COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Surto: no Recife, hospital particular notifica 6 casos de lesões de pele misteriosas

O primeiro caso, no hospital, foi registrado no dia 10 de novembro

Cinthya Leite
Cadastrado por
Cinthya Leite
Publicado em 19/11/2021 às 14:50 | Atualizado em 19/11/2021 às 15:04
FREEPIK/IMAGEM ILUSTRATIVA
PELE Os sinais e sintomas mais comuns são lesões na pele e coceira. Em Pernambuco, 12 cidades registraram casos - FOTO: FREEPIK/IMAGEM ILUSTRATIVA
Leitura:

Nesta sexta-feira (19), o Real Hospital Português (RHP), localizado no bairro de Paissandu, área central do Recife, informa que já notificou seis casos de pessoas com lesões na pele sem causa definida. A confirmação vem após a capital pernambucana e Camaragibe terem anunciado que investigam dezenas de casos que apresentaram lesões na pele e coceira. "O Real Hospital Português confirma que notificou o primeiro caso suspeito de erupção cutânea no dia 10 de novembro. Até hoje, foram notificados seis casos. Todos os pacientes tiveram alta no mesmo dia, com atendimento apenas na emergência do hospital", diz, em nota, o RHP.

Leia também: 

Na quinta-feira (19), a Secretaria de Saúde do Recife (Sesau) informou que já foram registradas 79 pessoas com essa condição, com idades entre 2 e 96 anos, com os mesmos sintomas. As ocorrências são de diversos bairros da capital pernambucana. A Sesau diz que a condição está sendo investigada como um surto de "lesões cutâneas (de pele) a esclarecer". 

Devido ao número de casos no Recife, a Sesau emitiu um alerta epidemiológico para que as unidades de saúde das redes pública e privada notifiquem, imediatamente, o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) do Recife após o atendimento de um caso suspeito. Os sinais e sintomas mais comuns são lesões na pele e prurido (coceira). 

"O período de início dos sintomas dos casos notificados variou entre os dias 1º de outubro e 11 de novembro. Não há registro de hospitalização nem de agravamento dos casos até agora", diz, em nota, a Sesau.

Ainda segundo a secretaria, os casos têm sido discutidos com a equipe clínica, a fim de identificar essa condição. "As investigações epidemiológica, entomológica e laboratorial estão em andamento", acrescenta. 

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) diz que o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância à Saúde (Cievs) só foi notificado pelo município do Recife sobre um surto de casos envolvendo o aparecimento de lesões cutâneas e prurido (coceira). "Desde a notificação dos casos, a SES-PE está acompanhando a evolução das investigações realizadas pela Secretaria de Saúde do Recife (Sesau) e dando o apoio técnico necessário."

Camaragibe 

A Prefeitura de Camaragibe, por meio da Secretaria de Saúde, também investiga a notificação de 60 casos de lesões cutâneas a esclarecer, manifestadas em moradores que buscaram atendimento no Hospital Aristeu Chaves, principal emergência do município. A informação foi divulgada, nesta sexta-feira (19), pela prefeitura. 

O diretor em Vigilância em Saúde de Camaragibe, Geraldo Vieira, informou que, na cidade, os primeiros casos surgiram, há 15 dias, no bairro de Ostracil, em uma escola municipal. "A nossa equipe de vigilância ambiental foi até o local e iniciou a investigação. Depois, pessoas de localidades próximas, como Aldeia e Tabatinga, começaram a apresentar os sinais e sintomas.

"A maioria são adultos. O quadro dura pouco tempo, de dois a três dias, principalmente se depois que o paciente recebe assistência e inicia uso de antialérgico (sempre com orientação médica). Em outras pessoas, os sintomas são autolimitados (sem exigir tratamento e se resolve espontaneamente)", explica Geraldo Vieira. Ele acrescenta que algumas lesões parecem ter sido desencadeadas por picadas de insetos, mas ressalta que ainda é cedo para afirmar a causa do problema. "Também investigamos se as lesões na pele podem ter relação com água ou plantas", complementa.

Comentários

Últimas notícias