BENEFÍCIO

Onyx garante que todos inscritos vão receber as 5 parcelas do auxílio emergencial; canal está aberto para contestação

Ajuda foi criada com objetivo de reduzir efeitos da crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus

JC
JC
Publicado em 03/07/2020 às 11:10
Notícia
ALAN SANTOS/PR
O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, concedeu uma entrevista na manhã desta sexta-feira (3) para a Rádio Jornal Caruaru para falar sobre o auxílio emergencial - FOTO: ALAN SANTOS/PR
Leitura:

Em entrevista à Rádio Jornal Caruaru, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni afirmou, na manhã desta sexta-feira (3), que todas as cinco parcelas previstas do auxílio emergencial serão pagas para os aprovados no programa, que tem como objetivo reduzir efeitos da crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus para desempregados, trabalhadores sem carteira assinada, autônomos e Microempreendedores Individuais (MEIs).

"Nós tivemos problemas sim, em um programa dessa magnitude é normal, mas nós fomos superando as falhas. As cinco parcelas estão garantidas a todos aqueles que são elegíveis. Todos aqueles que estão dentro da lei, que têm direito, vão receber [o auxílio] com segurança e tranquilidade", garantiu.

O prazo para cadastro no auxílio terminou nesta quinta-feira (2), às 23h59. Inicialmente proposto para vigorar por três meses, com o pagamento de três parcelas de R$ 600, o benefício foi prorrogado por mais dois meses, com o pagamento de mais duas parcelas. Pelas regras, até duas pessoas da mesma família podem receber o auxílio. Para as famílias em que a mulher seja a única responsável pelas despesas da casa, o valor pago mensalmente é de R$ 1.200.

O chefe da pasta afirmou que, apesar do término das inscrições, ainda é possível fazer contestações eletrônicas até julho, mas não especificou a data. Para isso, basta acessar o aplicativo "Auxílio Emergencial", disponível nas plataformas Play Store e App Store. "Lá aparecem vários itens aonde a pessoa foi considerada como não elegível, não portadora do direito, e ela pode fazer a contestação exatamente por esse equipamento. Uma outra forma é fazer a contestação nos escritórios da Defensoria Pública da União (DPU)", explicou.

Quando questionado sobre os beneficiários que já receberam uma parcela mas ainda não receberam a próxima, Onyx Lorenzoni disse que os calendários de depósitos estão sendo seguidos.

"Nós temos um calendário que mostra claramente o curso dos pagamentos. Foi um dos problemas que tivemos no primeiro mês, as pessoas estavam ansiosas e correram para as agências da Caixa. Nós tivemos problemas em todo o Brasil, com filas. Na primeira parcela nós tivemos bastante dificuldades. Mas, na segunda parcela, nós já fizemos um espaçamento", explicou ele.

Ao fim da entrevista, o ministro informou que será realizada uma reunião para definir como será o pagamento das duas próximas parcelas do benefício.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias