FIG

Festival de Inverno de Garanhuns não será realizado em 2020

Governo do Estado afirmou que 30ª edição só irá ocorrer em 2021

Márcio Bastos
Márcio Bastos
Publicado em 30/06/2020 às 14:38
Notícia
COSTA NETO/DIVULGAÇÃO
Festival de Inverno de Garanhuns atrai cerca de 600 mil pessoas todos os anos durante os dez dias da festa - FOTO: COSTA NETO/DIVULGAÇÃO
Leitura:

O Festival de Inverno de Garanhuns, um dos eventos culturais mais importantes de Pernambuco não irá acontecer em 2020, segundo confirmou nota enviada pela Secretaria de Cultura do Estado e a Fundarpe. Tradicionalmente realizado no final de julho, o FIG foi afetado pela pandemia do novo coronavírus, ainda não controlada, impedindo, portanto, aglomerações, o que fez com que o Governo do Estado anunciasse qu a 30ª edição só será realizada em 2021.

"A Secult-PE/Fundarpe acredita que o atual cenário de pandemia, que impede a realização de eventos com grande concentração de pessoas, tornou impossível a realização da edição deste ano do Festival de Inverno de Garanhuns. O 30º FIG, que seria comemorado em 2020 como a grande celebração da diversidade cultural do Brasil, será realizado em 2021", afirmou nota enviada pela Secult-PE/Fundarpe.

Com atividades nas mais diversas linguagens artísticas, como música, artes cênicas e artes visuais, o FIG é uma importante ferramenta de fomento cultural em Pernambuco, nacionalmente reconhecido, e movimenta a economia local. Na edição de 2019, mais de 600 mil pessoas circularam pelo festival, que já recebeu shows de grandes nomes da música nacional como Gal Costa, Elza Soares, Caetano Veloso, entre outros.

Lei Aldir Blanc

Também em nota, a Secult-PE/Fundarpe afirmou que a Lei Aldir Blanc, recém-sancionada pela Presidência da República, é preciso que os recursos cheguem para que os estados e municípios possam entender como fazer esses recursos.

"A Secult-PE/Fundarpe comemora a sanção presidencial da Lei de Emergência Cultural Aldir Blanc, publicada hoje no Diário Oficial da União, mas alerta que esse ainda foi apenas mais um passo para a materialização do apoio federal para a classe artística e os setores envolvidos no mercado cultural e criativo. Segundo secretário Gilberto Freyre Neto, o recurso federal precisa chegar o mais brevemente possível para que os estados e municípios possam ter tempo para realizar os repasses. Já para o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, ainda falta uma regulamentação clara sobre como esse recurso vai chegar aos governos estaduais e municipais e, principalmente, como eles serão transferidos aos solicitantes do benefício", afirma o comunicado.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias