COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Covid-19: Pernambuco começa a testar todas as pessoas sem sintomas que tiveram contato domiciliar com infectados

A ampliação da testagem contempla contatos domiciliares de quem teve ou tem diagnóstico positivo do novo coronavírus

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 10/09/2020 às 18:04
Notícia

DIEGO NIGRO/SEI
Novas máquinas que chegaram a Pernambuco possibilitam ampliar processamento dos exames para covid-19 - FOTO: DIEGO NIGRO/SEI
Leitura:

A partir desta sexta-feira (11), Pernambuco inicia a testagem do novo coronavírus em pessoas sem sintomas que tiveram ou têm contato domiciliar com alguém infectado. Com isso, o Estado avança para um novo patamar da detecção da covid-19, pois passa a examinar não só os sintomáticos, mas também as pessoas que moram ou trabalha na residência de alguém que teve diagnóstico laboratorial positivo para a doença. O anúncio foi feito, nesta quinta-feira (10), pelo secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, em coletiva de imprensa transmitida pela internet. 

"Publicaremos uma nota técnica que amplia a testagem para todas as pessoas que tiveram contato domiciliar com casos confirmados da covid-19. Essa ampliação vai ajudar no monitoramento e controle da transmissão da doença", disse Longo. Ele acrescentou que a marcação deve ser feita pela plataforma Atende em Casa. Ao todo, a população de 146 municípios pernambucanos pode realizar a marcação do exame pela ferramenta. A lista dos municípios que oferecem a testagem com agendamento através do Atende em Casa (atendeemcasa.pe.gov.br) está disponivel no site da Secretaria Estadual de Saúde (portal.saude.pe.gov.br). Também é possível fazer a marcação do exame nos postos, via as secretarias municipais de Saúde. 

O secretário acrescentou que a nova fase de ampliação da testagem foi possível graças à inauguração de dois novos equipamentos que aumentam a capacidade de processamento dos testes no Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE), com possibilidade de chegar a 3,2 mil amostras de exames por dia. Para isso, foram investidos, por meio da Fundação de Amparo a Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe), R$ 6 milhões nos equipamentos, além da compra de 120 mil testes RT-PCR, que detectam o novo coronavírus em atividade - ou seja, quando a carga de transmissão do paciente está mais alta. 

Os novos equipamentos, importados, fazem a extração do RNA das amostras do material biológico coletado e o processamento do exame de RT-PCR em si, automatizando esse processo e permitindo quadruplicar a capacidade de produção diária. "O novo parque tecnológico, com essas duas máquinas, transformam a virologia em Pernambuco. As máquinas automatizadas, tanto de extração de RNA quanto de processamento, são o que há de melhor no mundo à disposição do povo de Pernambuco”, declarou André Longo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias