ARTES VISUAIS

Jonathas de Andrade vai representar o Brasil na Bienal de Veneza

Artista alagoano radicado no Recife foi escolhido por buscar em seus trabalhos "a ideia de uma cultura autenticamente popular"

Romero Rafael
Romero Rafael
Publicado em 16/12/2021 às 21:08
STEPHEN SCHIFF/DIVULGAÇÃO
ESCOLHIDO Jonathas de Andrade, que vive no Recife, também vai participar da mostra - FOTO: STEPHEN SCHIFF/DIVULGAÇÃO
Leitura:

O artista alagoano radicado no Recife Jonathas de Andrade foi escolhido, pela Fundação Bienal de São Paulo, como representante do Brasil na próxima Bienal de Veneza. A exposição internacional de arte irá de abril a novembro de 2022.

"O artista Jonathas de Andrade busca em seus trabalhos a ideia de uma cultura autenticamente popular", justificou Jacopo Crivelli Visconti, curador da representação brasileira da bienal italiana de 2022. "O corpo, principalmente masculino, é o eixo norteador para abordar temas como o universo do trabalho e do trabalhador, e a identidade do sujeito contemporâneo, por meio de metáforas", concluiu o curador sobre a obra do artista, que em 2016 participou da Bienal de São Paulo com o trabalho O Peixe.

Ao comentar sua escolha para a Bienal de Veneza, Jonathas de Andrade declarou que está trabalhando em uma instalação inédita e falou: "O convite é uma surpresa e uma honra, mas, antes de tudo, um desafio pela responsabilidade diante do quadro de complexidades cruciais que o país enfrenta. Que a arte consiga traduzir o embaraço que é viver nos nossos tempos e que inspire sonhos que permitam desatar esses nós".

Museu do Homem do Nordeste

Um dos projetos mais conhecidos de Jonathas de Andrade, que tem 39 anos, é o conjunto de trabalhos chamado Museu do Homem do Nordeste, concebido como possível contraponto ao museu antropológico criado em 1979 pelo sociólogo Gilberto Freyre, na Zona Norte do Recife. Enquanto o museu original revisa a história colonial e a identidade da região a partir de uma reunião de artefatos e objetos históricos, o museu de Andrade desloca seu olhar para as pessoas, enfatizando as relações de poder e de classe entre elas na história.

Comentários

Últimas notícias