Vacina contra covid-19

Covid-19: Pernambuco amplia público para dose de reforço da vacina

Nova orientação contempla população de 18 a 54 anos, que receberá dose após 5 meses da finalização do esquema. Prazo de 4 meses permanece para trabalhadores de saúde e pessoas acima dos 55 anos

Giovanna Torreão Julianna Valença
Giovanna Torreão
Julianna Valença
Publicado em 17/11/2021 às 14:51
Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
A pesquisa contou com a participação de 104 pessoas vacinadas contra a covid-19 - FOTO: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Leitura:

A partir desta quarta-feira (17) os municípios pernambucanos estão autorizados a iniciar a aplicação da 3ª dose reforço contra a covid-19 no público maior de 18 anos. O grupo poderá receber o imunizante após cinco meses de finalização do esquema vacinal com duas doses. A decisão acontece um dia após declarações do Ministério da Saúde e foi analisada e recomendada pelos representantes do Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação e pactuada com os gestores municipais em reunião da Comissão Intergestores Bipartite (CIB), realizada na manhã desta quarta-feira (17).

>> Anvisa afirma que não foi consultada sobre ampliação de doses de reforço contra a covid-19, diz veículo

>> Covid-19: Ministério da Saúde reduz intervalo e libera dose de reforço da vacina para toda população adulta

Ainda por decisão da Comissão, os trabalhadores de saúde e pessoas acima dos 55 anos receberão o reforço com o intervalo de 4 meses. Também não há modificação do tempo de aplicação para as pessoas com alto grau de imunossupressão, que será mantido em 28 dias após a última dose do esquema básico.

Para o público em geral, acima de 18 anos, a orientação do Ministério da Saúde é que a aplicação da dose adicional seja realizada, preferencialmente, com a Pfizer ou, de maneira alternativa, Janssen ou Astrazeneca. De acordo com o governo estadual, o Programa Estadual de Imunizações (PEI-PE) realiza levantamento junto aos municípios do Estado sobre a necessidade do envio de novas doses de acordo com a população a ser vacinada, estoques e capacidade de armazenamento de cada território.

O Comitê ainda orientou que as cidades do Recife e de Jaboatão dos Guararapes, que realizaram ampliações em suas campanhas de reforço (a partir dos 50 anos), devem manter suas estratégias visando a vacinação do público já agendado e para garantir que este receba a proteção em tempo oportuno.

Imunizados com Janssen

Quem recebeu o imunizante da Janssen também precisa tomar uma dose de reforço, neste caso sendo a segunda. A medida foi anunciada na última terça-feira (16) pelo Ministério da Saúde que, segundo a gestão estadual, irá encaminhar aos Estados, ainda essa semana, novos quantitativos de doses da Janssen para que os municípios iniciem as aplicações de segunda dose.

O secretário estadual de Saúde, André Longo, disse que Pernambuco se apenhará para garantir a segunda dose da Janssen para quem concluiu o primeiro ciclo. "São 173 mil pernambucanos que, após 60 dias, com essa nova definição, precisam tomar a segunda dose. Nossa expectativa é de distribuir para os municípios, neste final de semana, as doses necessárias para fazer essa segunda dose”, afirmou o secretário.

Após concluírem a imunização com duas doses da vacina Janssen, a gestão estadual orienta que  os cidadãos também procurem os pontos de vacinação, após cinco meses do esquema completo heterólogo (dose de Janssen somado à dose de reforço). Uma última dose será aplicada neste público, sendo a terceira, só que desta vez do imunizante da Pfizer. Com as novas recomendações, a segunda dose da Janssen será aplicada com intervalo mínimo de oito semanas (2 meses) após a primeira.

Campanha

Ainda de acordo com o secretário, é necessário que sejam feitas ações de envolvimento da população para finalização de seus esquemas vacinais. Os municípios enfrentam desafios para concluir o esquema de duas doses. “Pernambuco vai participar ativamente da Campanha de Mega Vacinação, que foi anunciada ontem pelo Ministério da Saúde, com foco nas 600 mil pessoas que hoje estão com a segunda dose atrasada, e também na intensificação da dose de reforço", declarou André Longo.

A Campanha deve acontecer ainda no mês de novembro, entre os dias 20 a 26 de novembro. "Temos que atacar os bolsões de não vacinados com segunda dose antes do nosso período de sazonalidade, previsto para os primeiros meses de 2022. É o momento de mobilizar as Unidades de Saúde da Família e agentes comunitários para ir em busca dessas pessoas”, finalizou André Longo.

Comentários

Últimas notícias