isolamento

"Pensam apenas no próprio umbigo e não olham o povo", diz Paulo Câmara sobre Bolsonaro e quem pede reabertura do comércio na crise do coronavírus

Em entrevista à Rádio Jornal, Governador de Pernambuco diz que precisa que as pessoas fiquem em casa agora para que o governo consiga preparar o sistema de saúde para a escalada de casos do coronavírus

Mayra Cavalcanti
Mayra Cavalcanti
Publicado em 27/03/2020 às 8:57
Notícia
Paulo Câmara
O governador Paulo Câmara (PSB) - FOTO: Paulo Câmara
Leitura:

O Governador Paulo Câmara defendeu, em entrevista à Rádio Jornal nesta sexta-feira (27), que os pernambucanos sigam em casa neste momento para que, mais na frente as restrições possam ser minimizadas com segurança. "Tenha paciência, não é fácil, mas é um esforço em favor da vida. Para a gente poder se estruturar e cuidar das pessoas contaminadas mais na frente", pediu Paulo. Durante a entrevista, o governador falou da necessidade de preparação do serviço de saúde para atender as vítimas da covid-19, assim como das tentativas para conter a curva de crescimento do número de casos da doença no Estado e no Brasil. 

"Politização é ruim. Estamos ouvindo quem entende e faz as recomendações para ficar em casa. Governo Federal não cuidou, não distribui equipamentos, não tem estratégia nacional. Qual o plano de verticalização? Não tem! Olha pro próprio umbigo e não olha para o povo. População, tenha paciência, não é fácil, mas é um esforço em prol da vida. Peço que governo federal aja, veja os mais vulneráveis. Quero esforço mútuo, não fazer disputa", declarou.

Segundo o governador, as medidas tomadas pela gestão têm tido resultados positivos. "A gente está conseguindo, essa semana mostrou isso, ter um crescimento de casos confirmados menor do que outros estados brasileiros. Mas estamos conscientes de que esses números tendem a crescer. Para a primeira semana de restrições mais severas, estamos alcançando o crescimento um pouco menor do que se não estivéssemos tomando as medidas. Poderia estar pior aqui em Pernambuco", acrescentou Paulo.

O governador conta que, dos 400 novos leitos de UTI prometidos, 88 já foram montados, mas que o Estado, assim como o Brasil, tem tido dificuldades na aquisição dos equipamentos e, inclusive, dos EPIs. "Já conseguimos montar 88 novas vagas de UTI, mas é um esforço muito grande, esforço mundial e as dificuldades são enormes", relatou. 

Pernambuco tem três mortes confirmadas pelo novo coronavírus e 48 casos confirmados da doença. Com os dados, que foram divulgados na noite dessa quinta-feira (26), Pernambuco despontou no mapa nacional de covid-19 como o Estado com maior letalidade no Brasil (6,2%), segundo análise feita a partir da classificação dos casos por Unidade da Federação de notificação feita pelo Ministério da Saúde. 

"O governo quer cuidar das pessoas, salvar vidas. Sabemos que as medidas são duras. Avaliamos todos os dias e vemos onde podemos ou não fazer ações para minimizar damos. A população pode ter certeza que estamos trabalhando com transparência. O governo (federal) precisa de uma coordenação. A preocupação é o que faz com que a população fique inquieta e a gente tem que buscar formas para que a população fique em casa com garantia que não lhe faltar nada", comentou o governador.

Nessa quinta-feira (26), a Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas de Pernambuco (FCDL-PE) divulgou uma nota em que apela para que o comércio no Estado seja reaberto. Os negócios estão fechados desde o último dia 20. No documento, a FCDL-PE pontua que o fechamento do comércio tem afetado a economia e arriscado a falência das empresas, que dependem de faturamento diário para seguir o mercado.

A evolução dos casos de coronavírus no Brasil

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias