Famosos

Polícia confirma sangue e esperma em roupa de MC que acusa Anderson de estupro

Vocalista do Molejo nega as acusações de sexo sem consentimento por parte do jovem cantor

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 10/02/2021 às 20:30
INSTAGRAM/@CANTORANDERSONLEONARDO/REPRODUÇÃO
O cantor Anderson Leonardo, de 48 anos, é vocalista do grupo Molejo - FOTO: INSTAGRAM/@CANTORANDERSONLEONARDO/REPRODUÇÃO
Leitura:

*Por Bárbara Correa

Apesar de não informar se o material é compatível com o DNA do vocalista do grupo Molejo, a polícia afirmou, em comunicado enviado à imprensa, que "o laudo na peça de roupa da vítima ficou pronto e comprovou resíduos de sangue e de esperma".

>> Anderson Leonardo diz que relação com MC Maylon foi consensual

>> Citando Molejo, ator confirma segunda temporada de 'You'

>> Baixista do Metallica ouve Molejo e diz: 'Gosto do ritmo'

"De acordo com a 33ª DP (Realengo), funcionários do motel e outras testemunhas vão prestar depoimento nesta semana", revelou ainda a polícia.

MC Maylon acusa Anderson Leonardo de tê-lo estuprado no dia 11 de dezembro de 2020, após o cantor prometer levá-lo a uma reunião e entrar em um motel no Rio de Janeiro.

Anderson nega as acusações e advogada de MC Maylon se pronuncia

Em comunicado publicado nas redes sociais, na última quinta-feira (4), Anderson Leonardo nega as acusações. "O cantor lamenta profundamente as declarações envolvendo seu nome, refutando qualquer ato de violência contra quem quer que seja, negando categoricamente à acusação completamente falsa de agressão sexual feita em seu desfavor".

"Informa também que conhece a suposta vítima, mas jamais praticou os atos veiculados na imprensa, inclusive, tem conhecimento que a suposta vítima já esteve presente em diversas apresentações artísticas do cantor, em ocasiões posteriores à falaciosa alegação, o que demonstra, claramente, que a narrativa publicada nunca ocorreu", acrescentou.

Maylon também compartilhou um posicionamento de sua advogada Fê Oliveira nas redes sociais, na última sexta-feira (5), no qual ela afirma que o MC estava sendo acusado de oportunismo nas redes sociais.

"Diante da incontestável prova pericial apresentada à Polícia Civil pela vítima, o cantor entrou em contradição negando o que o mesmo havia comunicado em nota à imprensa publicada no dia 04/02/2021 e admitiu que houve a conjunção carnal".

"Meu cliente vinha sofrendo diversos ataques nas redes sociais por pessoas que duvidavam de sua versão e o acusavam de oportunismo e que agora começam a acreditar na veracidade de seu relato. (...) A proximidade que os dois mantiveram após o crime se deu em razão de motivos profissionais, nas promessas de gerenciamento artístico da carreira do jovem MC", disse a advogada.

Comentários

Últimas notícias