TOUR

Casaco, guarda-chuva, fones de ouvido e um copo d’água para curtir o Recife

Itens são necessários para viver uma experiência sensorial na capital pernambucana

Mona Lisa Dourado
Mona Lisa Dourado
Publicado em 01/07/2020 às 9:00
Notícia
DIVULGAÇÃO
Tour adentra edifícios históricos e museus, como o Paço do Frevo - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

“Você vai precisar de casaco, guarda-chuva, fones de ouvido e um copo d’água.” As indicações do convite já despertam a curiosidade para o divertido passeio “Um xero de Recife”, conduzido por Duda Carvalho, da @Recicultura.

Criada em outubro do ano passado, com tours criativos pela cidade, a empresa é um dos pequenos negócios do turismo que precisaram se reinventar em tempos de covid-19.

>> Faça passeios por bairros tradicionais de São Paulo sem sair de casa 

>> Aeroporto do Recife estreará nova tecnologia para agilizar embarque e garantir distanciamento. Saiba como funciona

>> Veneza não quer voltar ao "normal"

  

DIVULGAÇÃO
Passeio contempla sobrevoo pelo Marco Zero - DIVULGAÇÃO

Com a ajuda da tecnologia (zoom + Street View) e muita imaginação, a anfitriã “abusa” dos sentidos para garantir uma experiência online imersiva. "Sempre enxerguei o Recife por uma lente mais positiva. Consigo me maravilhar a cada esquina mesmo sendo daqui. Queria compartilhar essa perspectiva", conta Duda. Engenheira civil de formação, ela deixou o cargo de coordenadora em uma empresa da área para se dedicar ao turismo. Cinco meses depois, temeu que a pandemia destruísse o sonho.

DIVULGAÇÃO
Antes da pandemia, Duda Carvalho (à direita) abandonou emprego como engenheira para se dedicar ao turismo criativo. Na crise, precisou reiventar os passeios - DIVULGAÇÃO

A redenção veio com a ideia de migrar para o espaço virtual. Mas Duda confessa que teve receio de perder o que os tours tinham de mais valioso: a proximidade e a afetividade.

A simpatia da anfitriã, no entanto, faz os participantes interagirem, trocarem impressões e até dançarem frevo (!). Uma passista ensina o básico pra ninguém ficar parado quando vier pessoalmente conhecer o Carnaval pernambucano.

DIVULGAÇÃO
Ainda dá para aprender passos básicos de frevo - DIVULGAÇÃO

Sem querer dar spoiler, essa é só uma das surpresas do passeio, que adentra edifícios históricos, como o do Paço do Frevo e da Associação Comercial de Pernambuco, salta telhados e até embarca em baiteiras rumo ao Parque das Esculturas. "Uma vantagem aqui é ver a cidade por ângulos diferentes do convencional", diz Duda, enquanto explica, durante o tour, a formação geográfica do Recife.

DIVULGAÇÃO
Viagem inclui até passeio de barco ao Parque das Esculturas - DIVULGAÇÃO

Também não faltam referências a artistas pernambucanos, como Cícero Dias, Chico Science e Gilberto Freyre. Pelo caminho, ainda há depoimentos de personagens da cidade.

Tudo feito de forma lúdica, com muito humor e direito a trilha sonora de ritmos locais. No fim da experiência, os viajantes recebem um PDF com todas as informações e fotos compartilhadas, além de links para sites de referência e o mapa do Bairro do Recife com os pontos recorridos.

DIVULGAÇÃO
Prédio da Associação Comercial de Pernambuco está no roteiro - DIVULGAÇÃO

Um plus super bem-vindo, na visão da designer Ellen Cavalcante Vaz, 30 anos, que colocou a capital pernambucana no topo da lista de destinos a conhecer depois de sentir o "xero" do Recife. "Amei o passeio. A forma como as brincadeiras são pensadas para fazer a gente se engajar superou minhas expectativas. Tenho uma avó pernambucana e já queria fazer esse resgate familiar na cidade e no interior do Estado. Agora, a curiosidade só aumentou. Será minha primeira viagem pós-pandemia", conta a goiana de 30 anos, que fez o tour no último sábado (27), ao lado de uma gaúcha e de uma recifense que vive em Dublin (Irlanda).

DIVULGAÇÃO
Ellen Vaz (abaixo à esquerda) é uma das turistas que colocaram a capital pernambucana no topo da lista de viagens depois de experimentar Um xero de Recife - DIVULGAÇÃO

Baseada em relatos como o de Ellen e de outros viajantes, Duda acredita que os passeios virtuais são uma tendência que vieram para ficar no turismo, como uma forma de planejamento, conhecimento prévio e até de marketing do lugar. "A chave para criar um passeio online legal é aceitar que ele nunca vai ser igual ao presencial. Por exemplo, cortei algumas passagens que haveria ao vivo para deixá-lo mais fluido", explica. "O segundo desafio é fazer com que as pessoas esqueçam que estão olhando para a tela do computador", acrescenta a empreendedora, que planeja um curso para compartilhar seu processo de adaptação para o ciberespaço.

DIVULGAÇÃO
Participantes aprendem sobre história da primeira Sinagoga das Américas - DIVULGAÇÃO

Para turistas e moradores interessados em desbravar o Recife de um jeito diferente, haverá uma "partida" hoje (1), às 19h30. As próximas ocorrem em 10/7 e 19 de julho.

O público feminino ainda conta com uma opção exclusiva pela plataforma @Sisterwave, que propõe uma “viagem” apenas com mulheres nos dias 2, 4 e 9/7.

Durante a semana, os passeios começam às 19h30. Aos sábados e domingos, às 16h. Em ambos os casos, a experiência custa R$ 25 por pessoa. Mais detalhes podem ser obtidos no site da @Recicultura ou pelo telefone 99921-7948.

DIVULGAÇÃO
Passeio contempla sobrevoo pelo Marco Zero - FOTO:DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Participantes aprendem sobre história da primeira Sinagoga das Américas - FOTO:DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Prédio da Associação Comercial de Pernambuco está no roteiro - FOTO:DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Ainda dá para aprender passos básicos de frevo - FOTO:DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Viagem inclui até passeio de barco ao Parque das Esculturas - FOTO:DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Antes da pandemia, Duda Carvalho (à direita) abandonou emprego como engenheira para se dedicar ao turismo criativo. Na crise, precisou reiventar os passeios - FOTO:DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Ellen Vaz (abaixo, à esquerda) é uma das turistas que colocaram a capital pernambucana no topo da lista de viagens depois de experimentar Um xero de Recife - FOTO:DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias