LITERATURA

Coluna Escrita: 'Flush', de Virginia Woolf, é um clássico sagaz e divertido

Recentemente, a Peguin-Companhia das Letras lançou uma nova edição do romance Flush. Leia um trecho do livro e confira as outras notícias da coluna Escrita desta terça-feira (30)

Valentine Herold
Valentine Herold
Publicado em 30/06/2020 às 17:37
Notícia
Reprodução
Virginia Woold e seu cocker spaniel, Pinka, que foi modelo para a capa do romance Flush - FOTO: Reprodução
Leitura:

É sempre tempo de voltar aos clássicos e o mês de junho, é indissociável de Virginia Woolf por causa do icônico Mrs. Dalloway, cujo enredo se passa ao longo de um único dia deste mês. Recentemente, a Peguin-Companhia das Letras lançou uma nova edição de outro romance da grande escritora inglesa, Flush. Lançado em 1933, pouco após o experimental As Ondas, Flush representa uma retomada à narrativa mais tradicional.

A forma, é verdade, não tem nenhum elemento extraordinário, mas a escolha por escrever a biografia de um cão é ousada e divertida. Com sagacidade, Virginia Woolf discorre sobre importantes questões de classe da Inglaterra do século 19, além de homenagear a memória da poeta Elizabeth Barret, dona do cocker spaniel protagonista, fazendo uso de fatos reais da vida dos dois, tais como a mudança da Inglaterra para a Itália ou ainda o sequestro do cão por uma gangue londrina.

Leia um trecho de Flush:

"Até mesmo nos dias de hoje, talvez ninguém seja capaz de tocar a campainha de uma casa em Wimpole Street sem tremer. É a rua mais imponente de Londres, a mais impessoal. De fato, quando o mundo parece estar se despedaçando em ruínas e a civilização parece tremer sobre as bases, basta ir até Wimpole Street, caminhar por aquela avenida, observar aquelas casas, avaliar sua uniformidade, maravilhar-se com as cortinas das janelas e com sua harmonia, admirar os batentes de latão polido das portas e sua regularidade, observar açougueiros oferecendo peças inteiras de carne e cozinheiras recebendo a mercadoria, calcular a renda de seus habitantes e deduzir daí sua consequente submissão às leis de Deus e dos homens — basta ir até Wimpole Street e beber profundamente da paz exalada dessa fonte pura para ostentar um suspiro de agradecimento por Wimpole Street permanecer lá, imutável, enquanto Corinto caiu e Messina desabou, enquanto coroas foram levadas pelo vento e antigos Impérios consumiram-se em chamas.

(...)

Muito lentamente, muito vagamente, depois de muito fuçar e sentir o terreno cautelosamente, Flush começou a distinguir o delineamento de diversos itens de mobília. Talvez aquele enorme objeto ao lado da janela fosse um guarda-roupa. Ao lado dele, parecia, havia uma cômoda. No meio do quarto, emergia à superfície uma mesa que parecia ter um anel à sua volta; e então afloraram as estruturas amorfas de uma poltrona e de outra mesa. Mas tudo estava disfarçado (...)"

 

DIVULGAÇÃO
ROMANCE Flush foi escrito pela autora inglesa Virgínia Woolf na década de 1930 - DIVULGAÇÃO

 

Confira as outras notícias da Coluna Escrita desta terça-feira (30):

- Já estão abertas as inscrições para a segunda turma virtual da oficina de Escrita Criativa ministrada pelo escritor, dramaturgo e ator Cleyton Cabral. Os encontros - que são realizados de forma coletiva e online - irão acontecer nos dias 6, 8, 13 e 15 de julho, sempre das 20h às 22h. O investimento é de R$ 90. Temas como os elementos e a estrutura da narrativa, construção do texto e exercícios de escritas são abordados nas aulas. Os interessados devem entrar no site www.sympla.com.br e procurar por O Salto na Folha em Branco, nome do curso.

Leia também: Autores pernambucanos são selecionados em edital do Itaú Cultural

                      Ronaldo Correia de Brito reflete sobre os efeitos da pandemia no fazer cultural

                      Obra de Machado de Assis ganha nova tradução nos EUA. Entenda a atualidade de 'Memórias Póstumas de Brás Cubas

- Autora dos livros Recortes Para Álbum de Fotografia sem Gente, Amora (pelo qual venceu o Jabuti em 2016) e, mais recentemente, a ficção científica escrita a oito mãos Corpos Secos, Nathália Borges foi convidada na coluna Um certo Alguém.

A iniciativa é do Itaú Cultural e estreou com Tom Zé no último dia 18. A escritora foi a segunda artista a compartilhar memórias, anseios e desejos. Para ler a entrevista, basta clicar aqui. Toda quinta tem novo convidado.

Reprodução
Virginia Woold e seu cocker spaniel, Pinka, que foi modelo para a capa do romance Flush - FOTO:Reprodução
DIVULGAÇÃO
ROMANCE Flush foi escrito pela autora inglesa Virgínia Woolf na década de 1930 - FOTO:DIVULGAÇÃO

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias