Artes integradas

Prefeito diz que Festival de Inverno de Garanhuns pode acontecer durante 30 dias em 2022

FIG é um dos principais eventos do calendário cultural de Pernambuco e não é realizado desde 2019, por conta da pandemia

Márcio Bastos
Márcio Bastos
Publicado em 30/07/2021 às 15:06
Notícia
COSTA NETO/DIVULGAÇÃO
Festival de Inverno de Garanhuns atrai cerca de 600 mil pessoas todos os anos durante os dez dias da festa - FOTO: COSTA NETO/DIVULGAÇÃO
Leitura:

O prefeito de Garanhuns, Sivaldo Albino (PSB), afirmou em entrevista à TV Jornal, nesta sexta-feira (30), que há a intenção de realizar o Festival de Inverno de Garanhuns durante um mês inteiro, em 2022. Há anos, o evento acontece durante dez dias, abarcando dois finais de semana, no final de julho, e reúne dezenas de atrações locais e nacionais das mais diversas linguagens artísticas. A edição mais recente do festival aconteceu em 2019 e, em 2020 e 2021, ele não foi realizado por conta da pandemia de covid-19.

A ideia, no entanto, se configura ainda como um desejo por vários fatores. O primeiro deles é a pandemia, que já mostra sinais de melhoras, mas ainda está longe de acabar no Brasil. Seus desdobramentos e consequências ainda precisarão ser analisados no ano que vem. Além disso, apesar de ser parceira do evento e garantir o uso do território de vários espaços da cidade, a Prefeitura de Garanhuns não é responsável pelo evento. Este é de responsabilidade do Governo do Estado, que injeta milhões na execução do FIG.

De acordo com a assessoria da Prefeitura de Garanhuns, a intenção é fazer da edição de 2022, que marcaria o 30º FIG, um evento maior e mais especial. As ações ao longo de 30 dias, no entanto, precisariam ser estudadas e pensa-se, a princípio, na expansão por pelo menos mais um fim de semana.

O presidente da Fundação do Patrimônio Artístico e Histórico de Pernambuco (Fundarpe), Marcelo Canuto, sinalizou que há conv "ersas sobre possíveis mudanças no festival, mas que ainda não há definições. "Existe a sugestão [de ampliar para 30 dias], mas o FIG é um evento com características próprias que não podem se perder. É por isso que não fizemos uma versão online este ano, pois não iria preservar a essência do festival. Não adianta a gente colocar um evento de 30 dias que não tenha o alto padrão do FIG", explicou.

Ele pontuou ainda que o Festival de Inverno de Garanhuns é uma referência nacional, que integra diferentes linguagens artísticas, como música, teatro, circo, artes visuais, entre outras, e que os custos com logística são robustos. Por isso, a partir de janeiro, os trabalhos, que já vêm sendo desenhados, irão começar de fato, já pensando a edição de 2022.

Pelo Festival de Inverno de Garanhuns já passaram artistas como Caetano Veloso, Gal Costa, Moraes Moreira, Ave Sangria, Marina Lima, Alceu Valença, Zé Ramalho, Dominguinhos, entre outros.

Comentários

Últimas notícias