IMUNIZAÇÃO

Conecta Recife vacina: perguntas e respostas sobre vacinação de crianças contra covid-19

O Recife começa, neste sábado (15), a vacinar crianças entre 5 e 11 anos contra covid-19

Amanda Azevedo
Cadastrado por
Amanda Azevedo
Publicado em 14/01/2022 às 19:20 | Atualizado em 14/01/2022 às 20:11
NELSON ALMEIDA / AFP
Vacina infantil contra a covid-19 da Pfizer - FOTO: NELSON ALMEIDA / AFP
Leitura:

O Recife começa, neste sábado (15), a vacinar crianças entre 5 e 11 anos contra covid-19. Para agendar, é preciso acessar o site do Conecta Recife ou o aplicativo do Conecta Recife. Confira abaixo uma lista de perguntas e respostas disponibilizada pela Prefeitura do Recife a respeito da imunização dessa faixa etária.

Por que é importante vacinar as crianças contra a covid-19?

Desde o início da pandemia, ao menos 2.500 crianças e adolescentes, de zero a 19 anos, morreram em decorrência da covid-19 no Brasil. Destas, 300 tinham entre 5 e 11 anos. Pelo menos 1.400 crianças foram diagnosticadas com a Síndrome Inflamatória Multissistêmica associada ao SARS-CoV-2, e atualmente, são elas que correm mais risco diante de novas variantes altamente transmissíveis, como a ômicron, por não estarem protegidas, segundo dados do Ministério da Saúde. Porém, esse cenário poderia ser minimizado se as crianças brasileiras tivessem sido vacinadas contra a Covid-19, como já acontece em diversos países do mundo.

A vacina para as crianças já teve aprovação pelas principais agências reguladoras pelo mundo (European Medicines Agency, Food and Drug Administration - dos Estados Unidos, Divisão de Alimentos e Produtos para a Saúde do Canadá) e, além disso, segue os mesmos critérios da vacinação de adultos, reduz a transmissão da covid-19 e previne casos graves e mortes.

A vacinação infantil contra a covid-19 vem sendo sendo adotada em outros países?

Sim. Ainda em dezembro, mais de 30 nações já começaram a vacinar crianças contra o novo coronavírus: Alemanha, Argentina, Áustria, Bahrein, Bélgica, Bolívia, Canadá, Chile, China, Chipre, Costa Rica, Cuba, Dinamarca, Equador, El Salvador, Emirados Árabes Unidos, Espanha, Estados Unidos, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Indonésia, Irlanda, Israel, Itália, Letônia, Malta, Portugal, Singapura.

SEBASTIEN BOZON / AFP
Países como a França já estão vacinando crianças contra covid-19 - SEBASTIEN BOZON / AFP

Qual o imunizante recomendado neste momento para a vacinação infantil?

O imunizante que será utilizado para a vacinação das crianças de 5 a 11 anos é o da Pfizer, o único aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) até agora para o público infantil.

Quais crianças serão contempladas nesta primeira fase da vacinação?

Neste primeiro momento, a vacinação começará com crianças de 5 a 11 anos com doenças neurológicas crônicas e com distúrbios do desenvolvimento neurológico, com prioridade para Síndrome de Down e Autismo. Após esse primeiro momento, progressivamente, outras condições especiais de prioridade serão inseridas na vacinação e, em seguida, a aplicação será feita por faixa etária para as demais crianças. As demais crianças que não estão inseridas nesta primeira fase precisam aguardar a abertura de novos grupos.

São consideradas doenças neurológicas crônicas:

  • Doença cerebrovascular (acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico; ataque isquêmico transitório; demência vascular);
  • Doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular;
  • Deficiência neurológica grave;
  • Doença neurológica com comprometimento de deglutição ou situação que aumente risco de doença pulmonar, doenças infectocontagiosas ou doença cardiovascular;
  • Acidente Vascular Encefálico Mielite Transversa Paralisia cerebral com descrição de limitações;
  • Esclerose múltipla;
  • Paralisia cerebral

Onde pode ser feito o cadastro e o agendamento no Recife?

É necessário fazer o agendamento da vacinação pelo site ou aplicativo do Conecta Recife. No ato do cadastramento, devem ser anexados comprovante de residência no nome de um dos pais ou responsáveis, documentação de identificação da criança (como identidade ou certidão de nascimento), documento com foto de um dos pais ou responsável, além de documento comprobatório de filiação ou tutela.

Para comprovar a condição de comorbidade, ou de doença neurológica, é obrigatório anexar, durante o agendamento, um laudo ou declaração de comprovação. Nesse primeiro momento, será aceita - como documento comprobatório de comorbidade ou transtornos do desenvolvimento - uma declaração, em modelo fornecido pela Secretaria de Saúde do Recife (clique aqui para baixar), que deve ser preenchida e assinada por médico, ou laudo médico que contenha uma das comorbidades e/ou transtornos elencados com o respectivo CID (Classificação Internacional de Doenças) da doença/condição. Os documentos anexados no Conecta Recife também devem ser levados no dia agendado para vacinação. A declaração ou o laudo precisam ser originais e ficarão retidos no local. Apenas as crianças com síndrome de down estão isentas da declaração, tendo em vista que a informação poderá ser autorreferida.

A dosagem de criança é diferente daquela apresentada para os adultos?

A dose do imunizante para as crianças é menor do que para os adultos. Cada dose terá 0,2ml (equivalente a 10 microgramas).

O rótulo da vacina terá uma cor diferente?

Para evitar falha na aplicação e facilitar a identificação pelas equipes de vacinação (e também pelos pais, mães e responsáveis que levarão as crianças para serem vacinadas), o frasco da vacina tem a cor laranja no rótulo.

NELSON ALMEIDA / AFP
Vacina da Pfizer contra covid-19 para crianças - NELSON ALMEIDA / AFP

Existe a possibilidade de alguma reação?

Em geral, os efeitos colaterais nesse grupo também foram semelhantes aos observados em pessoas mais velhas. No estudo clínico em crianças, não houve relato de evento adverso sério por conta da vacinação comparado com placebo. Os participantes experimentaram apenas efeitos colaterais leves, como dor no local da injeção, fadiga e dor de cabeça, que eram mais frequentes após a segunda dose.

Reações adversas de crianças de 5 a 11 anos à vacina de covid-19 são raríssimas, segundo o órgão governamental Centro de Controle de Doenças dos EUA (CDC). A constatação foi feita na publicação de 31/12/21, de uma revisão de dados levantados, após 8,7 milhões de doses terem sido aplicadas nessa faixa etária no país. Segundo o relatório semanal do CDC, foram recebidos, entre 3 de novembro e 19 de dezembro de 2021, um total de 4.249 comunicados de efeitos adversos no universo de 8,7 milhões de doses aplicadas neste grupo etário, com idade média de 8 anos.

Há alguma contraindicação para a vacina em crianças?

Segundo especialistas que atuaram na aprovação junto à Anvisa para autorizar o uso da vacina para meninos e meninas, não há contraindicação para aplicação em nenhuma criança, só para as que apresentarem (alta) reação com a primeira aplicação.

Será preciso aguardar 20 minutos no Centro de Vacinação depois da vacina?

Sim. Segundo a Anvisa, as crianças devem permanecer 20 minutos no local da aplicação para observação e as equipes que aplicarão a vacina devem ser treinadas para isso. De acordo com a Anvisa, a maioria dos eventos adversos pós-vacinação ocorre por aplicação da dose inadequada e da preparação errada do produto de acordo com a faixa etária.

 

 

Comentários

Últimas notícias