IMUNIZAÇÃO

Petrolina anuncia retomada de negociação para compra de vacinas contra covid-19

"Como o STF liberou os municípios, vamos retomar a negociação para compra, inclusive, de vacinas que ainda não estão sendo aplicadas como a da Pfizer e Sputnik", disse o prefeito, Miguel Coelho

JC
JC
Publicado em 24/02/2021 às 23:49
Notícia
JONAS SANTOS/PREFEITURA DE PETROLINA
"Manteremos com todas as nossas forças e de forma respeitosa o debate pela construção de um novo Pernambuco. Mesmo que a direção estadual de nosso partido tenha decidido manter o MDB onde está, num projeto que nada mais tem a oferecer, apenas a desesperança", disse Miguel - FOTO: JONAS SANTOS/PREFEITURA DE PETROLINA
Leitura:

O prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB), anunciou, nesta quarta-feira (24), a retomada de negociação com laboratórios para a compra de imunizantes contra a covid-19 para a cidade, no Sertão de Pernambuco. O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu, no dia anterior, que estados e municípios podem comprar e fornecer o imunizante em caso de descumprimento do Plano Nacional de Vacinação (PNI) pelo governo federal ou de insuficiência de doses previstas para imunizar a população. 

>> Pernambuco recebe mais 48 mil doses de vacina contra a covid-19

>> Recife retomará negociação para compra de vacinas contra covid-19 diretamente com laboratórios, diz João Campos

Em dezembro, Petrolina havia aberto negociação com o laboratório Butantan para a aquisição de imunizantes, mas as tratativas foram interrompidas por conta da exclusividade de compra por parte do Ministério da Saúde. "Como o STF liberou os municípios, vamos retomar a negociação para compra, inclusive, de vacinas que ainda não estão sendo aplicadas como a da Pfizer e Sputnik. Queremos vacinar o maior contingente populacional possível num curto prazo para podermos, aos poucos, retomar a vida normal e garantir a segurança da população", disse o prefeito.

Petrolina já aplicou 11,8 mil doses das vacinas produzidas pelo Butantan/Sinovac e Fiocruz/Astrazeneca/Oxford, representando a segunda maior imunização do Estado, no momento.

Comentários

Últimas notícias