PORTO DE GALINHAS

Jangadeiros de Ipojuca retomam atividades a partir da próxima sexta-feira (31), mas com restrições

Apenas 50% dos profissionais poderão voltar ao trabalho

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 29/07/2020 às 18:47
Notícia

DIVULGAÇÃO
A Associação de Porto de Galinhas conta com 84 jangadeiros e o Sindicato dos Jangadeiros do Pontal de Maracaípe tem 40 cadastrados. - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Os jangadeiros de Ipojuca poderão retomar as atividades, com restrições, a partir da próxima sexta-feira (31). Para que as embarcações possam voltar a sair, será necessário obedecer o protocolo sanitário municipal, acordado em reunião realizada nesta quarta-feira (29) com o Ministério Público da comarca e com os representantes das Associações dos Jangadeiros de Porto de Galinhas e do Pontal de Maracaípe

>> Quarentena aumentou a vontade de viajar. Recife e Porto de Galinhas despontam

>> CPRH embarga obra municipal na praia de Maracaípe e multa a Prefeitura de Ipojuca

A liberação foi anunciada nesta quarta-feira (29) pela Prefeitura de Ipojuca e a quinta-feira (30) funcionará como um dia de testes para o cumprimento das medidas exigidas.

O protocolo municipal determina que, para esta retomada, apenas 50% das jangadas e com até quatro pessoas por embarcação (antes eram permitidas seis pessoas por passeio) poderão circular. Além disso, é obrigatório a higienização das jangadas entre um passeio e outro.

As praias de Ipojuca seguem abertas das 4h às 16h para práticas esportivas individuais, incluindo o banho de mar.

>> Veja imagens do protesto de ambulantes e jangadeiros de Porto de Galinhas e outras praias de Pernambuco

A Associação de Porto de Galinhas conta com 84 jangadeiros e o Sindicato dos Jangadeiros do Pontal de Maracaípe tem 40 cadastrados. No entanto, apenas metade desses trabalhadores poderão retomar as atividades neste momento. Segundo a Prefeitura de Ipojuca, a medida tem a finalidade de evitar aglomerações, enquanto ainda não foi encontrada uma vacina para a covid-19. 

De acordo com o tesoureiro da Associação dos Jangadeiros de Porto de Galinhas, Hélio Vicente Filho, esta articulação da Prefeitura de Ipojuca, junto com o Ministério Público, foi muito importante porque "emocionalmente todos já estavam bastante abalados".  “Se não fosse o benefício de R$ 500 da prefeitura, teríamos passado necessidade”, afirmou Hélio.

Ainda segundo o município, as demais categorias prestadoras de serviço retornarão ao trabalho assim que as datas definidas forem definidas em acordado com os órgãos de controle. Já as atividades de comércio nas praias, como a dos barraqueiros e ambulantes, ainda se encontram na dependência da resposta do governo do Estado ao pedido feito pela Prefeitura de Ipojuca no último dia 15.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias