CURTA-METRAGEM

Filme pernambucano aborda intercâmbio cultural entre Burkina Faso, na África, e o Sertão do Pajeú

'Do Burkina Faso a Terras Quilombolas: um encontro pela oralidade' retrata a realização do projeto homônimo, articulado em 2020

Nathália Pereira
Nathália Pereira
Publicado em 28/08/2021 às 8:00
Notícia
PAULA VANINA/DIVULGAÇÃO
O contador de histórias e ator François Moïse trocou experiências com comunidades locais - FOTO: PAULA VANINA/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Será lançado amanhã (29), a partir das 16h, o filme Do Burkina Faso a Terras Quilombolas: um encontro pela oralidade, realização do Terreiro Produções e Equinócio Produções, com parceria da Comissão Quilombola do Caroá, Cia Les Murmures de la Forge e de Ba-kô Burkina Brasil.

O curta-metragem retrata a realização do projeto homônimo que, no início de 2020, proporcionou o encontro entre o contador de histórias e ator François Moïse Bamba, vindo do Burkina Faso, país da África Ocidental, e as comunidades quilombolas Abelha, Travessão do Caroá, Gameleira e Brejo de Dentro, do município de Carnaíba, no Sertão do Pajeú.

Leia também: Versos de Pedro Tenório poetizam o Pajeú em documentário pernambucano

Leia também: Dia Mundial do Contador de Histórias: conheça pessoas que fazem do partilhamento de narrativas um ofício

Concebido e realizado pelas artistas e produtoras Laura Tamiana e Karuna de Paula, a obra teve contribuição de Edna Andrade, liderança quilombola. A artista Paula Vanina assina imagens, roteiro e edição do filme. O curta estará disponível no canal youtube.com/lauratamiana. A partir das 19h, estreará também no Burkina Faso, no mesmo endereço.

HERANÇA NA ORALIDADE

“Desde pequeno, tive a sorte de ter meu pai que contava histórias. Pouco a pouco, um grupo de crianças contadoras se constituiu, tentando imitar as histórias do meu pai. Indo coletar os contos, eu descobri um outro valor da vida, um outro valor do humano, que começa a desaparecer nas grandes cidades. Então, assim que eu soube que viria encontrar comunidades, foi um grande prazer para mim, porque significava, imediatamente, poder conhecer mais e também compartilhar as palavras de onde eu venho, além de encontrar as palavras daqui, desta comunidade”, compartilha François.

“As tradições orais carregam uma imensa sabedoria. Acreditamos que colocar em contato essas práticas, entre pessoas de cá e de lá, seja profundamente enriquecedor para ambos os lados, pois o encontro permite reconhecermos no corpo a conexão antes de tudo humana que a oralidade traz, e mais precisamente a conexão histórica que existe, e através desse corpo torná-la atual e viva, abrindo caminho para novos possíveis”, complementa Laura Tamiana.

O filme será exibido com legendas em francês. Após o lançamento, a equipe convidará o púbico para um bate-papo. Com apoio do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura), o intercâmbio cultural entre países terá continuidade, através do projeto Do Burkina Faso a Terras Quilombolas: a voz das histórias, aprovado em novo edital.

Comentários

Últimas notícias