LITORAL NORTE

Passeio ecológico marcará retomada do turismo em Itamaracá. Forte Orange reabre em setembro

Trade e prefeitura planejam melhorias para a infraestrutura da ilha

Mona Lisa Dourado
Mona Lisa Dourado
Publicado em 21/07/2020 às 18:45
Notícia
ARNALDO CARVALHO/JC IMAGEM
Com praias já abertas, Itamaracá retoma atividades turísticas a partir de agosto - FOTO: ARNALDO CARVALHO/JC IMAGEM
Leitura:

Após a reabertura das praias, bares e restaurantes de Itamaracá, o trade e a sociedade civil organizada da ilha marcarão a volta das atividades turísticas com um evento que visa estimular a conscientização ambiental e a solidariedade. Sobre esses pilares, aliás, o principal destino do Litoral Norte do Estado pretende basear o renascimento do turismo.

Capitaneada pela Cooperativa da Ilha (Coopilha), que reúne representantes de todos os segmentos, a Trilha das Lagoas será promovida no dia 16 de agosto com o objetivo de divulgar redutos naturais como a reserva da Mata do Amparo, além de realizar um mutirão de limpeza durante a caminhada de 10 quilômetros.

DIVULGAÇÃO
Ao contrário do que ocorria antes da pandemia, trilhas agora serão limitadas a 20 pessoas e com maior distanciamento social - DIVULGAÇÃO

Por causa da necessidade de manter o distanciamento social, apenas 20 vagas serão disponibilizadas. Outras quatro trilhas, no entanto, já estão agendadas até outubro (confira no fim do texto). O ponto de partida é na Lagoa Azul, às 8h, e a duração prevista do passeio é de três a quatro horas, a depender do ritmo do grupo. As inscrições custam R$ 30 por pessoa mais a doação de um item de higiene pessoal, que será encaminhado à ONG Pequeno Nazareno, na Comunidade de Vila Velha.

>> Turismo no litoral de Pernambuco vive duas realidades

>> Confira roteiro de catamarã pelo Litoral Norte de Pernambuco

UNIÃO PELO PLANEJAMENTO

De acordo com o presidente da Coopilha, Andrade Barão, as trilhas dão início a um processo de retomada que resulta da aproximação entre a iniciativa privada e o poder público para solucionar problemas históricos e impulsionar o turismo de Itamaracá.

"Estamos bem animados, porque aproveitamos o período da quarentena para o planejamento. Convocamos a prefeitura e o governo para discutir questões como a coleta de lixo, o ordenamento das barracas de praia e do transporte turístico. Também fizemos treinamento para a adoção dos protocolos de segurança sanitária e solicitamos mais divulgação da ilha. Potencial temos demais, precisamos é de atenção e cuidado", destaca Barão.

FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Movimentação na ilha de Itamaracá durante pandemia do coronavírus (Praia de Jaguaribe) - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM

Uma das medidas previstas para serem implementadas ainda este ano via decreto municipal é um novo modelo de acesso, monitorado por câmeras e com maior controle dos veículos turísticos. A ideia é que ônibus e vans com mais de 12 pessoas só possam entrar em Itamaracá acompanhados de um guia local. Para isso, 14 profissionais já foram formados antes mesmo da pandemia e outros 14 serão capacitados nos próximos meses. "Queremos adotar um sistema semelhante ao de Porto de Galinhas, limitando o acesso somente de ônibus autorizados com agendamento prévio", detalha o secretário de Turismo da ilha, Bruno Reis.

WELINGTON LIMA/JC IMAGEM
Barreira sanitária na entrada da Ilha de Itamaracá, Região Metropolitana do Recife - WELINGTON LIMA/JC IMAGEM

Segundo o gestor, também foi encaminhado um ofício ao governo do Estado solicitando a cessão da área administrada pela Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) em frente ao Engenho São João para transformá-la em uma área de estacionamento. "Dessa forma, o transporte entraria para deixar os turistas nos locais de visita e depois teria um lugar apropriado para parar. Caso não seja possível, devemos lançar um edital para um estacionamento privado", diz Reis.

COLETA SELETIVA

Em relação ao lixo, a prefeitura prevê a instalação de uma unidade de tratamento seletivo de resíduos sólidos, semelhante ao que existe no município de Sairé, no Agreste, considerado referência na área. "Nesta quarta-feira (21), vamos receber o José Wendes Oliveira, secretário de Administração e Planejamento da cidade e que tem uma consultoria na área de desenvolvimento local sustentável, para definirmos uma área para iniciar o projeto e fazer um estudo de viabilidade", adianta Reis.

ORDENAMENTO

Já o ordenamento da orla, principalmente das 32 barracas localizadas na área do Forte Orange, dependerá da regularização dos empreendimentos e qualificação dos proprietários e funcionários junto ao Sebrae. "Temos feito reuniões sistemáticas com as associações. Também chamamos a Celpe e a Vigilância Sanitária. Só voltarão a abrir os que se adequarem aos padrões de ocupação do espaço e de higiene", afirma o secretário.

FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Movimentação na ilha de Itamaracá durante pandemia do coronavírus (Forte Orange) - FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM

Por enquanto, a atividade dos bares e comércio na areia da praia continuam proibidos, assim como os passeios náuticos, cuja autorização de funcionamento está condicionada à divulgação do protocolo oficial do Estado e ao treinamento dos jangadeiros, previsto para o fim do mês.

Bruno Reis acredita que somente em setembro o turismo começará de fato a ganhar fôlego na ilha. É quando será reaberto o Forte Orange, provavelmente no feriado da Independência.

HOTELARIA

Proprietária do Orange Hotel, Annelijn Hoek também aposta no último trimestre para voltar a atrair turistas, que já começam a fazer reservas. Maior equipamento da região, com 110 quartos, o hotel vai operar a partir de 20 de agosto com metade da capacidade. "Esperamos ter uma ocupação acima de 50%, visto que temos bastante áreas sociais, restaurante grande e não precisamos de elevadores para ter acesso aos apartamentos, além de estarmos localizados em frente à praia e à Coroa do Avião", resume.

DIVULGAÇÃO
Orange Hotel aproveitou para fazer reforma e abrirá com 50% da capacidade - DIVULGAÇÃO

Com as atividades suspensas desde março, Annelijn diz que aproveitou o tempo parado para realizar reformas no restaurante, quartos e espaço externo, inclusive para fazer as adequações necessárias à convivência com a covid-19. 

Agora é cobrar a concretização dos projetos públicos para recuperar, e ampliar, a visitação turística na ilha, à medida que a pandemia seja vencida. Em 2019, Itamaracá registrou uma média mensal de 3.500 visitantes. A ilha conta com 16 quilômetros de orla e 11 praias. Do ponto de vista de infraestrutura turística, são 15 meios de hospedagem - incluindo três hotéis, pousadas, chalés, flats e privês - , além de 12 restaurantes, 134 bares de praia e 50 na área urbana.

CONFIRA O ROTEIRO DA TRILHA DE ESTREIA E A AGENDA DAS DEMAIS

Roteiro Trilha das Lagoas (Inscrições aqui)


- Lagoa Azul
- Reserva de Mata Atlântica da Mata do Amparo
- Lagoa da Mata
- Ruínas da Capela de São João (1776)
- Lagoa de Argila da Fazenda São Pedro
- Lagoa Azul

Próximas trilhas

- 30/8 - Trilha do Forte Orange 

- 27/9 - Trilha dos Engenhos 

- 4/10 - Trilha Solidária do Dia das Crianças

Mais informações:

81994557692 (Hare Mendonça)
81994144414 (Manu Rodrigues) 

 

MONA LISA DOURADO/JC
Forte Orange será reaberto no feriado de 7 de Setembro - FOTO:MONA LISA DOURADO/JC
MONALISA DOURADO/JC
FORTE ORANGE LOCALIZADO NA ILHA DE ITAMARACÁ - FOTO:MONALISA DOURADO/JC
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Movimentação na ilha de Itamaracá durante pandemia do coronavírus (Praia de Jaguaribe) - FOTO:FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Movimentação na ilha de Itamaracá durante pandemia do coronavírus (Forte Orange) - FOTO:FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
DIVULGAÇÃO
Ao contrário do que ocorria antes da pandemia, trilhas agora serão limitadas a 20 pessoas e com maior distanciamento social - FOTO:DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
Orange Hotel aproveitou para fazer reforma e abrirá com 50% da capacidade - FOTO:DIVULGAÇÃO
WELINGTON LIMA/JC IMAGEM
Barreira sanitária na entrada da Ilha de Itamaracá, Região Metropolitana do Recife - FOTO:WELINGTON LIMA/JC IMAGEM

Comentários

Últimas notícias