Televisão

Miguel Falabella não renova contrato com a Globo, após 39 anos na emissora

Além da televisão, Falabella tem uma extensa carreira no teatro, onde deve seguir atuando

Márcio Bastos
Márcio Bastos
Publicado em 05/06/2020 às 10:12
Foto: João Cotta/TV Globo
MIGUEL FALABELLA DIVERSIFICA SEUS RUMOS DE ATUAÇÃO - FOTO: Foto: João Cotta/TV Globo
Leitura:

Miguel Falabella não teve seu contrato com a Rede Globo renovado, segundo informações da colunista Patrícia Kogut. O ator, diretor, apresentador e roteirista, de 63 anos, encerra uma vivência de 39 anos na emissora, na qual se envolveu em vários projetos, como o Video Show, Toma Lá, Dá Cá, Sai de Baixo, entre outros.

Em seu perfil no Instagram, Falabella fez uma postagem emocionada com uma foto do ano em que entrou na Globo. Ele afirmou que havia pensado em gravar o vídeo, mas que ainda estava muito emocionado.  "Nesses quase quarenta anos fui muito feliz e muito bem tratado sempre. Seguir novos caminhos não significa abandonar o que se conquistou na caminhada. Só tenho boas lembranças. Só tenho sorrisos. Cheio de gratidão por todos os companheiros que estiveram ao meu lado nessa jornada e ao público que viu algo em mim que nem eu mesmo via", escreveu

 

Sua primeira participação como ator na Globo foi em 1982, na novela Sol de Verão. Entre os personagens imortalizados por ele estão Caco Antibes, de Sai de Baixo, e Mário Jorge Dassoin, de Toma Lá, Dá Cá. Entre 1987 e 2002, foi apresentador do Video Show. Na emissora, seu último trabalho como roteirista foi a série Eu, a Vó e a Boi, exibida em 2019.

>> Entrevista: Carlos Lombardi celebra 40 anos de teledramaturgia

>> Camila Queiroz terá 'surpresa' em 'Verdades Secretas 2', diz Walcyr Carrasco

>> Globo exibirá 'Em Pauta' com bancada de jornalistas negros nesta sexta (5)

Teatro

Além da televisão, Miguel Falabella tem uma vasta carreira no teatro, onde, inclusive, é responsável por adaptações de sucesso de musicais da Broadway, como Xanadu, Cabaret e A Gaiola das Loucas. Também assinou produções como Hebe - o Musical, O Som e a Sílaba, entre outras.

No cinema, roteirizou filmes como A Partilha (2001) e Sai de Baixo - o Filme (2019).

Comentários

Últimas notícias