RETOMADA DE ATIVIDADES

Apenas algumas cidades do Agreste e do Sertão avançam no Plano de Convivência com a Covid-19 nesta semana

As regiões do Recife, de Garanhuns, do Sertão do Araripe, Sertão do São Francisco e Afogados da Ingazeira não avançarão no plano esta semana

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 10/09/2020 às 18:30
Notícia

MARCOS MATTOS/TV JORNAL INTERIOR
As regiões do Recife e de Caruaru estão na fase 8 do Plano, sendo as mais adiantadas na retomada das atividades econômicas em convivência com o coronavírus. - FOTO: MARCOS MATTOS/TV JORNAL INTERIOR
Leitura:

As regiões de Caruaru, Salgueiro, Arcoverde e Serra Talhada avançarão no Plano de Convivência com a Covid-19 a partir da próxima segunda-feira (14), informou o governo de Pernambuco, em coletiva de imprensa transmitida na tarde desta quinta-feira (10). Apesar de todas as quatro macrorregiões terem apresentado queda nos números globais, o Estado preferiu manter as regiões do Recife, de Garanhuns, do Sertão do Araripe, do Sertão do São Francisco e de Afogados da Ingazeira nas etapas em que se encontram no momento. Na coletiva, o secretário de desenvolvimento econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach, reforçou que é necessário colaboração das empresas e da população para evitar situações de aglomeração como as registradas no feriadão do dia 7 de setembro, que podem frear ainda mais o avanço para as etapas onde os eventos estarão permitidos.

 

Veja o que muda a partir do dia 14/9

A partir de segunda-feira (14), a região de Caruaru avança para a etapa 8, com escritórios funcionando com 100% da capacidade e museus e espaços de exposição reabrindo seguindo protocolos de higienização e distanciamento social. Chegando à etapa 7, Arcoverde, Serra Talhada e Salgueiro poderão ampliar horário de funcionamento de shoppings e restaurantes para às 22h.

Dessa forma, a Macrorregião 1 (Recife e região) e a Geres de Caruaru estarão na etapa 8, Garanhuns, Arcoverde, Serra Talhada, Salgueiro e Petrolina na etapa 7 e as Geres de Afogados da Ingazeira e Ouricuri na etapa 6.

Plano de Convivência completa 100 dias

Nesta quinta-feira, o Plano de Convivência das Atividades Econômicas com a Covid-19, iniciado em 1º de junho, completou 100 dias. "Todo o Estado está, pelo menos na etapa 6 e algumas na 7 e 8, entrando na fase verde do Plano. Poucas atividades seguem aguardando pelas etapas 9 e 10 para ter todas atividades econômicas funcionando dentro do novo normal, com novos protocolos e cargas específicas dependendo do risco que a atividade traz para o crescimento da pandemia", afirmou o secretário de desenvolvimento econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach. 

As regiões do Estado que se encontram nas etapas mais adiantadas do Plano permanecerão sem avanços por enquanto. Schwambach disse ainda que o comitê que avalia e define os passos dados na retomada da economia se reunirá na próxima segunda-feira para novas decisões. 

O secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, detalhou os números de cada região, justificando o avanço ou permanência nas etapas, considerando as regiões a partir das Gerências Regionais de Saúde (Geres). A IV Geres, com sede em Caruaru, apresentou queda de 19,9% nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e de 51% nos óbitos e por isso avançará no plano. No Sertão, as VI, VII e XI Geres avançarão, a partir de segunda, para a etapa 7. 

A VI Geres, com sede em Arcoverde, tem 15 dias de redução de 47% nos casos e 57,9% nos óbitos, enquanto a VII Geres, sede em Salgueiro, teve queda de 29,4% casos e 66% dos óbitos. A XI Geres, de Serra Talhada, teve redução de 45% dos casos graves e 66% dos óbitos. 

A V Geres, cidade-sede Garanhuns, teve diminuição de casos no acumulado de 15 dias, mas apresentou aumento de Srag, na comparação das semanas 36 e 35 da pandemia. "Como a região avançou de etapa nesta semana, permanecerá na etapa 7 para avaliarmos os indicadores dos próximos dias", disse Longo. Já as Geres VIII e IX, do Sertão do Araripe e Sertão do São Francisco também permanecerão nas etapas em que se encontram. A Geres X, de Afogados da Ingazeira, apresenta situação limítrofe em estabilidade e crescimento da pandemia e, por isso, também não avançará. 

Freios e avanços por conta do feriadão de 7 de setembro

Relembrando o planejamento adotado para a retomada dos eventos com público em Pernambuco, Bruno Schwambach reforçou que é necessário colaboração das empresas e da população, relembrando que situações de aglomeração como as registradas no feriadão do dia 7 de setembro podem frear ainda mais o avanço para as etapas onde os eventos estarão permitidos - no caso as fases 9 e 10. 

"No diálogo com o setor [de eventos] fizemos a segmentação em eventos corporativos, sociais e culturais. Faseamos as etapas, com a primeira na etapa 9, liberando os eventos, e a segunda na etapa 10, aumentando a capacidade de 100 para 300 pessoas. Temos discutido protocolos com o setor e com a vigilância sanitária, que devemos estar divulgando em breve para que possam se preparar para esta volta. Esperamos ter dados consistentes da queda da pandemia para fazer esse avanço para a etapa 9 e em seguida a 10. É importante ressaltar o comportamento das empresas e da população, mantendo o cuidado com o uso de máscara, higienização e distanciamento é importante para que possam dar o conforto necessário para o avanço. Infelizmente vimas cenas de aglomeração no feriado que não são positivas e agente precisa fazer avaliação do impacto que essa aglomeração pode trazer para a saúde de forma coletiva para dar a oportunidade para todo mundo voltar a trabalhar e gerar sua renda", disse. 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias