Vacina

Pernambuco já tem a primeira criança vacinada contra a covid-19

As primeiras doses da Pfizer chegaram no Aeroporto do Recife na manhã desta sexta-feira (14), às 10h50

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 14/01/2022 às 15:21
DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
João Campos, prefeito do Recife, dá início à vacinação infantil contra covid-19 no Recife - FOTO: DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
Leitura:

Matéria atualizada às 16h15

Pernambuco já tem a primeira criança vacinada contra a covid-19 na faixa etária de 5 a 11 anos. Maria Antônia, de 11 anos, tem síndrome de Down e recebeu a primeira dose do imunizante às 14h. Com a presença do prefeito do Recife, João Campos, a vacinação simbólica foi realizada nesta sexta-feira (14), na Associação Afeto, no bairro da Encruzilhada, Zona Norte do Recife. Somente a equipe da Rede Globo foi autorizada pelo Estado e pela Prefeitura a acompanhar a cerimônia simbólica.

"Depois, o nosso time de mini-heróis foi completado por Laura Leite, de 9 anos, e Bella Carvalho, de 7 anos, que também têm Síndrome de Down; Luan Azevedo, de 11 anos, que tem paralisia cerebral, Arthur Melo, de 8 anos, com autismo; e Lucas Silva, de 8 anos, e Rafaela Maia, de 8 anos, também com Síndrome de Down", explicou João Campos, em publicação nas redes sociais.

O gestor também anunciou que o agendamento para a vacinação infantil já está aberto. "A partir de agora, o nosso agendamento está aberto e, amanhã, a nossa cidade seguirá imunizando essa faixa etária em centros específicos, cuidadosamente preparados para acolher as crianças e suas família', completou.

As primeiras doses do imunizante da Pfizer - único aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) até agora para o público infantil - chegaram no Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes, nesta manhã, às 10h50.  As 60 mil doses encaminhadas pelo Ministério da Saúde, seguiram para sede do Programa Estadual de Imunizações (PNI-PE), em Casa Amarela, Zona Norte do Recife, onde é feita uma conferência de cada unidade. 

De acordo com as informações divulgadas pela Prefeitura do Recife, a vacina será aplicada de domingo a domingo, das 7h30 às 18h30, sendo necessário fazer o agendamento pelo site ou aplicativo do Conecta Recife, em centros exclusivos voltados para a vacinação de crianças: no Sest Senat, na Unicap, na Faculdade Universo e na UFPE.

De acordo com Samuel de Oliveira, 44 anos, técnico em manutenção e pai de Maria Antônia Oliveira, a primeira beneficiada com a vacina, o momento é de gratidão. "Estou feliz porque chegou a vez dela e graças a Deus todos nós já estamos vacinados, eu já estou com a terceira dose. A expectativa era muito grande, a ansiedade era enorme, então eu vim o mais rápido possível, não me importei com o tempo. Eu costumo dizer que o melhor para ela é o melhor para nós”, disse Oliveira.

E a defensora pública Natalie Leite, 40 anos, mãe de Laura, esclareceu porque a vacina era tão esperada, especialmente, por quem tem filhos com síndrome de down: "a cada dia que passa, a gente vive numa eterna insegurança, porque nossos filhos são imunossuprimidos, eles têm a imunidade mais baixa, e, principalmente, na questão respiratória, qualquer tipo de comprometimento já se torna mais grave. Então com a covid, já há dois anos, a gente vive com essa espada na cabeça, essa ameaça, em relação a saúde de nossos filhos", declarou.

"E a vacina chegou numa hora importantíssima em que a gente está tendo retorno dessas novas variantes, juntando com a nova gripe, então a vacina dá um alento. A gente sabe que todo mundo precisa se vacinar e os adultos já estão nesse caminho e faltava as crianças e em especial as crianças com Síndrome de Down. É um alívio saber que nossos filhos vão ter a liberdade de retornar ao convívio social, a escola e voltar as terapias, serem novamente incluídos na sociedade, porque ficaram muito tempo afastados por uma questão de segurança", finalizou a defensora pública.

Para comprovar a condição de comorbidade, é obrigatório anexar, durante o agendamento, um laudo ou declaração informando a comorbidade. Nesse primeiro momento, será aceita - como documento comprobatório de comorbidade ou transtornos do desenvolvimento - uma declaração, em modelo fornecido pela Secretaria de Saúde do Recife (disponível no Conecta Recife), que deve ser preenchida e assinada por médico, ou laudo médico que contenha uma das comorbidades e/ou transtornos elencados com o respectivo CID (Classificação Internacional de Doenças) da doença/condição.

Os documentos anexados no Conecta Recife também devem ser levados no dia agendado para vacinação. A declaração ou o laudo precisam ser originais e ficarão retidos no local. Apenas as crianças com síndrome de down estão isentas da declaração, tendo em vista que a informação poderá ser autorreferida.

Os pais ou responsáveis devem estar presentes, manifestando sua concordância com a vacinação, munidos de documento de identificação do adulto e da criança, além do comprovante de residência no Recife. Em caso de ausência de pais ou responsáveis, a vacinação deve ser autorizada por um termo de consentimento por escrito. Para esses casos, além do termo de autorização, a pessoa que for acompanhar a criança deve levar documento que comprove a relação de parentesco, bem como o documento da criança e o comprovante de residência.

A vacinação para crianças também vai contar com um cartão de vacinação especial para o público infantil, além da entrega de um Certificado de Criança Super Vacinada, uma forma de estimular a garotada na hora da aplicação da vacina. No Certificado, o MC Gotinha ostenta uma capa de super-herói e o documento traz dizeres de incentivo em linguagem jovem e contemporânea.

A estimativa populacional no Recife, de pessoas entre 5 e 11 anos (segundo estimativa do Ministério da Saúde, baseada no IBGE), é de 159.558 mil crianças. Desse total, até agora 40.261 estão cadastradas nessa faixa etária no Conecta Recife. A Prefeitura do Recife se antecipou e, desde agosto, abriu o cadastramento no Conecta Recife para todas as pessoas nessa faixa etária. O cadastro é fundamental para que a gestão possa continuar o planejamento da imunização deste público. No ato do cadastramento, devem ser anexados comprovante de residência no nome dos pais ou responsáveis, documentação da criança ou adolescente, do pai ou responsável, além de documento comprobatório de filiação ou tutela.

 

DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
João Campos, prefeito do Recife, dá início à vacinação infantil contra covid-19 no Recife - DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
Vacinação infantil contra covid-19 no Recife - DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
Vacinação infantil contra covid-19 no Recife - DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
João Campos, prefeito do Recife, dá início à vacinação infantil contra covid-19 no Recife - DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR
Vacinação infantil contra covid-19 no Recife - DANIEL TAVARES/DIVULGAÇÃO PCR

 

 

Em publicação feita por meio do Twitter, o governador Paulo Câmara afirmou que as vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde devem ser distribuídas para todos os municípios pernambucanos neste sábado (15). "Diante do recebimento abaixo do esperado, precisamos definir de forma criteriosa as prioridades nesse público. Nossa orientação é que os imunizantes sejam dados a crianças com doença neurológica crônica e com distúrbios do desenvolvimento neurológico, priorizando a Síndrome de Down e o autismo. A população indígena também será priorizada neste primeiro momento. Os pais e tutores devem seguir as orientações dos seus municípios para a vacinação das crianças", publicou o gestor.

 

 

Pontos de vacinação específicos para o público infantil no Recife:

Inicialmente, quatro locais estão destinados para aplicação da dose das crianças: na sede do Sest/Senat (Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte), na entrada pela rua Dalva de Oliveira, 115, em Porto da Madeira, e na UFPE (Universidade Federal de Pernambuco), próximo à Casa do Estudante, na Cidade Universitária. Na Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), a vacina será aplicada no Bloco A, mesmo local que já ocorre a aplicação das doses comuns. A Faculdade Universo, localizada na Av. Mal. Mascarenhas de Morais, 2169, no bairro da Imbiribeira, também será um ponto de vacinação pediátrica. 

Serão duas doses da vacina da Pfizer, com intervalo de oito semanas entre elas. A dose do imunizante para as crianças é menor do que para os adultos. Cada dose terá 0,2ml (equivalente a 10 microgramas). Para evitar qualquer falha na aplicação e facilitar a identificação pelas equipes de vacinação, o frasco da vacina para as crianças tem tampa laranja.

Primeira criança vacinada contra covid-19 no Brasil

Em cerimônia no Hospital das Clínicas, na área central de São Paulo, o governador João Doria (PSDB) acompanhou a vacinação contra covid-19 da primeira criança no País. Davi, 8, da etnia Xavante, foi a primeira criança a receber a vacina pediátrica da Pfizer nesta sexta-feira (14). Além dele, outras sete crianças com comorbidades foram vacinadas. As informações são da agência Estadão Conteúdo.

NELSON ALMEIDA / AFP
Davi Xavante, 8 anos, primeira criança vacinada contra covid-19 no Brasil - NELSON ALMEIDA / AFP

O evento ocorreu no mesmo hospital onde a enfermeira Mônica Calazans recebeu, há quase um ano, em 17 de janeiro de 2021, a primeira dose de vacina contra covid no Brasil. À época, ela foi imunizada com Coronavac, do Instituto Butantan, do governo de São Paulo - o medicamento havia sido liberado naquele mesmo dia pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A cerimônia de hoje repetiu o jogo político de Doria, que novamente se antecipou ao governo federal e iniciou a imunização dessa nova faixa etária assim que as doses da vacina foram liberadas pelo Ministério da Saúde.


Comentários

Últimas notícias