Pandemia

Petrobras adia pagamento de R$ 1,7 bilhão de dividendos por causa do coronavírus

Esses dividendos são remanescentes do resultado de 2019

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 26/03/2020 às 11:51
Notícia
Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil
A Petrobras também anunciou o adiamento de sua assembleia geral ordinária (AGO) do dia 22 para o dia 27 de abril - FOTO: Foto: Tânia Rêgo / Agência Brasil
Leitura:

A Petrobras anunciou o adiamento do pagamento de R$ 1,7 bilhão de dividendos por causa da covid-19. O pagamento dos dividendos, sujeitos à deliberação dos acionistas, será postergado do dia 20 de maio para o dia 15 de dezembro, informou a estatal em fato relevante.

"A postergação do pagamento dos dividendos é uma das medidas adotadas pela companhia para a preservação de seu caixa, em função da pandemia do coronavírus e do choque de preços de petróleo", informou a Petrobras. Esses dividendos são remanescentes do resultado de 2019.

Além disso, a Petrobras anunciou o adiamento de sua assembleia geral ordinária (AGO) do dia 22 para o dia 27 de abril.

Petrobras espera que queda de preço da gasolina chegue aos postos

A Petrobras informou que, com uma nova redução de 15% desde a quarta-feira (25), o preço médio da gasolina nas refinarias passa a ser R$ 1,14 por litro. Este é o menor preço cobrado pela companhia desde 31 de outubro de 2011.

“A Petrobras espera que este movimento nos preços se reflita, no curto prazo, na redução do preço final cobrado ao consumidor”, diz nota divulgada pela empresa.

No acumulado do ano, a redução do preço da gasolina é de cerca de 40%.

De acordo com pesquisa semanal da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), entre os dias 15 e 21 de março, o preço médio ao consumidor no país para a gasolina era de R$ 4,486 por litro.

Repasse ao consumidor

O repasse de ajustes dos combustíveis nas refinarias para o consumidor final nos postos não é imediato e depende de diversos fatores, como consumo de estoques, impostos, margens de distribuição e revenda e mistura de biocombustíveis.

Postos de combustíveis pelo país já sentem queda importante na demanda, em meio a medidas de isolamento social praticadas por autoridades e sociedade em geral para evitar a proliferação do novo coronavírus.

No caso do preço do diesel, a petroleira não realizou ajuste nesta quarta-feira. Mas o combustível fóssil vendido pela companhia acumula recuo de aproximadamente 30% neste ano até o momento.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias