Televisão

'Que História é Essa, Porchat?' retorna em formato virtual

Sucesso na TV e na internet, segunda temporada do programa estreia terça-feira (4), no GNT

Márcio Bastos
Márcio Bastos
Publicado em 31/07/2020 às 16:10
Notícia

JULIANA REIS/DIVULGAÇÃO
CONVERSAS Talk show nasceu da paixão de Fábio Porchat por contar e ouvir histórias - FOTO: JULIANA REIS/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Fábio Porchat tem fascínio por contar e ouvir causos inusitados desde pequeno. Por isso, decidiu criar um programa em que as pessoas compartilhassem esses fatos curiosos, rissem e se emocionasse juntas. Com essa premissa simples, mas eficaz, seu Que História é Essa, Porchat? se tornou um sucesso instantâneo. A segunda temporada, que estreia nesta terça-feira (4), às 22h30, no GNT, retorna com o mesmo espírito, mas adaptada ao momento de pandemia, com o apresentador sozinho no estúdio, conversando com seus convidados de forma virtual.

As mudanças necessárias para viabilizar as gravações do programa exigiram de Porchat e sua equipe novos protocolos de segurança, desde o reduzido número de profissionais presentes no estúdio até o próprio entendimento da dinâmica das interações remotas. Em entrevista coletiva virtual, ele lembrou que, no início, achou que estrutura não funcionaria, mas que acabaram encontrando um formato que preserva a proposta da atração.

Algumas dificuldades tecnológicas surgiram, como problemas na transmissão, mas a produção conseguiu ajustá-las e criar um ritmo fluído para as entrevistas. O humorista acredita que a popularização das comunicações virtuais durante a quarentena ajudaram tanto a ele quando aos convidados a estarem mais familiarizados com a interação nessa nova estrutura, na qual ele está cercado por telões que projetam os rostos dos convidados e da plateia, preservando o formato de arena. 

"As lives ajudaram (a criar uma estrutura de interação virtual), de ser um bate-papo, ser aberto. Acho que como está todo mundo no mesmo oceano, no meio da pandemia, todos estão menos turrões, sabendo que está ruim para todo mundo. Sinto que as pessoas estão mais tranquilas, querendo ajudar, receptivas e abertas. Então, acho que facilita muito a criar uma intimidade", explicou.

Os novos episódios chegam à televisão praticamente um ano após a estreia da primeira temporada, que foi um sucesso de público, "viralizando" também na internet, com falas de artistas como Fernanda Torres, e da crítica, sendo eleito o melhor talk show de 2019 pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA).

"É ótimo a gente falar sobre política, mas acho que as pessoas não aguentam mais (o assunto). Você pega o classificado dos jornais e tem lá: 'Vendo chevette. Fora Bolsonaro'. Então, é um programa em que a gente pode abordar diversos assuntos.", pontuou. "As pessoas estão se dando conta dessas coisas horríveis que a gente tem no nosso país e o programa alivia um pouco isso. A gente precisa se atentar dos problemas para tentar resolvê-los e saná-los, mas a gente também precisa deixar a cabeça descansar um pouco."

Além dos famosos, a plateia virtual também compartilhará suas experiências no programa. O critério principal para selecionar as histórias, segundo o apresentador, é que a história seja boa. Além de interagir com os participantes, ele eventualmente também compartilha experiências pessoais.

Encontrar essas histórias exige de sua equipe um intenso processo de pesquisa, que tem a internet como fonte principal, além de recebê-las de famosos e anônimos. Para Fábio, só há uma restrição: nada de políticos.

"Não tem perfil (para os causos). Pode até ser de terror, mas tem que ser uma uma boa história. Lógico, não teremos nada muito triste porque não é a cara do programa, mas uma história mais emocionante pode entrar", enfatizou. "O público já entendeu que as histórias são tão legais que não importa se quem tá contando é o Tony Ramos, a Cláudia Raia o Antônio Fagundes ou a dona Maria do Tocantins. Muitas vezes as histórias dos convidados virtuais são mais legais (do que as dos famosos)."

Na estreia, o humorista carioca recebe Rodrigo Hilbert, que conta a verdadeira história de como seu dedo ficou torto; Fafá de Belém, que relembra quando que invadiu um casamento vestida de noiva, e Leandro Hassum compartilhando o dia em que fingiu ser Otávio Muller em um parque.

Entre os convidados que participarão desta etapa estão Antônio Fagundes, Sandra Annenberg, Marcelo Médici, Monique Alfradique, Grazi Massafera, Sheron Menezes, Luis Miranda, Leilane Neubarth, Tom Cavalcanti, Nelson Motta, Armando Babaioff e Alexandre Nero. 

Porchat revelou que tem alguns convidados dos sonhos, entre eles Faustão, William Bonner, Fábio Jr., Leonardo, Zeca Pagodinho e Roberto Carlos. Juliana Paes também já garantiu que participará assim que as gravações presenciais voltarei.

No GNT, os novos episódios serão exibidos todas as terças-feiras, com reprises às quintas. E, em breve, o público que não acompanhou a primeira temporada de Que História É Essa, Porchat? no canal por assinatura poderá conferi-la na Rede Globo, a partir de outubro.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias