saúde

O que é isolamento vertical, sugestão de Bolsonaro para conter coronavírus?

Em novo pronunciamento nesta quarta-feira (25), Bolsonaro voltou a criticar as medidas de quarentena que vêm sendo adotadas no País

Maria Lígia Barros
Maria Lígia Barros
Publicado em 25/03/2020 às 10:56
Notícia
SERGIO LIMA/AFP
O presidente da República vem negando que foi infectado pelo vírus, mas não apresentou os exames - FOTO: SERGIO LIMA/AFP
Leitura:

Em novo pronunciamento na manhã desta quarta-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar as medidas de quarentena que vêm sendo implementadas no País e defendeu a adoção do isolamento vertical no combate da pandemia do coronavírus - indo de encontro a recomendações do próprio Ministério da Saúde (MS).

O que o presidente chamou de isolamento vertical seria o confinamento social intercalado por grupos de risco, segundo explicou o infectologista Paulo Sérgio Ramos. “Seria priorizar inicialmente o isolamento social dos idosos, que as estatísticas têm mostrado que é o grupo de acometimentos mais graves, com maior número de óbitos, para depois direcionar a portadores de doenças crônicas, depois gestantes... Ir intercalando os níveis de contenção social”, definiu.

>> Em live, Bolsonaro diz que falará com ministro da Saúde para propor isolamento do coronavírus apenas para idosos

>> Coronavírus: as divergências entre o discurso de Bolsonaro e as recomendações da OMS

>> Com 46 mortes, Brasil passa dos dois mil casos confirmados de coronavírus

>> Coronavírus sem dúvidas tem letalidade maior que vírus da gripe, diz diretor da OMS

O modelo se difere da política de enfrentamento à doença covid-19 que vem sendo preconizada tanto pelo MS, como pela Organização Mundial de Saúde (OMS). “Ou seja, a contenção social para todos, exceto para as áreas essenciais - segurança, saúde - e, ainda assim, de forma escalonada”, afirmou.

Por isso, o especialista defende que o posicionamento do presidente não tem respaldo técnico de entidades médicas. “Nessa linha de raciocínio, entende ele, equivocadamente, que dessa forma a gente tiraria menos pessoas de suas atividades laborais e evitaria ou minimizaria um colapso do ponto de vista econômico. Essa parece ser uma visão muito simplista dessa questão muito complexa”.

De acordo com o médico, o confinamento total tem se mostrado efetivo em reduzir números de casos e levar menos pessoas graves ao hospital, “evitando, dessa forma, o total colapso do sistema público de saúde” - uma das maiores preocupações atuais dos sanitaristas.

“Alguns analistas da área já se posicionaram e acreditam que o presidente possa estar usando essa estratégia porque ele já sabe que o Brasil vai entrar num período de muita recessão, como muitos países irão. Com essa fala, ele estaria de alguma forma se protegendo, se colocando numa situação de conforto com relação à pandemia”, opinou.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Veja a evolução da pandemia do coronavírus em Pernambuco

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias