LUTO

Marília Mendonça fez história na música sertaneja; relembre a sua trajetória

Com o "feminejo", cantora abriu portas para mulheres no gênero durante os anos 2010

Emannuel Bento
Emannuel Bento
Publicado em 05/11/2021 às 18:18
Marília Mendonça. Foto: Reprodução/Instagram
Marília Mendonça. Foto: Reprodução/Instagram
Leitura:

Morta em acidente aéreo no município de Piedade de Caratinga, no interior de Minas Gerais, na tarde desta sexta-feira (5), Marília Mendonça deixou um legado para a música sertaneja, sendo o principal nome a catapultar o movimento "feminejo", que inseriu as mulheres no ritmo tradicional do Centro-Oeste do país durante a década de 2010.

Nascida em Cristianópolis (GO), mas criada na capital Goiânia, a cantora teve seu primeiro contato com a música através da igreja e começou a compor quando tinha 12 anos de idade, passando a escrever músicas para vários cantores da música sertaneja. Mesmo com pouca idade, ela colecionava grandes sucessos como compositora, como "É Com Ela Que Eu Estou", na voz de Cristiano Araújo, "Até você voltar" e "Cuida Bem Dela", sucessos de Henrique & Juliano.

Em 2015, Marília, aos 20 anos de idade, gravou seu primeiro DVD. Quando lançou este trabalho, impressionou o Brasil, pois de lá saíram sucessos que foram destaques nacional, como "Sentimento Louco" e "Infiel", esta última foi uma das músicas mais cantadas e tocadas do ano de 2016.

"Ao mesmo tempo que foi tudo muito de repente, eu avalio que as coisas aconteceram no tempo certinho", disse, em entrevista ao JC, em 2017. "Eu comecei a compor, fiz meu nome no meio como compositora, me integrei ao time de cantores que gravavam minhas músicas, até que um dia passei a fazer parte do escritório que estou hoje mais para aprender. Viajava com os outros cantores, fui me preparando para o mercado, até que me lançaram. Hoje sou muito grata e feliz por tudo acontecer pra mim como aconteceu."

No ano seguinte, Marília Mendonça lançou seu segundo DVD, intitulado de "Realidade", que incluía o sucesso "Eu Sei de Cor". Em janeiro de 2017 lançou outro EP homônimo com os singles "Amante Não Tem Lar" e "De Quem É A Culpa", que contou novamente com a participação da dupla Henrique & Juliano. Em julho daquele ano,  conquistou o posto de artista brasileira mais ouvida no YouTube, ficando em 13º lugar no ranking mundial.

Em 2019, lançou um dos projetos mais inovadores e marcantes da carreira: o DVD "Todos Os Cantos", que tem como singles as músicas "Ciumeira", "Bem Pior Que Eu", "Todo Mundo Vai Sofrer" e "Supera". O projeto contou com shows gratuitos, divulgados de surpresa em várias capitais do Brasil, incluindo o Recife - o show foi realizado na Avenida Rio Branco, no Bairro do Recife.

Antes da pandemia, Marília Mendonça fazia uma média de 25 shows por mês, sendo reconhecida como a "rainha da sofrência". Além de músicas em novelas e coletâneas de sucesso, multidões acompanhavam a cantora nos shows em que se apresentava, tanto nos dela individual, como em eventos como Festeja e Festa das Patroas.

Comentários

Últimas notícias