COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Após segunda dose de vacina contra covid, 76% das pessoas afirmam ter medo de novas variantes do coronavírus

Mundialmente, cerca de quase mil variantes do coronavírus já foram detectadas, e uma média de 60 a 100 circulam no Brasil

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 28/09/2021 às 16:23
Notícia
FREEPIK/BANCO DE IMAGENS
Atualmente, existem quatro variantes do coronavírus classificadas como preocupantes: alfa, beta, gama e delta - FOTO: FREEPIK/BANCO DE IMAGENS
Leitura:

Pesquisa realizada pela Doctoralia aponta que 76% das pessoas têm medo de novas variantes do coronavírus, mesmo após estarem completamente imunizadas contra a doença. Para o levantamento, 1.726 pessoas foram entrevistadas, a maioria do sexo feminino, entre 36 e 45 anos. Mundialmente, cerca de quase mil variantes do coronavírus já foram detectadas, e uma média de 60 a 100 circulam no Brasil.

Atualmente, existem quatro variantes do coronavírus classificadas como preocupantes: alfa, beta, gama e delta. Outras cinco são chamadas de "variantes de interesse", como a mu, a última identificada que, inclusive, tem mutações que podem indicar resistência às vacinas, assim como a beta.

Porém, um dado que chama atenção na pesquisa da Doctoralia é que, mesmo com a insegurança em meio às variantes do vírus, 52% dos entrevistados responderam que, após completarem o esquema vacinal, se sentem confortáveis em estar na presença de grupos com mais de dez pessoas. Até 17 de setembro, 78.819.237 brasileiros brasileiros completaram o esquema vacinal, o que corresponde a 36,95% da população.

No entanto, ter tomado duas doses da vacina não dispensa os cuidados e as precauções com a pandemia. "O ideal é evitar aglomerações, uma vez que estamos falando de uma doença de transmissão respiratória, e nenhuma vacina é 100% eficiente", explica o infectologista Ricardo Paul Kosop, membro da Doctoralia.

O especialista também alerta para a importância de não deixar de lado as medidas de segurança, no intuito de diminuir a circulação do vírus até que a maioria da população esteja vacinada e, consequentemente, a pandemia esteja sob controle. "Caso opte por encontrar outras pessoas, dê preferência a pequenos grupos e, se puder, que seja ao ar livre ou com o uso de máscaras bem ajustadas ao rosto", completa.

Na pesquisa, quando questionados sobre as medidas de prevenção que seguiriam tomando, 37% afirmaram que não abonarão o uso da máscara mesmo após a imunização completa, 34% continuarão utilizando álcool em gel, 28% respeitarão o isolamento social e apenas 1% não pretende tomar nenhuma medida de prevenção. Mais de uma opção poderia ser selecionada.

Evento virtual

Para esclarecer dúvidas sobre o tema, a Doctoralia promoverá uma live com o infectologista Ricardo Paul Kosop, nesta terça-feira (28), às 18h30, no perfil da plataforma no Instagram www.instagram.com/doctoralia_br. O bate-papo é aberto para questionamentos e abordará os principais temas envolvendo covid-19 e imunização.

Comentários

Últimas notícias