Coronavírus

Apesar de pré-cadastros, não há previsão para vacinação contra covid-19 de crianças a partir dos 2 anos, diz Longo

Segundo o secretário de Saúde, imunização do grupo depende de autorização da Anvisa

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 14/10/2021 às 17:49
Notícia
HEUDES RÉGIS/SEI
André Longo, secretário de Saúde de Pernambuco - FOTO: HEUDES RÉGIS/SEI
Leitura:

Em coletiva de imprensa na tarde desta quinta-feira (14), o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, afirmou que o atual cenário epidemiológico da covid-19 no Estado é de estabilidade, com indicadores se mantendo em patamares mais baixos do que no mesmo período do ano passado. O auxiliar do governador Paulo Câmara explicou, ainda, que apesar de algumas prefeituras já estarem pré-cadastrando crianças a partir dos 2 anos para a vacinação, ainda não há previsão de quando esse público começará a ser imunizado, e lembrou que, neste momento, a prioridade da gestão estadual é a finalização do esquema vacinal da população apta a receber as doses.

"A gente sabe que algumas prefeituras abriram seus pré-cadastros para conhecer esse público através dos seus aplicativos, mas nós não temos ainda a liberação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária para a vacinação de pessoas com menos de 12 anos de idade. Há estudos sendo publicados, alguns países já iniciaram essa vacinação, inclusive com vacinas de plataforma de vírus inativado, como é o caso da Coronavac, mas não há a liberação da Anvisa", pontuou o secretário.

>> Pernambuco tem mais de quatro milhões com esquema vacinal completo contra covid-19

>> Força-tarefa em Pernambuco para melhorar aprendizado e diminuir evasão provocada pela pandemia de covid-19

>> Covid-19: Brasil ultrapassa 100 milhões de pessoas com esquema vacinal completo

>> Com influência do feriadão, Pernambuco confirmou duas mortes por covid-19 nas últimas 24 horas

Em seguida, Longo usou o momento para pedir que pessoas que já receberam a primeira dose do imunizante não deixem de tomar a segunda e que os idosos não esqueçam a dose de reforço. "O foco que as pessoas devem ter é na necessidade de se ampliar a cobertura com as duas doses para o ciclo completo e trabalhar o público mais vulnerável, os idosos acima de 60 anos e aquelas pessoas que têm alguma baixa na imunidade. Essas pessoas precisam ser atendidas de forma prioritária", declarou.

Assista a coletiva completa:

No pronunciamento à imprensa, o secretário de Saúde também convocou a população a participar do Dia D da Campanha de Multivacinação, para atualização da caderneta de crianças e adolescentes. O gestor afirmou que a baixa adesão desse grupo à vacina contra a covid-19 preocupa, mas que a imunização contra outras enfermidades não pode ser negligenciada.

"Estamos preocupados com a baixíssima cobertura das vacinas para este público. Muitas das doenças que são evitáveis por esses imunizantes são ainda mais graves para as crianças do que a covid-19. Com as atuais coberturas, todos, mas especialmente as crianças, estão correndo perigo. É cada vez mais latente o risco do retorno de doenças que estavam erradicadas ou com baixa ocorrência, até porque não atingimos meta para nenhuma das vacinas indicadas para o público infantil em 2021", destacou.

O Dia D será realizado no próximo sábado (16), em 2,4 mil postos de vacinação distribuídos por todo o Estado. "Para revertermos a situação e protegermos nossas crianças precisamos que vocês, pais, mães ou responsáveis compareçam ao posto de vacinação mais próximo para que um profissional de saúde faça a análise do cartão e, se necessário, aplique as doses em atraso. O acesso às vacinas é um direito de todas as crianças e adolescentes. Se você ama seu filho, não deixe de levá-lo a um posto de vacinação", disse André Longo.

Questionado sobre as declarações de alguns parlamentares governistas, que afirmaram na semana passada que o governador havia voltado atrás na exigência de vacinação completa ou teste negativo de covid-19 para frequentadores de celebrações religiosas com mais de 300 pessoas, o secretário afirmou que as regras continuam valendo no Estado.

"O decreto está em vigor, ele vale para todas as situações acima de 300 pessoas e não há, nesse momento, nenhum recuo por parte do governo", cravou o médico.

A covid-19 em Pernambuco

A análise semanal dos dados da SES-PE mostra que a covid-19 apresenta momento de estabilidade no Estado. "Na Semana Epidemiológica 40, encerrada no último sábado, que compreende o período entre 03 e 09 de outubro, foram registrados 454 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), o que representa 28 a mais que a Semana 39 (03 a 09.10). Ao mesmo tempo, 36 a menos que o registrado na semana 38 (26.09 a 02.10)", explica o governo.

Com relação às solicitações por vagas de UTI, foram registrados 246 pedidos na semana 40. Este número é praticamente o mesmo da semana 39, quando foram 247, e 35 a menos do que o registrado na semana 38 (281 solicitações).

Comentários

Últimas notícias