ipca

Mercado reduz previsão da inflação no Brasil em 2020 de 1,59% para 1,57%

Enquanto isso, projeção de câmbio 2020 passa de R$ 5,28 para R$ 5,40

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 25/05/2020 às 9:19
Notícia
Foto: Arquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil
A projeção para o IPCA em 2022 seguiu em 3,50% - FOTO: Foto: Arquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil
Leitura:

Os economistas do mercado financeiro cortaram novamente a previsão para o IPCA - o índice oficial de preços - em 2020 e 2021. O Relatório de Mercado Focus divulgado nesta segunda-feira pelo Banco Central mostra que a mediana para o IPCA neste ano foi de alta de 1,59% para 1,57%. Há um mês, estava em 2,20%. A projeção para o índice em 2021 passou de 3,20% para 3,14%. Quatro semanas atrás, estava em 3,40%.

O relatório Focus trouxe ainda a projeção para o IPCA em 2022, que seguiu em 3,50%. No caso de 2023, a expectativa permaneceu em 3,50%. Há quatro semanas, essas projeções eram de 3,50% para ambos os casos.

» Caixa faz novos pagamentos da primeira e segunda parcelas do auxílio emergencial nesta segunda; veja se você tem direito

» Durante pandemia do coronavírus, procura por motéis despenca e venda em sexshop dispara

» Afetados por crise do coronavírus, trabalhadores repensam carreira e planejam mudanças

A projeção dos economistas para a inflação já está bem abaixo do centro da meta de 2020, de 4,00%, sendo que a margem de tolerância é de 1,5 ponto porcentual (índice de 2,50% a 5,50%). No caso de 2021, a meta é de 3,75%, com margem de 1,5 ponto (de 2,25% a 5,25%). Já a meta de 2022 é de 3,50%, com margem de 1,5 ponto (de 2,00% a 5,00%).

A expectativa de inflação no curto prazo tem sido bastante afetada pela perspectiva de que, com a pandemia do novo coronavírus, a atividade econômica seja fortemente prejudicada, com impactos negativos sobre a demanda por produtos e baixa da inflação.

No início do mês, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o IPCA recuou 0,31% em abril - o menor índice desde agosto de 1998. No acumulado do ano, a taxa está positiva em 0,22%.

No Focus agora divulgado, entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2020 foi de 1,61% para 1,33%. Para 2021, a estimativa do Top 5 seguiu em 3,00%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,10% e 3,50%, nesta ordem.

No caso de 2022, a mediana do IPCA no Top 5 permaneceu em 3,50%, igual ao visto um mês atrás. A projeção para 2023 no Top 5 seguiu em 3,38%, ante 3,50% de quatro semanas antes.

Últimos 5 dias úteis

Em meio aos efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre a economia, a projeção mediana para o IPCA de 2020 atualizada com base nos últimos 5 dias úteis foi de 1,58% para 1,53%. Houve 48 respostas para esta projeção no período. Há um mês, o porcentual calculado estava em 2,10%.

No caso de 2021, a projeção do IPCA dos últimos 5 dias úteis seguiu em 3,20%. Há um mês, estava em 3,30%. A atualização no Focus foi feita por 45 instituições.

Preços administrados

O relatório do BC indicou manutenção na projeção para os preços administrados em 2020. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador este ano seguiu em alta de 1,00%. Para 2021, a mediana permaneceu em alta de 3,80%. Há um mês, o mercado projetava aumentos de 1,40% e de 3,80% para os preços administrados em 2020 e 2021, respectivamente.

Projeção de câmbio 2020 passa de R$ 5,28 para R$ 5,40

O Relatório de Mercado Focus, divulgado na manhã desta segunda-feira, dia 25, pelo Banco Central, mostrou alteração no cenário para a moeda norte-americana em 2020. A mediana das expectativas para o câmbio no fim do ano foi de R$ 5,28 para R$ 5,40, ante R$ 4,80 de um mês atrás. Para 2021, a projeção para o câmbio foi de R$ 5,00 para R$ 5,03, ante R$ 4,55 de quatro pesquisas atrás.

Comentários

Últimas notícias