CARNAVAL 2022

Governo de Pernambuco não descarta realização de festas privadas no Carnaval

A um mês do Carnaval, o Governo de Pernambuco ainda não tomou uma decisão sobre a realização das festas privadas no Estado

Bruno Vinicius
Bruno Vinicius
Publicado em 27/01/2022 às 12:20
Carvalheira-ao-som-de-Durval-Lelis FOTO:
Leitura:

A um mês do Carnaval, o Governo de Pernambuco ainda não tomou uma decisão sobre a realização das festas privadas no Estado. Em um anúncio coletivo entre quatro secretarias, nesta quinta-feira (27), a gestão estadual decidiu estender as medidas de festas e eventos com grande público até 15 de fevereiro - uma quinzena antes da Festa do Momo. Para os artistas, grupos musicais e envolvidos com o ciclo carnavalesco, o governo estadual se comprometeu a um incentivo de R$ 6,3 milhões, em um auxílio que pagará até R$ 30 mil em cachês para os contemplados.

"Independente do período de Carnaval ou não, as festas privadas precisam respeitar as regras do protocolo. as regras preveem 3 mil para ambientes abertos, mil para ambientes fechados, comprovação vacinal e testagem. Essa regra vai valer até o dia 15 de fevereiro. Depois serão anunciadas as regras que valerão adiante. isso não significa que até o dia 15 não se possa tomar uma medida para proibir a realização de eventos. Isso será decidido na próxima semana", disse o secretário de Turismo e Lazer de Pernambuco, Rodrigo Novaes.

Isso significa que festas e eventos devem seguir com a capacidade máxima para 3 mil pessoas. Além disso, só terão acesso a eles pessoas com passaporte vacinal com as duas doses, além da testagem com resultado negativo para a covid-19. A regra vale para qualquer concerto ou espetáculo cultural que envolva público acima de 300 pessoas. A regra já vale desde o dia 9 de janeiro, quando o governo anunciou as novas regras.

Embora o Estado, durante toda a pandemia tenha elaborado protocolos para que os municípios sigam as ações, o cancelamento do próprio Carnaval de rua ficou a cargo das cidades. É o que afirmou Rodrigo Novaes, secretária de Turismo e Lazer de Pernambuco, durante a coletiva. "O carnaval é organizado pelos municípios. o estado só fomenta. João campos sinalizou a possibilidade de realizar o carnaval em outro momento. caso aconteça, nada impede que o governo faça o fomento e apoie a festividade", comentou sobre a decisão da Prefeitura do Recife.

No caso, João Campos havia anunciado que os artistas receberão um incentivo de R$ 10 milhões para o ciclo carnavalesco da Cidade, dando a possibilidade músicos e agremiações realizaram um Carnaval fora de época com os recursos pagos pela gestão municipal. 

Setor esperava

Integrando um dos setores mais atingidos pela pandemia, os promotores de evento já esperavam pela prorrogação das regras atuais. É o que afirma Waldner Barreto, diretor regional da Associação Brasileira dos Promotores de Eventos (Abrape), que não se demonstrou insatisfeito. "Não dá para dizer que achamos bom, mas também não foi ruim. A gente imagina que essa decisão do Estado possibilita o aumento de um público na época do Carnaval", demonstra otimista.

O anúncio do início de janeiro foi mais impactante, tendo em vista que os organizadores das festas não esperavam pelas restrições. Alguns cancelaram os eventos da época, outros tiveram que adaptar como foi o sócio-diretor da Tampa Entretenimento, Henrique Figueira, com o Carnaval do Parador. Eles manterão os custos para o evento de até 3 mil pessoas, mas ele aguarda que no dia 15 haja a ampliação para uma capacidade 5 mil.

 

Auxílio

Assim como as prefeituras do Recife e Olinda, o Governo de Pernambuco também oferecerá um auxílio a artistas e agremiações que trabalharam em ciclos carnavalescos nos anos de 2018, 2019 e 2020. Serão pagos R$ 6,3 milhões do Tesouro Estadual a 750 artistas, grupos e agremiações que receberão 80% do cachê pago em sua última apresentação sob contrato com o Estado. O valor mínimo a ser pago será de R$ 3 mil e o teto de pagamento é R$ 30 mil.

Comentários

Últimas notícias