadores de saúde já foram vacinados com a segunda dose e finalizaram o esquema de proteção contra a doença. No Recife, a segunda aplicação do imunizante (para aqueles que receberam a CoronaVac) ainda não foi iniciada. Ao serem lançados os planos de vacinação estadual e municipal (da capital) contra o novo coronavírus, em janeiro, as gestões anunciaram que a segunda dose da CoronaVac deveria ser aplicada em um período entre duas e quatro semanas após a primeira. Na última quinta-feira (4), o governo do Estado anunciou que o Comitê de Vacinação de Pernambuco orientou, na reunião da quarta-feira (3), que a segunda dose da vacina da CoronaVac pode ser feita entre 21 e 28 dias, destacando que cada município pode utilizar a estratégia de acordo com a organização da sua rede. 

A assessoria de comunicação da Prefeitura do Recife, informou que, em breve, será feito o anúncio dessa data (aplicação da segunda dose) e como será organizado o processo de vacinação desse público.

Num momento em que a pandemia segue em alta no Estado, pesquisadores questionam a falta de celeridade para a aplicação das mesmas. Para especialistas, entre os entraves nesta campanha de imunização, está a burocratização para a população ter acesso à aplicação da vacina. "O princípio do acesso universal à saúde (base do SUS) está sendo infringido. Era para o processo ser menos complicado, e as pessoas serem aceitas para receber a dose independentemente do meio que as fez levar a uma sala de vacinação", diz a epidemiologista Ana Brito, pesquisadora da Fiocruz Pernambuco. 

Na última semana, a Rede Solidária em Defesa da Vida em Pernambuco posicionou-se sobre a obrigatoriedade do agendamento em aplicativo para idosos a partir de 85 anos. "Trata-se de uma população relativamente pequena e, em parte dela, isso tem gerado transtornos provocados pela dificuldade de acesso à internet, de manejo do aplicativo e pela ida a pontos de vacinação. Esse deslocamento se dá muitas vezes utilizando o transporte coletivo, expondo o idoso a riscos. Esse grupo tem o direito a ser vacinado em casa e com prioridade para aqueles que vivem nas periferias e em situação de maior vulnerabilidade social, indo além dos acamados", destaca o manifesto.

Doses

Nesta segunda-feira (8), esta coluna publicou que, em Pernambuco, 189.362 pessoas receberam pelo menos uma dose de vacina contra covid-19. Isso corresponde a menos da metade (48,1%) das 393.360 unidades que chegaram ao Estado, desde o início da campanha (18 de janeiro). O Estado optou, em reunião da quarta-feira (3), pela aplicação da segunda dose da vacina da CoronaVac entre 21 e 28 dias, e não mais entre duas e quatro semanas após a primeira, como havia anunciado ao lançar o plano de imunização. 

Para especialistas, o programa de imunização deveria adotar uma estratégia que alcançasse a população mais vulnerável, que não conseguem chegar a salas de vacinação nem a pontos de drive-thru. 

Em nota, a Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES) informa que, até o último domingo (7), Pernambuco já aplicou 192.010 doses da vacina contra a covid-19, das quais 189.362 foram primeiras doses. Ao todo, foram feitas a primeira dose em 105.666 dos trabalhadores de saúde (89,8% dos 117.638 contemplados com o quantitativo recebido), 22.350 da população indígena (83,6% de 26.729) e 56.068 idosos a partir dos 85 anos (74,5% de 75.159), além de 4.701 idosos em Instituições de Longa Permanência (190,9% das 2.462) e 577 pessoas com deficiência institucionalizadas (443,8% das 130), bem acima da média prevista. Em relação à segunda dose, 2.648 trabalhadores de saúde já foram vacinados e finalizaram o esquema.

"Nestas três primeiras semanas de início da vacinação contra a covid-19, Pernambuco vem, mais uma vez, mostrando sua expertise na imunização da população, se mostrando ágil na distribuição do insumo e eficaz na aplicação das doses. Dadas as condições de fornecimento de insumos, Pernambuco já provou sua agilidade na aplicação das vacinas", diz, em nota, a SES. A secretaria ainda acrescenta que "a orientação do Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação contra a Covid-19 é que a segunda dose da vacina da Sinovac/Butantan seja feita entre o 21º e 28º dia - esta segunda-feira (8) marca o 21º dia após a primeira aplicação no Estado. Essa vacina tem sido utilizada em todos os grupos prioritários do momento, exceto os idosos a partir dos 85 anos, que estão utilizando o imunizante da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz, que indica a segunda dose apenas três meses após a primeira". 

Menos de 2% imunizados

Vinte dias após ter iniciado a campanha de vacinação contra a covid-19, Pernambuco recebeu nova remessa de vacinas CoronaVac. Foram 118.200 unidades do imunizante que chegaram na manhã do domingo (7). Com isso, o Estado totaliza mais de 511 mil doses de vacinas recebidas, que inclui outros dois lotes da CoronaVac e um da AstraZeneca. Sem considerar a remessa do domingo (7), Pernambuco soma 393.360 doses que já foram distribuídas aos municípios. Até a tarde de ontem 192.010 aplicações haviam sido feitas no público prioritário: 189.362 vacinados com a 1ª dose, além de 2.648 que tomaram também a 2ª aplicação. Ao considerar o total de imunizados com a dose inicial e o percentual em relação à população do Estado, Pernambuco só tem 1,9% dos cidadãos vacinados.

A taxa ainda é um pouco maior do que a do País, que tem, em média, 3,6 milhões de pessoas vacinadas com a 1ª dose, o que representa 1,7% da população brasileira. Nessa avaliação, o Distrito Federal é a Unidade Federativa que mais imunizou: 3,2% de seus moradores. Em seguida, vêm Amazonas (2,7%), Mato Grosso do Sul (2,5%), Roraima (2,3%) e Rio Grande do Sul (2%).

Comentários

Últimas notícias