O aumento da carga de saúde mental

Publicado em 27/03/2022 às 0:00
FREEPIK/BANCO DE IMAGENS
O acompanhamento psicológico ajuda que cada pessoa possa compreender as emoções e aprender a como lidar com elas de forma menos sofrida possível - FOTO: FREEPIK/BANCO DE IMAGENS
Leitura:

Não é de agora que a saúde mental é uma área negligenciada da saúde coletiva no Brasil. Infelizmente faz tempo que as pessoas têm dificuldade de ter acesso a serviços de psiquiatria e psicologia na rede pública. E atualmente, com os efeitos da pandemia de covid-19, o que vemos é um efeito devastador sobre a saúde mental e o bem-estar das populações, especialmente das Américas, bem como o impacto da interrupção de serviços em toda a região. Uma recente publicação da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) mostra que, nesta crise sanitária, mais de quatro, em cada dez brasileiros, tiveram problemas de ansiedade; os sintomas de depressão aumentaram cinco vezes no Peru; e a proporção de canadenses que relataram altos níveis de ansiedade quadruplicou como resultado da pandemia. Esses são alguns dos destaques que estão no documento Fortalecendo as respostas de saúde mental à covid-19 nas Américas: uma análise e recomendações de políticas de saúde, publicado na revista científica The Lancet Regional Health - Américas.

"A mensagem é clara: temos operado em modo de crise desde o início da pandemia", afirmou o diretor de Doenças Não Transmissíveis e Saúde Mental da Opas, Anselm Hennis. "Além de controlar o medo de adoecer e o trauma de perder entes queridos com o coronavírus, o povo das Américas tem sofrido com o desemprego, a pobreza e a insegurança alimentar, e o impacto adverso sobre a saúde mental foi generalizado", acrescentou.

O documento também analisa a saúde mental das pessoas que foram infectadas pelo coronavírus. "Os dados sugerem que um terço das pessoas que sofreram com covid-19 foram diagnosticadas com transtorno neurológico ou mental", disse a principal autora do artigo da Opas, Amy Tausch. Ela prevê que haverá um aumento da carga de saúde mental como um dos efeitos mais impactantes da covid-19 a longo prazo. "Os governos devem aproveitar a pandemia como uma oportunidade para reforçar serviços de saúde mental e fazer investimentos necessários para reconstruir cada vez melhor", enfatizou o chefe da Unidade de Saúde Mental e Uso de Substâncias da Opas, Renato Oliveira.

APOIO NO RECIFE

Para ajudar as pessoas que precisam de serviço terapêutico, o UniFBV Wyden fornece gratuitamente atendimento psicológico de forma presencial. O apoio é feito por alunos da instituição, sob vistoria de professores e supervisores. Podem ser atendidos crianças, adolescentes, jovens adultos e idosos. O cadastro para atendimento pode ser feito pelo telefone 81 3081-4428; pelo e-mail nisclinicapsicologia@gmail.com ou de forma presencial, das 9h às 12h, de segunda a sexta-feira, na Rua Jean Emile Favre, 422, Imbiribeira, Zona Sul do Recife.

Também é possível buscar acompanhamento terapêutico gratuito no Serviço de Psicologia Aplicada da Estácio, no Prado, Zona Oeste do Recife. São realizadas consultas com pacientes de todas as idades por estudantes de psicologia, supervisionados por professores e coordenadores. As consultas acontecem presencialmente, às terças, quartas, quintas e sextas-feiras. Informações e agendamento pelo telefone: 81 3225-8901.

 

FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Cinthya Leite, colunista de saúde - FOTO:FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM

Terapia no Hospital do Idoso

Terapia no Hospital do Idoso

O Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa (HECPI), no bairro de Areias, Zona Oeste do Recife, passa a oferecer grupo terapêutico com até oito participantes. A atividade faz parte do atendimento ambulatorial em psicologia voltado para pessoas a partir dos 60 anos. A criação do grupo vem das principais demandas trazidas pelos pacientes nas consultas.

Atualmente, a coordenação é realizada pela psicóloga Rita de Kássia e, durante as vivências, o grupo tem um objetivo a ser atingido buscando a melhoria de aspectos individuais e coletivos. "Na proposta, estruturamos cinco encontros em torno do tema selecionado. Buscamos também transformar o ambiente em um lugar de respeito e sigilo das vivências compartilhadas", ressalta Kassia.

Após o ciclo de cinco encontros, o objetivo é formar novos grupos com outras propostas temáticas. Para participar, é necessário ser paciente acima de 60 anos do serviço ambulatorial de psicologia do Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa e passar por uma triagem realizada por um profissional responsável pela entrevista de acolhimento, a fim de identificar o perfil para integração em grupo.

"Nós sabemos que diferentes sofrimentos psíquicos estão também relacionados às condições sociais e estratégias de cuidado em saúde mental", reforça a coordenadora de Apoio Psicossocial, Kylvia Martins.

Primeiro do Nordeste dedicado aos cuidados da população acima de 60 anos, o Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa foi inaugurado em 1º de outubro de 2020. Já fez mais de 58 mil atendimentos, incluindo consultas ambulatoriais médicas (34.831 mil) e não médicas (23.869 mil). No mesmo período, ainda foram realizados cerca de 480 mil exames e mais de 7 mil procedimentos no bloco cirúrgico. O HECPI tem estrutura com mais de 8 mil metros quadrados de área construída e 72 leitos, sendo 62 de enfermaria e 10 de terapia intensiva (UTI), para atendimentos de média e alta complexidade.

Atividades para conscientizar sobre autismo

Atividades para conscientizar sobre autismo

No próximo 2 de abril, serão realizadas ações em homenagem ao Dia Mundial da Conscientização do Autismo. O transtorno, que gera dúvidas sobre causas, diagnóstico e tratamento, atinge cerca de 70 milhões de pessoas no mundo. Para levar conhecimento à população, a Somar Special Care organizou uma programação em vários pontos da cidade e com acesso gratuito. Durante a manhã do sábado (2), serão realizadas atividades no Parque da Jaqueira, Zona Norte do Recife; no Parque Dona Lindu, Zona Sul da capital; e na orla de Olinda. À tarde, haverá a palestra Universo do Autismo, na Livraria Jaqueira do Bairro do Recife. Em seguida, está programada uma caminhada até o Marco Zero, com maracatu e panfletagem de orientação à população. O neurocientista Victor Eustáquio, sócio-fundador da Somar Special Care, lembra que o autismo é conhecido cientificamente como transtorno do espectro autista e que se trata de um distúrbio no desenvolvimento neurológico da criança, que gera alterações na comunicação, além de dificuldade de interação social. "A gente só diminui o preconceito com informação. Então, quanto mais as pessoas entenderem o que é o autismo, mais integradas as pessoas com o transtorno estarão à sociedade", diz Victor. A Somar programou ainda evento online de 4 a 8 de abril. A transmissão será pelo canal do YouTube e Instagram (@autismosomar), das 19h às 21h.

Em todas as áreas da ortopedia

Em todas as áreas da ortopedia

O Instituto de Coluna e Ortopedia Especializada (Incore) passa a oferecer assistência na cidade de Olinda. O espaço fica no Empresarial JAM, localizado na Avenida Dr. José Augusto Moreira, no bairro de Casa Caiada. O centro reúne 15 especialistas em todas as áreas da ortopedia, como coluna, joelho, ombro e cotovelo, mão, punho e microcirurgia, pé, perna e tornozelo, trauma, reconstrução, alongamento e reconstrução óssea, quadril, ortopedias pediátrica e esportiva.

Outro diferencial do Incore é a disponibilidade de suporte para os pacientes 24 horas por dia na emergência do Hospital Esperança Olinda. A nova clínica é comandada pelos ortopedistas Carlos Romeiro (na foto, à direita) e Elias Paim (à esquerda). "Disponibilizamos um atendimento completo na abordagem da ortopedia e saúde. Contamos com profissionais capacitados, com formação de excelência, que priorizam o tratamento humanizado e focado no bem-estar do paciente", destaca Carlos Romeiro.

Comentários

Últimas notícias