RELIGIÃO

Festa do Morro 2020: sem procissões e romarias, fiéis são estimulados a ficar em casa; visitação será controlada

O evento acontecerá entre os dias 28 de novembro e oito de dezembro

JC; Amanda Rainheri
JC; Amanda Rainheri
Publicado em 16/11/2020 às 12:19
Notícia

Foto: Leo Motta/JC Imagem
Este ano as tradicionais procissões não serão realizadas, além disso, a orientação é que os fiéis fiquem em casa e assistam às programações pela internet - FOTO: Foto: Leo Motta/JC Imagem
Leitura:

Atualizada às 16h44

Por conta da pandemia do novo coronavírus, diversos eventos e festas tradicionais tiveram de ser repaginados. Com a Festa de Nossa Senhora da Conceição do Morro não foi diferente. O evento, que acontecerá de 28 de novembro a oito de dezembro, no Santuário Arquidiocesano da Imaculada Conceição, que fica no Morro da Conceição, na Zona Norte do Recife, terá uma programação diferente dos anos anteriores. Visando conter a proliferação da doença e não gerar aglomeração de pessoas, as procissões de abertura e encerramento da Festa, além dos atendimentos, confissões e programações culturais, não farão parte do cortejo. 

Além disso, orientação é de que os fieis fiquem em casa e acompanhem o cortejo pela internet, através de transmissões ao vivo pelo canal do YouTube do Santuário do Morro da Conceição. A TV Pai Eterno (canal aberto 49) e a Rádio Olinda 105,3 FM irão transmitir as principais cerimônias. Um ofício será enviado para as paróquias da Arquidiocese de Olinda e Recife e dioceses e arquidioceses do Regional NE2 solicitando a não realização de romarias ao Santuário do Morro no período da Festa.

 

Mesmo assim, quem ainda quiser comparecer presencialmente à uma das missas, deverá se adiantar. O santuário poderá receber apenas 30% da capacidade total a cada celebração. Assegurando o distanciamento de 1,5m entre as pessoas, 120 bancos serão dispostos dentro do templo, onde apenas duas pessoas irão sentar. Já na parte externa, cerca de 90 bancos serão montados para que os fieis acompanhem as celebrações. Assim como na parte interna da Igreja, apenas duas pessoas poderão tomar assento em cada banco. A capacidade de pessoas prevista na festa é de 420 pessoas por celebração, levando em conta o número de devotos dentro e fora do templo. 

Cerca de 300 pessoas estão sendo capacitadas por profissionais de saúde para atuar como voluntários durante a festa, auxiliando as pessoas que optarem por vir ao Santuário durante os 11 dias de festividades. Quem quiser acender as tradicionais velas em homenagem à Santa, por exemplo, contarão com a ajuda dos voluntários para realizar o procedimento mediante higienização segura do objeto. 

O acesso ao Santuário e à Santa serão controlados por estes mesmos voluntários. Para visitar a imagem, no entanto, haverão duas entradas laterais, onde grupos de devotos poderão adentrar o ambiente em forma de rodízio.

"É importante que as pessoas tenham em mente que será uma festa diferente de todos os outros anos. Não haverá acesso livre ao santuário ou à imagem de Nossa Senhora. Estamos fazendo um esforço para poder transmitir as missas e, assim, permitir que as pessoas participem sem sair de casa, tudo para facilitar", destacou o padre Luiz Vieira, reitor do Santuário. O religioso orientou os fiéis que fiquem em casa ou procurem o local fora das festividades. "Tem muita gente que fez a sua promessa de nunca faltar a Festa do Morro, mas a gente dispensa a promessa este ano para que não seja necessário sair de casa, ou para que venham antes ou depois da festa e, assim, evitem aglomerações." 

Severina Paiva de Santana, de 85 anos, está há 69 envolvida com as atividades religiosas do santuário. Não só assiste as missas, como coordena a pastoral do idoso e o apostolado da oração. "Vai ser uma festa como eu, que vivo no Morro desde a década de 50, nunca vi. Vou participar da festa, tomando todos os cuidados. Sempre uso máscara, às vezes até dentro de casa, e carrego comigo álcool em gel", conta ela, que herdou da família a devoção por Nossa Senhora da Conceição. "Sei que tudo é feito por Jesus. Ele é o centro. Mas foi dado a ela o mérito, foi a escolhida para ser a mãe do salvador", diz dona Sevi.  

Nascido e criado no Morro, o analista de processos Jadson Itaynã dos Santos, 32, recebeu a primeira graça logo aos 3 anos de idade. "Tive febres altas, seguidas de convulsões. Foi quando minha mãe fez uma promessa de que doaria dois pinheiros à igreja, caso eu melhorasse. Um deles ainda existe ao lado do santuário", conta. Jadson cresceu, virou coroinha e chegou a passar um ano e meio no seminário, sempre devoto à Nossa Senhora. A graça maior veio durante a pandemia. O analista havia sido contratado para trabalhar em um multinacional, mas acabou sendo demitido dez dias depois, devido à chegada do novo coronavírus ao Estado. Foi então que ele decidiu empreender e abriu um bistrô no bairro. "Pedi a Deus que me desse uma oportunidade, e ele me deu. Sou grato a Nossa Senhora pelo meu dom de cozinhar e por poder mostrar isso aqui no Morro", comemora. 

Segurança

A segurança e a prevenção de acidentes no cortejo ficará à cargo das Polícias Civil (PC) e Militar (PMPE), dos Bombeiros Militares (CBMPE) e Civis, além da Guarda Municipal do Recife (GMR) e da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU). No apoio estrutural, está a Fundação de Cultura da Cidade do Recife (FCCR).

A Secretaria Executiva de Controle Urbano (Secon) cuidará da organização do comércio, enquanto o atendimento médico, ficará sob a responsabilidade da Secretaria de Saúde do Recife (Sesau) e do Serviço de Atendimento móvel de Urgência (SAMU).

A Vigilância Sanitária do Recife (VISA), a Secretaria de Meio Ambiente, a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana do Recife (Emlurb), a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e a Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) também auxiliarão no evento.

As normas sanitárias previstas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como o uso obrigatório de máscaras, aferição da temperatura corporal, distanciamento social e uso de álcool 70% deverão ser cumpridos de forma rígida pelos devotos.

Programação

A 116ª edição da Festa terá sua Missa Solene de Abertura no sábado (28), às 19h com a presidência do Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Olinda e Recife, Dom Limacêdo Antônio da Silva. Já a partir do domingo (29), e até o dia sete de dezembro, outras cinco Santas Missas diárias, às 6h, 9h, 12h, 14h e 16h, serão realizadas. Elas terão duração média de 45 minutos cada. O Solene Novenário vai ser celebrado entre 29 de novembro a sete de dezembro, às 19h.

Em oito de dezembro, data dedicada a Imaculada Conceição, oito Santas Missas vão ser realizadas, às 0h, 2h, 4h, 6h, 9h, 12h, 14h e 16h. A solenidade da Imaculada Conceição vai ser presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Olinda e Recife, Dom Antônio Fernando Saburido, às 19h.

 

Comentários

Últimas notícias